USA – Grand Canyon no Inverno

Oi Gente

O post de hoje traz para você um pouco sobre uma viagem que fizemos com toda a família aos Estados Unidos, onde tivemos a oportunidade de conhecer vários lugares diferentes, entre eles o maravilhoso Grand Canyon, no Estado do Arizona.

Como foi visitar o Grand Canyon no Inverno? Saiba um pouco sobre essa história por aqui…

 

.


Visitar o Grand Canyon é como algo mágico. Você precisa reservar um tempo para que possa ver aquela imensidão e meditar um pouco. 

Agora se você é aquele(a) que curte uma caminhada, não é o meu caso, seria interessante se programar para passar um dia inteiro por lá. Tem lugares específicos para isso.

A nossa experiência dessa visita aconteceu no inverno. Mas, essa maravilha a cada estação trará para você uma visualização diferente. Mas como a oportunidade era essa, achei tudo lindo mesmo assim.

Eles oferecem por lá, passeios de mula, passeios de caiaque, onde você pode descer o rio, e o famoso passeio de Helicóptero, que nesse dia não estava disponível. Pois até estávamos nos programando para isso, pois dizem que vale muito a pena.

Essa visita aconteceu em janeiro de 2015 e nessa época nem sempre é possível usufruir de todas as modalidades de passeio que eles oferecem. Fica aqui a dica, caso queira usufruir de toda programação, talvez ir no inverno não seja a melhor opção.

Mas afinal o que significa esse Canyon?  Cânions em português, “são vales profundos com encostas quase verticais, que podem se estender por centenas de quilômetros e atingir até 5 mil metros de profundidade. À primeira vista, quem observa esses gigantesco entalhes na superfície do planeta poderia imaginar que eles foram criados de um hora para outra por algum fenômeno catastrófico, como um terremoto capaz de abrir a terra e gerar um precipício. Nada disso: em geral, os cânions têm um aprofundamento lento, que pode durar milhões de anos. Os autores principais dessas obras de arte são os rios”.

 

É uma imensidão tudo isso e os paredões do Grand Canyon americano pode chegar a 2 mil metros de altura. Você pode imaginar o que são dois mil metros?

IMG_0691

Eu adoro tudo que se refere a história de um lugar e por aqui é muito interessante saber sobre os índios que viveram nessa região, as dificuldades encontradas por eles na época. Pensar em como superaram os obstáculos naquelas profundidades do Canyon e, sem contar, com o invernos rigorosos, só podemos desenvolver um respeito por esse povo que foram tão injustiçados dentro da história de cada país, inclusive o nosso.

Como chegamos lá?

Na realidade foi uma viagem onde pretendíamos conhecer um pouco da California e todos os lugares lindos por lá. Vou falar mais sobre esses lugares por aqui. Estávamos em Las Vegas, onde passamos o ano novo e retornando para Los Angeles,  passamos em um Out let e tocamos direto para uma cidade chamada de Willians em Nevada. Estava tão frio nesse dia, chão congelado de neve, passamos essa noite por lá.  Willians é uma cidadezinha na entrada para a estrada do Grand Canyon, onde também passava a famosa rota 66.

De Las Vegas a Willians a viagem é em torno de 100 quilômetros e de Willians ao Grand Canyon em torno de 1 hora de viagem de carro.

Pagamos o valor de 30 dólares para entrar de carro no parque. O bilhete foi comprado diretamente no Parque.

Visitamos o Grand Canyon e seguimos para Los Angeles, já estávamos finalizando a nossa viagem. Deixamos o Grand Canyon como um dos últimos passeios.

Aqui em casa,  somos daqueles que gostam de desbravar lugares sozinhos, fomos de carro e íamos definindo lugares durante a viagem, procurando hotéis.  Agora que os filhos estão todos adultos, tudo se torna mais fácil.

 

 

O rio colorado é o grande responsável por tantas belezas do Grand Canyon. Uma vez que são formados por erosão. “Sua capacidade de erosão é impressionante: antes da inauguração da represa de Glen Canyon em seu leito, em 1963, pesquisadores estimaram que o rio arrastava cerca de 500 mil toneladas de sedimentos por dia”.

No inverno cada lugar que visualizávamos ele tinha uma beleza diferente. Agora você se prepara para o frio. Esse Grand Canyon é  muito frio e outra coisa gente, no inverno, devido ao desgelo de alguns lugares fica muito escorregadio.

Esse é um lugar que não vou me esquecer nunca, além das belezas, um belo tombo que levei por lá ficou bem alguns dias na minha lembrança. A gente não percebe mas andar por lá nesse frio, sem perceber você está no chão.

Para se ter uma ideia ele tem 445 km de extensão. É um dos passeios mais populares dos Estados Unidos recebendo em torno de 5 milhões de pessoas por ano.
Enfim, visitar o Grand Canyon, mesmo no inverno, foi uma experiência incrível. Espero ainda voltar em outra época para fazer o famoso passeio de helicóptero.
Era isso por hoje.
Obrigada pela visita. Você é sempre bem vindo(a) por aqui.
Um abraço.