Obrigada a todos os médicos

Oi Gente

Hoje é um dia especial, principalmente, nesses tempos de pandemia.

Como mãe de um médico, gostaria de dizer um muito obrigada a todos os médicos, não só os brasileiros, mas de todas as nações.

BLOG ÁLVARO NEVES "O ETERNO APRENDIZ" : ATENDIMENTOS DE SAÚDE PÚBLICA EM CABO…

Acredito que por fazer parte, do dia a dia, da vida de um médico, no meio de sua residência e como mãe, vendo a sua dedicação dia e noite, praticamente passando seu maior tempo desses três anos dentro de um hospital, confesso que, ao mesmo tempo que tenho orgulho do meu filho, hoje vejo o quão árdua é essa profissão.

Nesses tempos de pandemia onde, além de todos os dias estar diretamente em contato com a possibilidade de adquirir o vírus, atendendo aqueles que procuram um hospital, vejo a dedicação e a resignação em relação a toda à família.

Além de se cuidarem a todo momento, a preocupação em trazer para casa alguma coisa que possa ferir os seus entes queridos.

In graphic detail, medical journal describes ‘heavy overtones’ of sexual assault in operating room .

Algumas vezes, quando se pensa na profissão de um médico, pode ser que a nossa visão é daquele profissional, sentado em seu consultório, com ar condicionado e atendendo um a um seus pacientes, passando a impressão que todos os dias de um médico é assim. Muitos deles, atendem em vários locais e, algumas vezes, em várias cidades.

A formação de um médico

Sempre admirei toda e qualquer profissão, desde que seja realizada com responsabilidade, ética e profissionalismo.

A formação de um médico, não é novidade para ninguém, é uma longa jornada até chegar o momento de sua especialização. Acredito que para ser médico é preciso muito desejo mesmo pela profissão ou, como dizem no dito popular, um dom.

A formação completa de um profissional médico, são muitos anos de estudos, estudos esses que farão parte de toda a sua vida, se aprimorando cada vez mais, pelo fato da responsabilidade de estar lidando com vidas.

Acredito que a maior satisfação de um médico, em diferentes especializações, em primeiro lugar é salvar uma vida e, ainda, colaborar com a qualidade de vida daqueles que terão que conviver com determinadas doenças ou incapacidades durante sua trajetória de vida.

Em países como o nosso, onde sabemos as dificuldades da estrutura da saúde, nem sempre os nossos médicos tem o ambiente e a estrutura necessária para atender seus pacientes como gostariam. Dificuldades essas que também os fazem sofrer.

Além de atender ao paciente, o médico(a) também, tem que ter a capacidade e habilidade de atender toda a família nessas horas de algum desespero, principalmente, quando há a possibilidade da perda de um ente querido, como nos casos de cirurgias graves e, nesse momento principalmente, os internamentos graves do covid-19. Isso, sem dúvida, requer dos profissionais de saúde um humanismo e olhar pelo outro, dando sua empatia, sensibilidade e até mesmo conforto.

Como é ser mãe de um médico?

Confesso que não sabia o que era ser mãe de um médico, antes de ter um filho nessa profissão. Quanta angústia que a gente sente e torce para que todos os dias ele possa ser o melhor profissional na sua área.

Quando vejo a falta de tempo, muitas vezes, de cuidar da sua própria saúde, de poder estar com familiares nos finais de semana e ter que priorizar e honrar o seu juramento, só me faz pensar que temos muito a agradecer a eles.

Meu filho, ainda solteiro, e finalizando a sua formação em ortopedia, já tem uma rotina bem corrida. Aí fico pensando, nos médicos e médicas, com família e filhos que, além dos desafios da profissão, tem que estar em casa, onde poderiam relaxar, tendo que estar privados desse convívio com a preocupação em trazer para casa alguma doença, bactérias ou, como nesse período, o vírus do Covid.

Nós, que já passamos do meio século de existência, provavelmente ja tivemos longas histórias com esses profissionais que nos atenderam, nas horas em que nos sentimos mais vulneráveis e lá estavam eles, nos dando suporte, atenção, atendimento e, muitas vezes, até mesmo nos confortando ou acalmando.

Nessa nossa idade, já perdemos muitas pessoas queridas e já precisamos muito desses profissionais, nas mais diversas áreas de atuação, seja para nós, para nossos filhos, pais, irmãos, parentes, amigos e todos aqueles mais próximos e sabemos bem o que isso significa.

Nesse dia de hoje, dia18 de outubro de 2020, além de parabenizá-los quero muito agradecer de coração e como diz uma tia querida, do fundo da minha alma, a todos os médicos que sempre nos atenderam com seus conhecimentos, aos nossos atuais médicos que nos atendem nos socorrendo quando precisamos.

Não vou ser hipócrita em dizer que não sinto orgulho por ter um filho médico e vejo a dedicação diária dele, mas como disse, esse orgulho vem sim, como mãe, com uma certa angústia de ver todos os dias no cuidado ao próximo, estar expondo sua própria saúde.

Me lembro bem, na tarde da formatura de meu filho, quando ele me levou para ver os lugares onde atendia na cidade e, quando vi o postinho, onde havia sinais de furos de bala na parede, fiquei apavorada. E ele me disse: – você acha que eu poderia ter te falado sobre isso antes?

A todos os médicos brasileiros e de todas as nações os nossos sinceros aplausos, agradecimentos e a torcida para que vocês possam vencer essa pandemia e continuar com a gente, atendendo aqueles que sempre precisarão de vocês.

Os nossos sinceros sentimentos àquelas famílias que, nesse momento de pandemia, perderam seus médicos queridos se dedicando a salvar vidas de seus pacientes.

Parabéns a todos os médicos, no seu dia e, em especial aos de nosso convívio mais próximo, parentes, amigos, jovens médicos que, de certa forma, acompanhamos a sua formação, e ao Dr. João Henrique Costa Calegari, meu filho, no qual acredito que está se preparando e tem tudo para ser um grande ortopedista.

Outros posts sobre médicos que já fiz por aqui:

Ótima Dica para o Tratamento do Aneurisma cerebral

Nise da Silveira e o seu olhar para linguagem da arte

Como e quando surgiu a psicanálise?

TAVI Uma cirurgia com sucesso em Londrina

Quem foi Maria Montessori e a criação de seu método pedagógico?

4 médicos pioneiros na história da saúde mental

18 de outubro – Dia de lembrar, agradecer e homenagear os nossos médicos

Enfim gente, que possamos respeitá-los, entender que um médico(a) também é um ser humano e que precisam, no mínimo, também de nosso carinho, compreensão e agradecimento.

Era isso por hoje.

Obrigada pela sua visita. Você é sempre bem vindo(a) por aqui.

Um abraço.