Londrina – Cidade linda e boa de se viver


Oi Gente

Hoje quero falar um pouco sobre como é viver na cidade de Londrina. Como moradora há mais de 50 anos, e apaixonada pela minha cidade, vim dividir um pouco dessa experiência com você…

 

Londrina está situada no Norte do Estado do Paraná e hoje é a quarta cidade do sul do Brasil. As três primeiras são Curitiba, no Paraná, Porto Alegre, no Rio Grande do Sul e Joinville, em Santa Catarina.

Paraná, no sul do Brasil

Aqui a sua localização dentro do Estado do Paraná

É a segunda cidade do Estado do Paraná, cuja a capital é Curitiba. A distância entre as duas cidades é de 381 km.  ” Londrina é sede de sua região metropolitana que conta também com 801.756 habitantes (IBGE/2010). É um centro regional e é composta de comércio, serviços e agroindústrias.”

Essa informação é do ano de 2010. Acredito que já podemos dizer que circula, aqui pela cidade, mais de 1 milhão de pessoas, em busca dos mais diferentes serviços prestados.  Sem falar, ainda, do grande potencial da cidade em formação de mão-de-obra qualificada que as nossas escolas e faculdades preparam para o mercado de trabalho.

 

Como é viver em Londrina há mais de 50 anos?

Sinceramente é impossível a gente acompanhar o crescimento de uma cidade como Londrina. Mas é interessante que os moradores mais “antigos” parece que tem um amor maior pela cidade. É uma cidade ainda jovem, porém bem desenvolvida, graças ao povo londrinense e, de outros lugares, que aqui vieram e trabalharam para a construção e crescimento da nossa cidade. Como é, então, viver em Londrina há mais cinquenta anos?

 

Apesar de todas as mudanças ocorridas no modo de viver dos seres humanos, com menos tempo para se dedicar as coisas realmente  importantes da vida, observo que a cidade de Londrina ainda reserva um pouco dessa tradição de encontrar os amigos, de bater um bom papo nos restaurantes, bares das cidades, nas residências de amigos e parentes, de receber bem seus visitantes.

Muitos aposentados, de cidades maiores, tem escolhido  Londrina para sua nova residência. A cidade  oferece um bom atendimento médico, com profissionais de alta qualidade, nas mais diversas especializações (acabei de comprovar mais uma vez isso em uma experiência com minha mãe, em uma cirurgia do coração.

A cidade de Londrina,  embora seja  mais voltada para a área de prestação de serviços, de bons serviços, hoje,  oferece praticamente  uma infinidade de opções nos mais variados setores, não ficando muito atrás dos grandes centros, porém com o charme de ser do interior, onde é possível se deslocar de um lugar ao outro sem perder seu tempo precioso no trânsito.

Me lembro, quando me casei, que a parte mais difícil foi ter que deixar a minha cidade de Londrina. Fui morar, durante dois anos, na cidade de Pato Branco, no sudoeste do Paraná. Estava feliz, pois estava me casando com o homem que escolhi para construirmos a nossa família. Mas, deixar a minha Londrina, te confesso foi a parte difícil dessa decisão. E lembrar que, naquela época, 1986,  Pato Branco ainda não oferecia as facilidades que se tem hoje por lá. Pato Branco é outra cidade, fruto do desenvolvimento e trabalho dos seus habitantes. Está muito linda a cidade atualmente.

E era interessante, naquela época, quando estávamos próximos da minha cidade, segundo o Calegari me dizia, que era automático eu abrir um sorrisão dentro do carro. E até hoje, isso acontece dentro de mim.

 

É lógico gente, que aqui também tem lá seus problemas, como toda a cidade de médio e grande porte, mas comparadas a outras do Brasil, similares a Londrina, ainda podemos nos dar como satisfeitos.

Aqui, ainda podemos vivenciar bem as quatro estações do ano. No verão é bem quente, mas também podemos desfrutar do friozinho do inverno. 

Talvez em menos quantidade, como em uma capital, Londrina oferece a nós, seus habitantes, tudo aquilo que precisamos, seja na área médica, educacional, comércio, etc. Para todas as idades, a cidade vem oferecendo cada vez mais opções. Observo que a cidade tem também se preocupado com a nova geração da terceira idade, promovendo e instalando serviços para essa etapa de vida.

Na área cultural, cada vez mais Londrina traz das grandes capitais, shows, palestrantes, peças teatrais, feiras nos diversos segmentos, além de valorizar as culturas por aqui existentes. Sem falar do seu famoso festival que acontece por aqui todos os anos. Já falei um pouco sobre isso por aqui https://blogdamaricalegari.com.br/2016/08/27/48a-edicao-do-filo-em-londrina/

Os seus bairros, aos poucos, vão se tornando cada vez mais auto-suficientes, como é o caso da Zona Norte de Londrina, onde oferece hoje a população facilidades para seu dia-a-dia, sem a necessidade de grandes deslocamentos.

Por ser considerada uma cidade universitária, a cidade também oferece muito divertimento para essa faixa de idade, atraindo pessoas de toda a região, para curtir a noite londrinense.

Chegar em Londrina, seja de carro, ônibus ou avião, é aquela sensação deliciosa de retornar a cidade que eu amo. https://blogdamaricalegari.com.br/2016/07/14/aeroporto-de-londrina-no-parana/

 

 

Adoro ver a parte rural da cidade, tão próxima da mesma, e saber que foi através da agricultura que essa cidade iniciou seu desenvolvimento. Londrina já teve o título de capital mundial do café. Sabe o que é isso? E como esposa de um pesquisador, do Instituto Agronômico do Paraná-Iapar, acompanhei de perto o trabalho dos pesquisadores para o desenvolvimento não só do Paraná, como de outras regiões do Brasil e até mesmo levando tecnologias agrícolas aqui desenvolvidas para o exterior.

O meu sonho era ter os meus filhos, que são três, todos nascidos aqui. Me lembro da minha primeira gravidez, que vínhamos, durante  todos os nove meses para Londrina fazer o pré-natal.  E, ainda,  vim uns quinze dias antes, com medo do bebê nascer fora de Londrina. Isso já era trato, antes do casamento. (kkk).

Como uma boa sagitariana, que ama viajar e explorar novos lugares, posso dizer que até topo passar um tempo fora, mas Londrina, sem dúvida alguma, ainda não teve uma cidade aqui no Brasil, que me fizesse mudar de opinião.

Morei em vários lugares na cidade, em diferentes bairros, com meus pais quando solteira e, após o retorno a Londrina, após o casamento, no ano de  1988, realizei várias mudanças aqui também.

Isso é a vantagem de pagar aluguel, quando se é mais jovem. Tínhamos um apartamento pequeno, mas com 3 crianças preferirmos uma casa e assim a gente se mudava de tempos em tempos.

 

Para você que fica esperando para casar, somente após ter sua casa própria, pense bem sobre isso. Garanto que morar de aluguel também tem lá suas vantagens. É o tempo onde o casal vai se conhecendo e procurando saber que tipo de moradia quer realmente. Mudanças é uma delícia gente, apesar do trabalho que dá. Você conhece novos lugares, novas pessoas, novas formas de morar e assim, quando chegar a minha idade, você terá várias histórias para contar.

Juro, que quando fomos para a nossa casa “definitiva” foi uma mistura de alegria e de apreensão, por pensar que teria que ficar por ali muito tempo. Foram quatorze anos por lá, onde vivi muitos momentos felizes e desafios também, com a educação dos três filhos. A casa sempre cheia de gente e amigos da criançada, depois dos adolescentes. Nossa quem conviveu com a gente, sabe bem o que tudo isso significa.

É lógico, também gente, que penso que o nosso lugar é onde você ganha o seu pão de cada dia e que, as vezes, nem sempre é possível estar onde gostaríamos de estar, mas isso não nos impede de ter o nosso local de preferência.

 

Aqui me constitui como pessoa, aqui fui educada, com a dedicação e paciência dos muitos professores, com a companhia dos amigos e parentes, dos amigos dos locais de trabalho por onde fiz minha vida profissional. Embora, alguns a gente nunca mais tenha por perto, são todos guardados dentro da minha história de vida, com muito carinho.

 Por mais difícil que seja as relações pessoais, adoro tudo isso. São as pessoas que tem maiores significados em nossas vidas. Nem todos são como a gente gostaria que fossem, mas já parou para pensar como seria chato se todos fossem iguais? 

Londrina é assim gente, um lugar de povo receptivo, que curte viver bem a vida. Alguns dizem que os londrinenses são vaidosos, não concordo muito com isso, concordo que os londrinenses gostam de aproveitar bem cada momento de vida. Os (as) londrinenses gostam sim de se arrumar, a cidade tem, inclusive,  fama de ter mulheres bonitas e eu assino embaixo, pois tem mesmo, pois se cuidam e investem nelas e isso não é bom? Se você pode sim investir em você mesmo (a), para a sua saúde, seu desenvolvimento como ser humano, seu bem estar, sua auto-estima. Por que não?

Enfim, estamos nesse mundo de passagem, e poder vivenciar, cada um dentro de suas escolhas e possibilidades, da melhor forma possível os momentos por aqui vividos, não vejo problema nenhum. Problemas e desafios quem não os tem, não é mesmo? Cada um conhece e sabe sobre os seus, o que não os impede de se permitir algo a seu favor. 

Você é o responsável por aquilo que faz com suas escolhas, então se ame e se permita a vivenciar alguns momentos da forma que você quer, de acordo com seus desejos, desde que não atrapalhe os outros. Respeitar o espaço do outro, no convívio social, penso que é o primeiro passo para que você seja respeitado.

Sejam bem vindos a nossa querida cidade de Londrina.

Era isso por hoje.

Obrigada pela visita. Você é sempre bem vindo(a) por aqui.

Um abraço.

Referências:

http://www.encontralondrinapr.com.br/londrina/