Vale a pena assistir o Rei Leão?

Oi Gente

Adoro os filmes da Disney e ontem, fomos ver o Rei Leão em sua nova versão. Gostei muito e por isso quiz trazer a dica por aqui…

 

O filme Rei Leão, um dos mais assistidos pelas crianças e seus pais, é o tipo do filme que ficou registrado em nossas histórias.

O filme do diretor Jon Fraveau está levando muitos espectadores brasileiros ao cinema. O Rei Leão estreou neste fim de semana com as salas lotadas: foram 5.100 espectadores por cinema, o que corresponde a uma das maiores médias de público por sala de todos os tempos. A animação da Disney também registrou a terceira melhor abertura histórica no Brasil, com 3,7 milhões de espectadores.”

As crianças são interessantes, quando gostam de uma história ou de um filme, querem repeti-los para assistir a todo tempo. Ainda guardo as fitas de desenhos da Disney que foram muito assistidas em casa. Comprávamos para as crianças, mas divertíamos juntos.

Entre os títulos sempre tem aqueles que ficaram mais registrados em nossa memória. O desenho do Rei Leão, foi um desses. Ontem, fomos em família assistir o filme no cinema e, infelizmente, fomos em 4 adultos, pois a caçula está morando fora do país. 

Ali estávamos nós relembrando toda a história e os filhos, já adultos, ali com a gente. Não sei se pelo fato de nos remeter a tantas lembranças, a cada cena recordava daquele leãozinho Simba tão querido e tendo que sobreviver as maldades do seu próprio tio.

O trailer oficial em Inglês.

 

Adoro as músicas do filme, a animação e a história em si. 

O que o filme pode nos mostrar?

Nas primeiras cenas o nascimento, infância de Simba, com a proteção, amor e ensinamento de seu pai. O grande Rei da Selva.

Seu pai o Mustafa, respeitado e rei da selva, passa momentos com seu filho Simba e procura lhe mostrar o seu reino e Simba se identifica ao pai, pela sua beleza, poder e coragem. Mustafa impõe limites ao filho e lhe passa ensinamentos de vida, falando inclusive da perda de pessoas.

Em uma cena olhando para as estrelas, Mustafa lhe fala da possibilidade da morte e lhe fala sobre aqueles que já partiram, mas que estão em algum lugar a observar e cuidar da preservação do ciclo da vida.

Pode-se verificar a formação de Simba que é passado pelo seu convívio com familiares e ensinamentos de seu pai que ficarão por toda a sua vida. A função paterna de Mustafa foi bem feita.

Por mais que os pais tentem proteger os filhos, eles também querem explorar o mundo do seu jeito, tentando descobrir por conta própria aquilo que querem e, nem sempre, os pais estarão por perto para lhe oferecer a proteção.

A Morte de Mustafa 

O irmão de Mustafa, outro leão de nome Scar,  morto de inveja e querendo o lugar e o poder do rei Leão, prepara um plano junto com as maldosas e famintas hienas. Com a voz de um tio carinhoso, seduz Simba levando-o a um desfiladeiro e, no mesmo momento, as malvadas hienas atacam uma manada que disparam para esse lugar.

O pequeno Simba passa por perigos ao correr e tentar escapar do grande estouro dos animais e consegue subir em um galho de árvore, esperando ali para algum possível socorro.

Seu pai Mustafa, um pai protetor, corre para socorrê-lo e ali se machuca muito e consegue colocar o filho em segurança.

Mustafa, agora com graves ferimentos,  se agarra em uma pedra e consegue alcançar o topo  com dificuldade. Ao chegar, estica suas patas e pede a colaboração ao invejoso irmão Scar para que o ajude a sair daquela situação. Scar, aproveita da fragilidade do irmão e o empurra de volta ao desfiladeiro, onde Mustafa chega ao chão já morto.

O tio ao se aproximar de Simba, que esperava algum consolo pela morte do pai, recebe do maldoso tio as palavras que o deixaria derrotado:  “Você é o culpado da morte de seu pai” e pede ao leãozinho que deixe aquele local, pois como ele poderia lidar com essa culpa junto a sua mãe e a todos que amavam Mustafa.

Ao sair correndo desesperado e melancólico, Simba cai do alto de um penhasco, porém consegue sobreviver.

Seu tio não satisfeito com a morte do irmão, ainda queria a certeza da morte do sobrinho e envia as malvadas hienas para certificarem da sua morte e, caso o encontrasse vivo, era para matá-lo.

As hienas ao chegarem perto do precipício entenderam que Simba não havia sobrevivido daquela altura e voltaram com a notícia de que o sobrinho havia morrido.

Essas cenas mostram a inocência de uma criança, diante da maldade de um adulto de confiança plena dos pais, no caso o tio de Simba que, por inveja e sede de poder, usando de manipulação com suas palavras dóceis, engana o sobrinho e o próprio irmão levando-o a morte e, ainda pior, culpabilizando o inocente sobrinho Simba pela morte do seu pai.

A morte do pai, algo difícil de ser elaborado por uma criança e, ainda, com a culpabilização por parte de uma pessoa de confiança, levou Simba a se afastar de todos os seus vínculos familiares e ir elaborar sua dor longe daqueles que amava.

Elaborar uma morte não é fácil, principalmente de uma pessoa tão importante como um pai. O tempo passou e Simba encontra aqueles que serão seus amigos e tentarão fazer com que passe essa fase de sua vida de forma a apagar aquilo que se passou no passado, como se isso fosse fácil. As marcas profundas de sofrimento ficam marcadas e se não elaboradas, elas retornam em qualquer fase da vida adulta.

Adolescência de Simba

Simba, afastado da família, arrasta-se para o deserto. Cansado, triste e melancólico fica praticamente desmaiado naquelas areias quentes. De repente, aparece um javali de nome Pumba e Timon, um animalzinho pequeno que sempre estão juntos a viver a vida despreocupadamente. 

Pumba e Timon ao encontrarem Simba não entende o que estaria fazendo ali um filhote de leão e resolvem ajudá-lo lhe propondo uma nova vida, deixando o passado para trás. Esse estilo de vida que lhe propõem é uma forma de viver sem preocupações o que eles chamam de “Hakuna matata”, uma vida sem regras, preocupações e responsabilidades.

A música Hakuna matata onde diz que os seus problemas você deve esquecer e que isso é viver, na verdade não é fácil assim se defender das suas questões, tentando apagar os problemas como se eles não existissem, pois ali eles estarão a te acompanhar pela vida toda.

Simba não entende muito esse modo de viver, comentando: “mas não foi isso que me ensinaram”, mas meio sem opção resolve aderir a nova forma de viver dos novos amigos, em uma tentativa de defesa de esquecer aquilo que havia ocorrido com ele.

A pior forma escolhida para fugir de sua verdade é negar o ocorrido. Ali ele esquece a sua responsabilidade de um futuro rei e vai levar uma vida despreocupada, como sugerida pelos amigos. Assim, nesse clima, Simba junto aos novos amigos cresce  se tornando um belo leão semelhante a seu pai.

Isso demonstra o que pode ocorrer durante a adolescência, onde é um período que se usa de várias formas para fugir dos problemas, tentando cada um de sua forma e nas mais variadas escolhas para encobrir aquilo que na verdade precisaria ser elaborado.

Em uma determinada noite, quando os três amigos estão contemplando o céu e as estrelas, Simba ao olhar as estrelas vem a sua mente uma perturbação por lembrar dos ensinamentos do seu pai, quando diz que os reis que se foram continuam a cuidar das próximas gerações, dando a continuidade da vida. 

Scar assumiu o poder e junto com as malvadas hienas estavam cometendo um desequilibrio total em seu habitat, já não havia mais comida para todos. É nesse momento que a jovem Nala, que na infância conheceu Simba e desbravaram alguns lugares juntos, resolve sair a procura de uma forma de ajuda.

O reencontro de Nala e Simba

Nala, agora uma jovem leoa, guerreira e inconformada com o domínio de Scar consegue sair de seus olhares e, após atravessar o deserto, inesperadamente encontra Simba. Não acredita no que vê, pois havia tido a notícia de sua morte pelo seu tio Scar.

Nala começa então a contar para Simba tudo o que estava ocorrendo com o reinado de Scar e o sofrimento da mãe de Simba e os demais animais da época de seu pai. Nesse reencontro ela questiona Simba sobre as suas origens e Simba, agora adulto, traz de volta os seus problemas do passado. Ali começa um romance entre os dois e Simba, auxiliado por um macaco Rafiki que lhe entrega um cajado lhe fala sobre as responsabilidades de Simba com seu reino.

O retorno de Simba 

Rafiki leva Simba para a beira do rio, onde ao mostrá-lo na água, o mesmo vê a figura de seu pai. Nesse momento, Simba entende que ali estava a figura dele mesmo, representada como semelhante ao seu pai e caberia a ele salvar aquilo que as gerações anteriores teriam construído.

Simba, com as lembranças dos ensinamento de seu pai, é tomado de uma força e garra e resolve voltar as suas raízes para enfrentar de perto os problemas de seu passado que tentou fugir. Percebe a maldade do tio Scar e volta para lutar com o tio que havia devastado o reinado de seu pai. Vendo a sua verdade, elabora a sua culpa e entende que havia sido vítima da ganância e atrocidades de seu tio.

Agora com força enfrenta seu tio Scar e assume aquilo que era de seu direito. O rei leão Simba, após entender o que havia passado com sua triste história, retoma aquilo que lhe fora roubado. 

Da união de Nala com Simba, nasce o seu filho que continuará as próximas gerações do Rei Leão.

 

Abaixo o trailer oficial do filme em português.

 

 

O filme é para crianças acima de 10 anos, e possibilita refletir sobre os desafios da vida, onde temos que lidar com decepções, mentiras e injustiças,  acreditando que ao final a  verdade e o bem poderá prevalecer, embora se saiba que na vida real nem sempre é assim.

Enfim, se vale a pena ver o rei leão? Acredito que sim, vale muito a pena e quem sabe, você aproveita e vai com a sua família, adultos e crianças juntos ver ou rever essa estória que de certa forma nos remete a refletir a determinadas situações passíveis de existirem no mundo real.

Era isso por hoje.

Obrigada pela sua visita. Você é sempre bem vindo(a) por aqui.

Um abraço.