Biografia, obras e frases do gênio Salvador Dalí

Oi Gente

O objetivo do post de hoje é dividir aqui com você um pouco sobre a biografia, algumas obras e frases do gênio Salvador Dalí, esse excêntrico pintor Espanhol que com sua curiosidade e muito estudo, em várias áreas do conhecimento, trouxe para suas telas as imagens de sua região Ampurdán, na Catalunha, bem como seu interesse pelo sexo, comida e morte.  Saiba um pouco sobre ele por aqui….

Sua infância e juventude

Salvador Dalí nasceu em 11 de maio de 1904, em Figueras, Girona que ficá próximo da Costa Brava Catalã. Dalí já veio ao mundo em uma situação dessas nada interessantes para uma criança, ou seja, substituir um irmão que havia morrido um ano antes de seu nascimento. E o seu nome Salvador, inclusive, foi o mesmo desse seu irmão que já havia morrido. 

Seus pais, Salvador Dalí Cusi era escrivão e sua mãe Felipa Domènech Ferrés, uma amante das artes. Diante dessa tragédia familiar que se refere a perda de um filho, Dalí foi hiper protegido pelos pais e ao mesmo tempo se via como um verdadeiro fantasma de seu irmão.

Aos 5 anos de idade dizia que queria ser um cozinheiro e, aos 7 anos, queria ser como Napoleão I e, com 16, simplesmente dizia que seu futuro já estava definido: “Serei um Gênio”.

Incentivado pela mãe, Salvador Dalí já praticava e mostrava aptidão pelo desenho e pintura, onde se dedicava durante várias horas do dia nessas atividades.

No ano de 1910, com apenas 6 anos, ingressou no colégio hispano-francês de Figueiras e por lá permaneceu durante 06 anos. Foi nesse colégio também que Salvador Dalí pintou a sua primeira tela a óleo “Paisagem (Vista dos arredores de Figueras). Datada de 1910, a obra já demonstrava – e assim seria até o final de sua vida – a profunda afeição pelas paisagens da região catalã de Ampurdán, suas caprichosas formas rochosas e a aridez característica de Cabo de Creus, que seriam temas recorrentes em seus quadros”. p. 13

Dalí e sua irmã Ana Maria

Sua irmã caçula, Ana Maria, nasceu em 1908 e desde pequeno Dalí já ilustrou os contos infantis de sua irmã. Ana Maria seria sua única modelo feminino, antes de conhecer Gala que seria sua esposa e modelo. 

“Personagem a uma Janela” – Obra de Salvador Dalí de 1925

Acima uma de suas obras, onde a irmã serviu de modelo.

1916 – A descoberta do Impressionismo

No ano de 1916, “os pais de Salvador o enviaram para El Molí de la Torre, propriedade da família Pichot nos arredores de Figueras. O artista descobriu ali o impressionismo francês, graças à coleção de Ramón Pichot, um conhecido pintor da época que exerceu grande influência em Dalí.”p. 13

1919 – Exposição de seus primeiros quadros

Foi no Teatro Municipal de Figueras que Salvador Dalí realizou a sua primeira exposição. Hoje o local se tornou o Teatro Museu Salvador Dalí. Já nessa sua primeira exposição recebeu elogios da crítica, a qual acreditava que estavam diante de um futuro grande pintor. “A atividade criativa de Dalí não se limitava à pintura, como ficou demonstrado ao longo de sua vida”. p. 14

Em seu diário pessoal, de 1919-1920 já demonstrava seu interesse pelo ativismo político-radical. Salvador já criticava os pintores clássicos, exceto três: Velázquez, Rafael e Vermeer.

Seu pai o autorizou se dedicar a pintura, desde que concluísse o ensino básico e ingressasse na Academia de Belas-Artes de Madri. “Ali poderia obter o título oficial de professor (…) Em seu diário, escreve como enxergava o seu futuro: finalizar a formação escolar, aproveitar a graduação acadêmica em Madri, ganhar uma bolsa para depois ir a Roma e ‘ao voltar, serei um gênio e o mundo vai me admirar. Talvez seja desprezado e incompreendido, mas serei um gênio, um grande gênio, porque estou seguro disso”.  p. 15

Problemas Familiares

Em fevereiro de 1921 sua mãe Felipa morre repentinamente e, diante dessa dor, entre 1921 e 1923 experimenta uma “frenética atividade criativa e acadêmica (…) participou de várias exposições e concursos”. p. 15

Em Madri, onde residiu na Residência dos Estudantes para dar continuidade de seu percurso nas artes, ingressou na Escola Especial de Pintura, Escultura e Gravura da Real Academia de Belas-Artes de San Fernando e ali, ele já se diferenciava dos demais alunos. Enquanto todos usavam cabelos curtos, com trajes ingleses e seguindo a moda dos anos 20, ele já usava veludo e gravata.

Em 1922 a morte de sua avó materna, Maria Ana Ferré e o casamento de seu pai com a irmã de sua mãe, ou seja, casou-se com a cunhada Catalina Domènech.

Salvador Dalí em foto com os estudantes da Residência – é o da direita na primeira fila – foto 1925

Seu percurso ao caminho da fama

Entre 1922 e 1925 – afasta-se do pontilhismo e familiariza-se com o cubismo de Seurat, Picasso, De Chirico, Braque e Gris.

1923 – É expulso da Academia de Belas-Artes, devido ter protestado pelo fato de Daniel Vázquez Dias não ocupar uma cátedra de desenho.

1924 – Salvador Dalí entra em contato com a obra de Sigmund Freud A Interpretação do Sonhos, que foi publicada na Espanha. “Dalí leu a obra com avidez e aproximou-se da estética do surrealismo. No mesmo ano foi publicado o primeiro Manifesto Surrealista“. p. 16

1925 – Salvador Dalí já é líder das vanguardas que pertencia antes a García Lorca. No mês de maio, em Madri, acontece a Primeira Exposição da Sociedade de Artistas Ibéricos. “Entre os quadros de Dalí, destacam-se Retrato de Luis Bunúel, Banhista, Nu e seis naturezas mortas. A participação de Dalí significou lançar seu nome além da Catalunha.”p. 16

Vênus e um Marinheiro – 1926 – Salvador Dalí

1926 – Acontece a Exposição “Arte Catalã Moderna“, em Madri. Apresentou dois de seus quadros “Personagem a uma janela”e “Vênus e um marinheiro”, com nítida influência de Picasso. Foi apontado pela crítica como um dos pintores mais importantes da exposição.

Salvador Dalí vai a Paris

Salvador Dalí vai a Paris com sua Madrasta e sua irmã e por lá realiza se encontra com Pablo Picasso e o cineasta Bañuel, visitaram o Louvre, a casa -ateliê Millet, Versalhes e após foram para Bruxelas em visita aos Museus Reais.

Volta para Madrid para realizar os exames da Academia, onde se recusou a ser examinado por professores sobre a Teoria das Belas-Artes, por se julgar melhores que aqueles que o iriam avaliá-lo. Essa sua atitude fez com que fosse expulso definitivamente da instituição em outubro de 1926.

Passou um período pintando e seguindo algumas influências até encontrar o seu estilo próprio. “Em 1927, Dalí anunciou ‘uma nova óbita’ estética, situada, de um lado, entre o surrealismo e o cubismo e, de outro, entre a arte primitiva e as influências de Brueghel e El Bosco.” p. 19

Em 1929, Bañuel e Dalí vão para Paris para começar a rodar o filme “Um cão andaluz”e lá Dalí entra em contato com Miró que o introduziu no mundo artístico, onde Dali conheceu Magritte, Arp e o Marchant Camille Goemans com quem assinou um contrato onde Dalí entregaria todas as suas obras em troca de um salário mensal no valor de mil francos. 

Nessa ocasião, fez também um contato com o poeta Paul Eluard e sua esposa Elena Diakanova, conhecida por Gala. Mais tarde, Dalí reconheceria em Gala a anatomia de sua sonhada mulher que serviria como sua modelo e dali nasceria um grande amor por essa que seria sua companheira durante toda a vida.

Devido ao seu envolvimento com uma mulher casada e a uma obra de Salvador Dalí apresentado em Paris: “um litografia do Sagrado Coração”, fizeram com que a tensão aumentasse com seu pai e o pintor acabou rompendo essa relação.

Entre 1929 e 1931 enfrenta dificuldades financeiras devido “a quebra da Galeria Goemans e o desinteresse de seu mecenas habitual, o Visconde de Noailles, pelo surrealismo“. p. 22

Dalí vai para os Estados Unidos

“No início dos anos 1930, Dalí conheceu um grupo de milionários americanos, entre os quais o casal Caresse e Harry Crosby e os irmãos Julien e Anne Green, com quem manteria longa amizade. Anne Green propôs a operação Zodíaco para financiar Dalí e Gala: cada colecionador, em um total de 12, colaboraria com o pintor em determinado mês do ano e poderia escolher o quadro de sua preferência”. p. 24

Em 1934, Salvador Dali casa-se com Gala e no mês de novembro os dois viajaram para os Estados Unidos, “graças a um empréstimo nunca devolvido a Picasso”. p. 24

Nos Estados Unidos, em uma exposição Dalí conseguiu vender 12 quadros com preços elevadíssimos e, a partir daí, percebeu que o surrealismo poderia representar “uma revolução espiritual” na América. 

Quando retorna dos Estados Unidos, se instala em Port Lligat. No ano de 1935, publica “A conquista do irracional, obra traduzida para o inglês e começou a pintar óleos de técnica realista com elementos oníricos e reais.”. p. 25

Na América havia o interesse crescente pelo surrealismo e o Museu de Arte Moderna de Nova York organiza uma exposição sobre dadaísmo e surrealismo, onde Dalí foi o foco das atenções, sendo capa da Revista Times. Foi lá, em Nova York que ele fez a seguinte declaração: “A única diferença entre um louco e mim é que eu não estou louco”. p. 25

Dalí pintando seu quadro “Rosto da Guerra”

Salvador Dalí inicia intensa atividade entre a Europa e América. Impossibilitado de viver na Espanha em virtude da Guerra Civil, alternou residência entre Itália e França. “Em Roma, onde morou temporariamente, interessou-se pelos mestres renascentistas, que exerceriam influência decisiva na fase seguinte de sua obra”. p.25

Em 1939 a guerra na Espanha chega ao fim e Dalí e Gala já haviam abandonado a Itália. “Em Londres, visitou Freud, cuja teoria foi determinante para os artistas da época, principalmente para os surrealistas, que exploravam o inconsciente e as manifestações do sonho e da imaginação como matéria-prima para suas obras”. p. 25

Salvador Dalí foi acusado por Breton em Paris de apoiar o racismo e o expulsou do movimento surrealista e “criou um acrônico com seu nome: Avida Dollars, por ter “vendido a arte”. O anúncio pouco afetou Dalí que nunca escondera seu apreço pelo dinheiro. Após a expulsão do grupo, o artista catalão disse: “O surrealismo sou eu”. p. 25

Fama e Fortuna

O casal Dalí e Gala viveram nos Estados Unidos durante quase 9 anos e lá o artista progrediu em sua pintura: “desenhou jóias a partir de seu universo onírico; fez retratos de artistas, intelectuais e empresários; decorou jardins, casas e palcos; montou balés; decorou vitrines; ilustrou revistas; aproximou-se de Hollywood e organizou festas grandiosas que se tornavam perfeitos exemplos do happening cultural como ato de autopromoção”. p. 26

Durante esse período, uma vez por ano, participava de exposições em museus conceituados bem como em grandes galerias de arte. De acordo com Dalí ele e sua esposa eram uma equipe, levando ao artista a assinar durante algum tempo seus quadros como “Gala Salvador Dalí”. 

O artista acompanhava os avanços científicos de seu tempo e mergulhou no estudo das religiões, principalmente no catolicismo. Segundo ele, “o mais subversivo para um surrealista é converter-se em místico e saber desenhar”. p. 27

Aos 38 anos, no ano de 1942, Dalí publica “A vida de Salvador Dalí”, onde declarou que nunca apoiou nem Lenin e nem Hitler por ser “Daliniano” até o dia de sua morte. 

No ano de 1948, Dalí e Gala que agora também era sua Marchant retornaram para Port Lligat, na Espanha e o pintor agarrou ao Franquismo o que lhe render várias críticas. Ignorando as opiniões alheias ele e sua esposa viveram até a sua morte em Port Lligat, saindo de lá durante o outono e inverno para Paris e Nova York.

Salvador Dalí, diferente de vários artistas que são reconhecidos após a sua morte, o mesmo desfrutou de sua fama em vida. “Seu primeiro museu foi inaugurado em Cleveland, nos Estados Unidos, em 1971, (…) o qual foi transferido posteriormente para St. Petersburg”. p. 29

Em 1974, foi inaugurado oficialmente em Figueras, sua terra natal, o Museu Dalí, após várias negociações para transformar o teatro Figueras que fora destruído parcialmente durante a Guerra Civil Espanhola. “Sua casa em Port Lligat e o Castelo de Púbol, que o artista deu de presente a Gala, também se tornaram museus”. p. 29

No ano de 1982, morre Gala sua esposa levando o artista a uma profunda depressão. “Dois anos depois, sofreu graves queimaduras após um incêndio no Castelo de Púbol. Passou a viver em Torre Galatea, no Museu-Teatro de Figueras. Ali permaneceu até sua morte, em 23 de janeiro de 1989”. p. 29

Algumas de suas obras

No período de 1921 a 1928, Salvador Dalí estava em busca de um estilo próprio. Assim, observava os demais artistas de sua época e aos poucos foi absolvendo algumas características de cada um deles. Ele dizia que “Aqueles que não querem imitar nada não produzem nada” e, assim, através de suas obras pode-se observar a sua evolução, através de inspirar-se em outros estilos de arte, até o momento em que adquiriu seu próprio estilo inconfundível.

1923 – Auto Retrato com L’Humanité – Aquarela, óleo e colagem sobre cartão 105 x 74 cm

Essa obra se encontra na Fundação Gala-Salvador Dali, Figueras (Espanha) n. cat. 113

Salvador Dalí pintou vários auto-retratos durante sua trajetória artistica, refletindo sua personalidade narcísista. “O fato de Dali estar com vestimenta de operário neste auto-retrato não é casual. Além de ter sido leitor e assinante do jornal comunista francês L’Humanité desde 1921,  pintor integrou o grupo político radical em Figueras chamado Renovação Social, que até chegou a editar a própria puplicação. O engajamento político fez parte de sua vida no primeiro ano de estudos em Madri”. p. 36

 

1925 – Retrato de me pai – Óleo sobre Tela – 104,5 x 104,5 cm

Museu Nacional d’ Art de Catalunya, Barcelona (Espanha) ( n cat. 159)

“Em Retrato de Meu Pai, Dalí também se inspirou em artistas contemporâneos, como Picasso, que havia experimentado uma nova forma de classicismo em seus desenhos pós-cubistas. Nessa obra, Dalí empregou o realismo clássico, combinando a linearidade com tratamento tonal da cabeça. (…) refletiu a forte personalidade do pai apenas com o olha. Cabe lembrar que ao longo dos anos, ambos mantiveram uma relação turbulenta”. p. 38

No período de 1929 até 1938, Salvador Dali conhece os surrealistas em Paris e concebe seu primeiro quadro surrealista: O jogo Lùgubre. Nesse período de grande produção artística, Hitler, Lenin, Angelus, de Millet e as paisagens de sua terra aparecem em seus quadros.

1929 – O jogo lúgubre – Óleo e colagem sobre cartão 44,4 x 30,3 cm

Coleção Particular (n cat. 232)

Esse trabalho de Salvador Dalí é considerado uma das primeiras obras surrealistas e “foi o poeta Paul Éluard quem sugeriu o título da mesma”. p. 46

1931- Persistência da memória – Óleo sobre tela 24,1 x 33cm

The Museum of Modern Art (MOMA), Nova York (Estados Unidos) – Doação anônima em 1934 (n. cat. 265)

Após se fartar de queijo camembert em Port Lligat, Dalí voltou ao ateliê “e se fixou na paisagem que deveria servir como marco para uma nova idéia ainda pouco clara. A cena é crepuscular, com formas rochosas da costa catalã e uma oliveira sem folhas. (…) A lembrança do queijo inspirou Dalí a pintar os relógios derretidos: um, que parece extenuado, está pendurado no galho da oliveira; outro está apoiado sobre um corpo amorfo; e outro desliza de uma parede rochosa para o chão. Os três relógios são acompanhados de um relógio duro e coberto de formigas”. p. 54

 

1941 – Auto-retrato mole com toucinho frito – Óleo sobre tela – 51x51cm

Fundação Gala-Salvador Dali, Figueras (Espanha) ( n. cat. 200)

“Dali comentou que essa obra é um auto-retrato “antipsicológico”. Ou Seja, em vez de pintar a alma do artista, ‘pintei apenas o exterior, o invólucro, a luva de mim mesmo’. (…) A tela apresenta mais uma vez um série de muletas que, desta vez, sustentam o próprio rosto e impedem o desabamento da estrutura. As muletas, por sua vez, são linhas verticais que se confrontam às formas curvas.  Embora o rosto seja flácido, seu característico bigode se mantem ereto, apontando para o céu. Isso pode estar ligado a importância que Dalí conferia ao bigode e sua imagem pessoal, tão trabalhada para se diferenciar e ressaltar a sua importância”. p. 66

1946 – A tentação de Santo Antônio – Óleo sobre tela – 197 x 249,4 cm

Musées Royaux des Beaux-Arts de Belgique, Bruxelas (Bélgica) (nº cat.212)

No ano de 1946, Dalí participou de um concurso para um filme baseado no romance Bel Ami, de Guy de Maupassant, onde o tema seria inspirado na Tentação de Santo Antônio, onde o seu trabalho não foi vencedor, porém essa sua obra ganhou fama mundial.

“Elefantes carregam uma série de figuras de conotação sexual: uma mulher nua sobre um pedestal; um obelisco em um templo de prazer. Das nuvens emergem as alucinações de Santo Antônio. Armado com uma cruz, o santo detém as visões. O triunfo do bem surge, à direita, com El Escorial, o mosteiro que, para Dalí, simbolizava a força da ordem divina”. p. 74

Cabeça rafaelesca arrebentada (1951) – Óleo sobre tela 43x33cm – se encontra em Edimburgo (Grã-Bretanha) no Museu Scottish National Gallery.

1950 – A madona de Port Lligat – Óleo sobre tela 366 x 244 cm

Fukuoka Art Museum, Fukuoka (Japão) (n. cat. 215)

Salvador Dalí, em um artigo publicado no ano de 1949, disse que, em virtude da invenção da fotografia, a arte moderna estava obsoleta e para que a pintura sobrevivesse seria necessário retornar aos mestres do Renascimento.

“Por meio do estilo que Dalí chamou de místico-nuclear, com a desmaterialização de figuras e objetos, que flutuam no espaço, para demonstrar a ausência de gravidade e a divisibilidade da matéria”. p. 78

1960 – A propósito de “Discurso sobre a forma cúbica”de Juan de Herrera – Óleo sobre tela – 59,5 x 56 cm

Coleção particular

O famoso arquiteto e matemático Juan de Herrera foi o responsável pela famosa construção Real Mosteiro de San Lourenzo de El Escorial, um enorme complexo arquitetônico próximo a Madri. Herrera definia seu estilo como “herreriano”e que dominou a arquitetura espanhola durante quase um século.

“Nos anos 50, Dalí descobriu o texto “Discurso sobre a forma cúbica”, de Juan Herrera, que não havia sido publicada em vida. O texto buscava explicações singelas sobre as tendências harmônicas do escritor e filósofo Ramon Llull, de quem era admirador. Herrera se baseou nas duas definições de Euclides sobre o cubo – construção geométrica e resultado de um processo mulplicativo – que Dalí mostrou nessa tela. (…) O simbolismo foi ressaltado no quadro de Dalí, que criou dois cubos suspensos. Estes flutuam sobre uma paisagem que evoca a serra de Guadarrama, onde está construído El Escorial”. p. 90

1963 – Retrato de meu irmão morto – Óleo sobre tela 175x175cm

Salvador Dali Museum, St. Petersburg (Estados Unidos) (nº cat. 240)

Somente aos 59 anos Salvador Dalí faz um trabalho com referência ao seu irmão, embora em vários momentos ela tenha admitido sua obsessão pelo irmão morto. Os pontos que aparecem no retrato são todos realizados com cerejas vermelhas e pretas, outra obsessão de Dalí. “O rosto do irmão foi feito com cerejas pretas, enquanto as vermelhas formam o rosto do pintor. Assim, o artista retomou suas imagens duplas, compondo um retrato que não é apenas o de seu irmão, mas ao mesmo tempo, é um auto-retrato. (…) Seja como for, o “fantasma”cresceu com Dalí, adquirindo formas e tamanhos, como alguém que vive na sombra. Nota-se ainda a orelha ensangüentada, o que poderia vinculá-lo a Van Gogh. Este, assim como Dalí, teve um irmão morto e com o mesmo nome”. p. 92

Salvador Dalí mergulhou em um mundo de criação artística experimentando diferentes técnicas e estilos das mais inovadoras as mais clássicas, em busca de expressividade plástica em diversas áreas, explorando além de suas pinturas, sua força comercial ao desenhar jóias, perfumes, decoração, escultura, desenho de figurinos para cinema, teatro e dança e demais áreas do mundo das artes.

Algumas frases de Salvador Dalí

“O desenho é a honestidade da arte. Não há como se enganar: ou é bom ou é ruim”.

“O verdadeiro pintor é aquele capaz de pintar cenas extraordinárias em meio a um deserto vazio. O verdadeiro pintor é aquele capaz de pintar pacientemente uma pêra cercado dos tumultos da história”.

“O sonho é uma monstruosidade porque ao dormir o homem é capaz dos crimes mais horríveis. Para que esse sonho seja possível necessita-se de um sistema de muletas que reside no equilíbrio psíquico. Se uma delas se quebra, logo sobrevem o despertar. Diante de tudo, a nave de nosso sonho desaparece na distância”.

“A cada manhã ao acordar, sinto um prazer supremo; o prazer de ser Salvador Dalí”.

“O termômetro do sucesso é meramente a inveja dos descontentes”.

“Não me dê conselhos, sei errar sozinho”.

“Você tem que criar a confusão sistematicamente, isso liberta a criatividade. Tudo que é contraditório cria vida”.

“Não se preocupe com a perfeição – Você nunca irá conseguí-la”

“Eu vou ser tão breve que na verdade já terminei”.

“Se falam bem ou mal, o mais importante é que falem de mim, embora eu confesso que gosto mais que falem mal, porque isso significa que as coisas estão indo muito bem para mim. Dos medíocres não falam nada, mas quando falam só dizem maravilhas”.

Alguns lugares onde poderão ser vistas as obras de Salvador Dalí

1- Fundação Gala Salvador Dalí

“Salvador Dalí e sua esposa deixaram todo o legado ao Estado espanhol, que se concentra, fundamentalmente, no Teatro-Museu Dalí, de Figueras. Perto dali encontram-se outros centros com coleções importantes, também geridos pela Fundação Gala-Salvador Dalí: a Casa Museu Salvador Dalí, em Port Lligat, e a Casa Museu Castilho Gala-Dalf, em Púbol.”

Fundação Gala-Salvador Dalí

Torre Galatea

Pujada del Castell, 28

17600 Figueras – Espanha

www.salvador-dali.org

2- Salvador Dalí Museum

1000 Third Sreet South

St. Petersburg, Flórida – Estados Unidos

www.salvadordalimuseum.org

3 – Museu Nacional Centro de Arte Reina Sofia

Calle Santa Isabel, 52

28012 Madri, Espanha

www.muscoreinasofia.es

4 – The Museum of Modern Art

11 West 53 Street, entre Fifth e Sixth Avenues

Nova York, NY 10019-5497 – Estados Unidos

www.moma.org

5 – Museu da Chácara do Céu

R.Murtinho Nobre, 93, Santa Teresa

Rio de Janeiro, Brasil

www.museucastromaya.com.br/chacara.htm

 

Enfim, penso que Salvador Dalí realmente atingiu seu objetivo de ser um gênio. Estava a frente de seu tempo.
Um artista que despertou e desperta o interesse entre os jovens e pessoas de todas as idades e culturas.
Dalí soube direcionar suas questões existenciais e sofrimento em uma busca constante de respostas através de
sua arte. 
 O que não podemos negar é que o artista Salvador Dalí deixou sua marca no mundo das artes e se o mesmo
procurava um estilo próprio acredito que atingiu o seu estilo único.

Era isso por hoje.

Obrigada pela sua visita. Você é sempre bem vindo(a) por aqui.

Um abraço.

 

Referências:

Coleção Grandes Mestres da Pintura – Coleção Folha – número 13 – A Coleção Folha Grandes Mestres da Pintura é uma obra original de: Editorial Sol 90, S.L. Barcelona (Espanha) – com a coordenação de Joan Ricart.