Você sabe o que é mesmerismo?

Oi Gente

O objetivo de post é trazer aqui para você sobre esse assunto: O que é mesmerismo? Talvez, você possa nunca ter ouvido falar ou se já conhece, você acredita nisso? Saiba um pouco por aqui…

Franz Anton Mesmer

O termo mesmerismo está relacionado a Franz Anton Mesmer, que viveu no período de 1734 a 1815. Mesmer foi um médico, formado pela Universidade de Viena no ano de 1766, montando logo em seguida seu próprio consultório.

Mesmer frequentava a alta sociedade de Viena, devido ter se casado com sua esposa com nível econômico bem elevado. Foi, inclusive, amigo do famoso compositor Wolfgand Amadeus Mozart.

Médico e pesquisador Mesmer se interessava pelos avanços da ciência de sua época, como as descobertas de forças como a eletricidade e o magnetismo. Acreditando na força do magnetismo Mesmer acreditava que se determinadas forças estivessem mal alinhadas, isso afetaria o resultado da saúde do ser humano, podendo trazer uma má saúde tanto física quanto mental. Assim, Mesmer “descobriu que era possível ajudar muitos de seus pacientes, principalmente os que sofriam de distúrbios de origem psicológica, prescrevendo-lhes remédios que continham altas doses de ferro e, em seguida, passando imãs sobre seus corpos. (…) denominou sua teoria da doença e da cura de magnetismo animal“. p. 418

Como tratava os pacientes com essa técnica?

Após o uso dos imãs, Mesmer percebeu que poderia produzir a cura sem a utilização dos mesmos, utilizando-se para isso apenas a sua própria mão “começou a tratar os pacientes passando as mãos sobre eles. Além disso, massageava os nervos das partes do corpo ou problemas (por exemplo: um braço aparentemente paralisado) e sugeria que as coisas iriam melhorar. Às vezes, colocava a mão sobre o estômago e outra sobre a cervical do paciente a fim de ‘saturar o tronco com fluido magnético‘. p. 419

Aos poucos Mesmer percebendo um certo êxito no seu tratamento, principalmente com a maioria de seus pacientes que era do sexo feminino, começa a chamar a atenção e provocar a fúria da comunidade médica conservadora de Viena e, assim, no ano de 1777, no mês de maio, foi expulso do corpo docente da faculdade de medicina da Universidade de Viena e proibido de continuar a exercer essa prática na cidade.

 Mesmer em Paris

Mesmer acreditando encontrar um ambiente de mentalidade mais aberta em Paris, resolve então abrir seu consultório naquela cidade e assim o faz em 1778.

Aos poucos, o seu consultório já apresentava fila de espera para uma consulta. Foi então que, em um bairro nobre de Paris, em uma clínica Mesmer cria o baquet de Mesmer para atender as pessoas em grupo, devido a alta procura pelo seu tratamento.

O que era esse baquet? 

“O baquet era uma espécie de baú de madeira onde se guardavam várias substâncias químicas, no qual havia varinhas de ferro voltadas para todas as direções. Os pacientes davam-se as mãos em volta do baquet enquanto Mesmer, que geralmente envergava um guarda-pó lilás, circulava entre eles, incentivando a entrar no estado de crise. Não faltavam gemidos e desmaios, e sem dúvida muita gera era influenciada por uma espécie de contágio grupal. Quando a crise coletiva passava, os pacientes se recompunham, diziam sentir-se muito melhor e saíam da clínica falando maravilhas do tratamento”. p. 419

Em Paris a fama do médico foi se espalhando e se obtinha resultados principalmente com pacientes que apresentavam sintomas conhecidos, hoje,  como psicossomáticos (dores de cabeça, desmaios, problemas digestivos, por exemplo).

O tratamento aos menos favorecidos

Uma grande maioria de pacientes que queriam se tratar com Mesmer não tinha condições econômicas para pagar os tratamentos, foi aí então que o médico resolveu magnetizar um carvalho, situado em um parque de Paris, “para que os necessitados pudessem ir até lá e beneficiar-se um pouco do tratamento segurando as cordas que ele havia prendido na árvore”. p. 419

O movimento em torno da técnica do mesmerismo foi aumentando e, assim como em Viena, a comunidade médica, através de uma comissão da Real Academia de Ciências da França começou a investigá-la. Foi o famoso Benjamin Franklin, cientista, pioneiro do estudo de eletricidade e inventor do para-raios e embaixador dos Estados Unidos na França, foi quem chefiou essa investigação. Nessa comissão, também faziam parte Lavoisier, químico e descobridor do oxigênio e, ainda, Joseph Guillotin, o médico que mais tarde inventaria a guilhotina, aquele “dispositivo de execução que aplicava criativamente os princípios gravitacionais de Newton ao movimento de queda acelerada de uma lâmina de aço”. p. 420

Em 1784, o relatório final elaborado pela comissão francesa de Franklin chegou a conclusão que esse tipo de terapia de Mesmer não tinha um fundamento científico.

Apesar de reconhecerem que o tratamento que ficou conhecido como mesmerismo ter apresentado resultados positivos e ajudado alguns pacientes, “a comissão acertadamente atribuiu as possíveis curas às crenças destes, e não aos poderes “magnetizantes”do médico”. p. 420

O médico Mesmer ignorou o relatório e no ano de 1792 deixou a França e foi viver alguns anos na Inglaterra e na Alemanha e continuou a trabalhar com o mesmerismo até o final de sua vida no ano de 1815.  De certo modo, Mesmer, sem mesmo saber, estava demonstrando o poder da sugestão sobre o comportamento humano o que mais tarde seria rebatizado como hipnose. No post abaixo saiba um pouco sobre a hipnose:

As 3 fases iniciais da psicanálise

Enfim, vale lembrar que nessa época a técnica de Mesmer foi utilizada inclusive para a realização de algumas cirurgias, como forma de obter menos dor aos pacientes, uma vez que não existia, como hoje, a anestesia. E aí, você acredita nisso?

Era isso por hoje.

Obrigada pela sua visita. Você é sempre bem vindo(a) por aqui.

Um abraço.

 

Referências:

Imagens disponibilizadas pelo Pinterest

GOODWIN, C. J – História da Psicologia Moderna – Tradução Marta Rosas – 4 ed. – São Paulo: Cultrix, 2010