O céu e o inferno da Moda, para ele e para ela, segundo Glória Kalil

Oi gente

O post de hoje tem como objetivo dividir, aqui com você, sobre um capítulo de um livro da Glória Kalil, Chiquérrimo, onde a autora dá dicas interessantes, sobre “O céu e o inferno da Moda”. Sendo assim, colocarei na íntegra o que a autora escreveu a respeito. ok? 

Ter um ideia sobre assuntos de vestuário e,  aprender com quem entende do assunto, nos possibilita pelo menos pensar um pouco a respeito e, quem sabe, colaborar para que se possa se sentir mais seguro nas suas escolhas. Afinal, todos os dias os seres humanos precisam lidar com isso, ou seja, o que vou vestir hoje?

Apesar de alguns negarem o interesse sobre esse assunto, não tem como fugir da realidade que é ter que se vestir e, em diferentes ocasiões, onde é preciso se apresentar na sociedade,  a escolha pode gerar muitas dúvidas tanto para os homens quanto para as mulheres. Então convido você a essa leitura …

O post é uma reprodução na íntegra, ou seja todas as palavras são de Glória Kalil, a respeitada estilista de moda, do nosso país. Li e gostei e resolvi trazer aqui no blog para que você possa também saber a respeito.

Ela escreve sobre esse assunto tanto para os homens, quanto  para nós mulheres.  Segundo ela, “Moda é oferta. Estilo é escolha. Escolha só o que mais combinar com a sua vida, sua idade, seu caráter. Seja um chiquérrimo! Inimitável. Ter estilo é isso. Crie o seu e use a moda a seu favor”(Glória Kalil) – Legal né?

Como ela define Céu e Inferno da Moda?

 Céu: “roupas, acessórios e jeitos de se enfeitar que a gente abençoa todas as vezes que voltam à moda. Na verdade, eles nunca saem do guarda-roupa de uma pessoa de estilo”.

Inferno: “roupas, acessórios e outros itens que sempre causam arrepios quando estão na moda”.

O céu e Inferno da moda para as mulheres

 

 

Céu

  • camiseta branca com listras azuis, tipo marinheiro 
  • camisa branca A democrática camisa branca
  • cashmere
  • blazer
  • tweeds em geral
  • jaqueta jeans
  • pretinhos em geral (Mulheres que usam preto levam uma vida colorida)
  • jeans normal, cinco bolsos, sem enfeites
  • quimono
  • paetês
  • pérolas
  • brilhantes
  • brincos de argola
  • óculos escuros
  • bijuterias enormes
  • biquini com sutiã cortininha
  • biquíni com calça de lacinhos nas laterais
  • cangas
  • sacolas de palha – grandes, do tipo cesta, para uso urbano
  • salto alto
  • sandálias e sapatos extravagantes

    Inferno

  • Bleu + blanc + rouge (tem coisa mais chata?)
  • Bege + marrom + musgo (tem coisa mais triste?)
  • estampa de zebra
  • look feminino com gravata usada como se fosse homem – a sério
  • look militar: não dá muito certo para sul-americanos. Só se justifica na ignorância beatífica dos jovens a respeito das más lembranças do regime militar. Além do mais, verde-oliva é péssimo.
  • ouro em excesso
  • roupas e acessórios em macramê
  • roupas e acessórios muito artesanais – como blusas, gorros ou echarpes de lã que pinicam, que nunca servem direito e caem mal, mesmo que feitos à mão com todo amor
  • ombreiras
  • mangas curtas bufantes para qualquer mulher com mais de 8 anos
  • biquíni asa-delta
  • tailleur de mangas curtas
  • calça baggy
  • calça clochard(lembra?, aquela que além de ter a cintura alta é amarrada como um saco)
  • calça de moletom
  • calça fusô
  • acessórios jeans (bolsas, sapatos, cintos, botas)
  • sapato branco tipo margarida
  • cópia de sapato chanel bicolor (é, ele mesmo)
  • bota branca (a menos que seja uma Courrèges espacial)
  • mules
  • sombras azuis e verdes para olhos
  • todos os cabelos que foram usados nos anos 1980

O céu e o inferno da moda para os homens

 

Céu

  • tweeds em geral (inclusive as lãs xadrezes, principalmente para blazers avulsos)
  • ternos bem cortados e de bom tecido
  • o look blazer com jeans
  • blazer marinho
  • blazer ou calça de veludo cotelê
  • camisa branca
  • gravatas listradas
  • suéter preto de gola rulê (dá ares de inteligência)
  • suéter de cashmere com cheirinho de bom perfume
  • calça cinza de flanela
  • jeans azul, o tradicional five-pockets
  • quimono – em vez de roupão
  • parca ou impermeável

Inferno

  • roupa transparente
  • roupa de tecidos que brilham
  • safári – esqueça! Nem na África ele será bem vindo
  • terno com cores de frutas: goiaba, banana, uva, limão, abacate, kiwi, etc.
  • colarinho pontudo sobre o paletó, estilo John Travolta em os Embalos de Sábado à Noite
  • fourlard
  • camisa de seda
  • camisa de voil estampada
  • camisa com mangas bufantes, tipo pirata
  • camisa creme (deixa o brasileiro pálido. Use branco)
  • camisa do tipo regata (longe de um remo ou de um esporte)
  • calça justa com pata-de-elefante – aquele pavor dos anos 1970
  • short de tecido com cinto
  • macacão
  • sapato cinza, azul, verde-musgo
  • sapato com plataforma
  • meias brancas (com roupa social)
  • bolsa capanga, estilo polícia federal dos anos 1970
  • pochetes de couro, náilon, lona, etc
  • botas de caubói quando não se está na fazenda
  • sapatos de couros exóticos ou desenhados – tipo craquelê, de cobra, de avestruz (a menos que você seja o David Bowie, que pode tudo)
  • perucas
  • cabelo tingido para esconder os brancos
  • costeleta à la Elvis
  • boné virado para trás se você tem mais de 18 anos

 

Enfim gente, essas são algumas dicas da Gloria Kalil, as quais separou como céu e inferno da moda. Mas, nada impede que você queira manter alguma das peças do inferno que ela denominou por aqui, se isso lhe agrada. Afinal as escolhas são suas.

Era isso por hoje.

Obrigada pela visita. Você é sempre bem vindo(a) por aqui.

Um abraço.

 

Referência: KALIL, G. – Chiquérimo – p. 144-152 – Ed. Agir.