Dica de Filme: Spider desafie sua mente

Oi Gente

A dica de filme que trago aqui para você, caso ainda não tenha assistido, é Spider desafie sua mente. Se você gosta de filmes que trazem questões para que você possa refletir, principalmente em se tratando de assuntos relacionados a saúde psíquica das pessoas, acredito que vá gostar desse. Saiba um pouco por aqui…

Sinopse:

O filme do diretor canadense David Cronenberg, do ano de 2002, conta a história de Spider (assim como era chamado por sua mãe, por se referir ao gosto do menino de tecer teias de aranha em seu quarto). Spider adulto, representado pelo ator Ralph Tiennes, após sair de um internamento psiquiátrico, ingressa em uma casa, onde são encaminhados pessoas com algum problema relativos a saúde mental.

O menino Spider, agora Sr. Dennis Cleg, se instala em um quarto, com alguns pertences e muito solitário, começa a escrever em seu diário, com uma escrita única criada por ele, momentos revividos de sua infância. Spider agora regressa aos lugares onde passou a sua infância e vai reviver cenas familiares, onde busca entender o trauma da morte de sua mãe, bem como a substituição da mesma pela escolha de seu pai em colocar nesse lugar a sua “nova mãe” uma prostituta. As sua lembranças serão mesmo reais ou delírios que foi a forma que ele vem encontrando para elaborar questões vivenciadas em sua infância? 

É um filme muito comentado e interessante para os profissionais da área da saúde mental. Lembrando que todo filme é uma ficção, onde alguns críticos o definem como um caso de esquizofrenia. Eu diria que o que ele pode nos revelar é que na relação parental, quando da formação psíquica do sujeito, as cenas, acontecimentos e traumas da infância, não podendo ser bem elaborados pela criança em formação, poderá sim estar relacionado ao desenvolvimento futuro de problemas mais sérios nas doenças relacionadas à saúde mental, passando da neurose para uma psicose.

Por acreditar na singularidade do sujeito, onde cada ser humano é único, temos que cuidar muito com essa questão de diagnóstico onde vão colocando o sujeito em determinados estigmas, sem contudo lhe oferecer melhores opções e créditos na possibilidade de uma melhora. 

Sendo assim, é preciso acreditar na possibilidade de tratamentos, não somente medicamentosos, para aqueles que estão passando por situações e comportamentos, ditos como “anormais”. Com amor, paciência, dedicação e busca constante de um melhor tratamento, por profissionais qualificados, é possível, se não reverter totalmente um diagnóstico, pelo menos tratar para que a pessoa possa estar inserida no meio social, apesar de algumas limitações que possa ter. Lembrando sempre que por trás de um “diagnóstico” há um ser humano em sofrimento.

O filme está disponibilizado no Youtube.

Era isso por hoje.

Obrigada pela sua visita. Você é sempre bem vindo(a) por aqui.

Um abraço.