A origem da árvore de Natal e 17 imagens para você se inspirar

Oi Gente

Estamos próximos de mais uma comemoração do Natal e é comum as famílias em suas casas decorá-las, nessa época, com artigos natalinos cheios de símbolos relacionados ao nascimento de Jesus Cristo, na cultura cristã.

Um dos pontos centrais dessa preparação para a espera do Natal é a montagem de uma árvore, com todos os enfeites que ali são colocados, alegrando o ambiente enquanto se espera o dia 25 de dezembro. O que significa, especificamente, a árvore de Natal? …

A data de 25 de dezembro, escolhida como o dia do nascimento de Jesus, também apresenta algumas divergências. Nesse site tem algumas informações sobre esse fato e já fiz um post por aqui a respeito:  

https://super.abril.com.br/historia/cristo-nao-nasceu-no-natal/

Natal e a data de 25 de dezembro

Sobre a simbologia da árvore

A simbologia da árvore esteve ligada ao ser humano desde tempos remotos. Entre os celtas, por exemplo, “o culto do carvalho pelos druidas é bastante conhecido; em Uppsala, a velha capital religiosa da Suécia, havia um bosque sagrado onde todas as árvores eram consideradas divinas; os eslavos cultuavam árvores e bosques sendo que esse culto ocupava uma posição de destaque entre os cultos druidas e lituanos”. 

É comum também se referir a essa árvore como o pinheiro de Natal, mas o que poucos sabem é que a origem do pinheiro não está diretamente ligado ao mundo cristão. Na realidade, a sua origem se deu através de uma celebração pagã.

 

Os povos germânicos, há muitos séculos, tinham o costume de celebrar o solstício de Inverno no dia 21 de dezembro, e para essa celebração usavam um pinheiro.

De acordo com a mitologia desses povos, o pinheiro tinha como função lembrar aos homens sobre o fato da natureza não estar morta durante o inverno, uma vez que esse tipo de árvore  se mantinha verde mesmo nessa época onde as demais árvores se mostravam sem folhas e, ainda, o verde representava a energia vital e a sua presença simbolizava o início para um novo ciclo de vida.

Quando o cristianismo se expandiu pela Europa, a festa comemorada no dia 21 de dezembro acabou sendo adaptada pelos cristãos, trazendo o pinheiro para dentro de suas casas e com alguns enfeites foi se transformando em uma árvore de Natal.

No final do século XVI, o pinheiro de Natal “era enfeitado com grinaldas de flores de papel e nozes prateadas ou douradas. Era costume também enfeitar as árvores com guloseimas para as crianças que se comportassem bem”. Nos Estados Unidos, atualmente, ainda é comum algumas árvores serem enfeitadas com guloseimas, que são misturados a outros adornos de Natal.

Com o passar dos anos esse costume foi se espalhando. No século XIX, por exemplo, os Alemães começaram a fabricar ornamentos em vidro soprado para decorar as árvores de Natal.

São várias as histórias que se contam sobre esse costume e para quem se deve a origem real do uso da árvore de Natal.  Para citar mais um exemplo, os povos germânicos durante o século XVII e XVIII por tornar esse hábito bem popular, atribuíram a Martinho Lutero, fundador do protestantismo, a criação da Árvore de Natal.  Segundo a lenda germânica, Lutero “ao passear durante uma noite limpa pela floresta, observou o efeito das estrelas no topo das árvores e trouxe essa imagem para a sua família na forma de uma árvore com uma estrela no topo e decorada com velas”. http://origemdascoisas.com/a-origem-da-arvore-de-natal/

Os americanos dizem ser os pioneiros a decorar uma árvore de Natal e praça pública, quando a sua primeira iniciativa foi realizada em New York no ano de 1912. Mas, na realidade, no ano de 1906, na Finlândia em uma vila chamada Pietarsaari, os seus moradores já tinham tido essa ideia de iluminar um grande pinheiro em sua praça pública.

A Lenda do Pinheiro de Natal

Pesquisando aqui vários sites sobre a origem dessa tradição encontrei essa lenda do Pinheiro de Natal que achei legal dividir com você.

Conta uma antiga lenda que quando o Menino Jesus nasceu, todas as pessoas e os animais e até as árvores sentiram uma imensa alegria. Do lado de fora do estábulo, onde o Menino nasceu e onde, nos dias seguintes, dormia sossegadinho, estavam três árvores: uma palmeira, uma oliveira, e um pequeno pinheirinho.

Todos os dias as pessoas dos arredores do estábulo passavam e deixavam os seus presentes ao Menino. Ao verem a generosidade daquelas pessoas, as três árvores disseram umas para as outras:

– Nós que vivemos aqui ao lado, também, Lhe devíamos dar prendas!

– Eu vou dar-Lhe a minha folha mais larga – disse, de imediato, a palmeira. – Quando vier o tempo do calor ele poderá abanar-se com ela e sentir-se mais fresco.

Por sua vez, a oliveira disse:

– E eu vou dar-Lhe o óleo que retiro dos meus frutos, para que ele seja ungido com ele e se torne forte e saudável.

– Mas que lhe poderei dar eu? – Perguntou, ansioso, o pequeno pinheiro.

– Tu? Tu não tens frutos oleosos e as tuas folhas são agudas e picam – disseram as outras duas árvores. – Tu não tens nada que Lhe possas dar!

O pequeno pinheiro ficou muito triste. Pensou muito, muito, em qualquer coisa que pudesse oferecer ao Menino que dormia ali ao lado, qualquer coisa de que o Menino pudesse gostar. Mas não tinha nada que Lhe pudesse dar e, por isso, continuava a chorar.

Um anjo, que tinha ouvido a conversa toda, vendo a tristeza da arvorezinha, sentiu muita pena dela, por sentir que nada tinha para dar ao Menino Jesus. Era noite e o céu estava pejado de estrelas a brilhar. Então o anjo, muito de mansinho, trouxe-as todas, uma a uma cá para baixo, desde a mais pequenina à mais brilhante e colocou-as nos ramos e nas folhas pontiagudas do pinheiro. Dentro do estábulo, o Menino acordou e olhou para as três árvores do lago ao lado do estábulo, contra a escuridão do céu. De repente as folhas escuras do pinheiro brilharam, resplandecentes, porque nelas as estrelas descansavam como se fossem elas as próprias folhas.

Que lindo estava o pequeno pinheiro, que pensava não nada tinha para oferecer ao Menino…

E o Menino Jesus levantou as mãozinhas, tal como fazem os bebés, e sorriu para as estrelas e para aquela árvore que lhe iluminara a escuridão da noite.

E desde então o pinheiro ficou a ser, para todo o sempre, a Árvore do Natal, onde se colocam as lâmpadas a luzir como as estrelas, naquela noite.

 

Qual é o dia para se montar a Árvore de Natal e para desfazê-la?

De acordo com as tradições cristãs e, principalmente em nosso país onde o cristianismo faz parte da cultura do brasileiro é comum iniciar a montagem da árvore de Natal a partir do dia 30/11, sendo que a sua finalização deverá estar pronta até no dia 17/12, quando está faltando apenas uma semana para a comemoração do Natal.

Quanto ao dia que é costume desmontar a árvore de Natal, tradicionalmente falando, é o dia 06/01, dia também onde se comemora o Dia de Reis. Sobre essa tradição você poderá visitar esse site: http://www.atribuna.com.br/noticias/noticias-detalhe/cidades/conheca-a-historia-do-dia-de-reis-e-suas-tradicoes/?cHash=bb8b287d55a9536e8edc4d9e5f1b35b2

É costume, principalmente aqui no Brasil, deixar os presentes embaixo da árvore de Natal para que os mesmos possam ser entregues a meia-noite do dia 24 para o dia 25/12, onde as famílias e amigos se reúnem em torno da ceia de Natal.  São diversas as formas de vivenciar esse dia, em alguns países os presentes são entregues no início da manhã do dia 25/de dezembro.

Voltei esses dias dos Estados Unidos e achei interessante como o comércio vende roupas e pijamas específicos para esse dia. Desde gorros, meias, moletons, com os mais diversos tipos de motivos natalinos, com muito brilho.

É incrível hoje em dia as inúmeras opções que se tem para montar a sua árvore de Natal. A criatividade que se observa em cada árvore que podemos ver nesse período nos chama a atenção. Árvores de vários tamanhos, naturais ou artificiais, com enfeites de toda natureza fazem desse período do ano um momento de se preparar para uma das festas mais celebradas em todo o mundo.

Nas mais variadas cores, padrões, tamanhos, com luxo ou simplicidade, montar a sua árvore de Natal faz com que você possa entrar no clima de Natal e, logo em seguida, ao final de mais um ano, onde todos possam refletir sobre todos os desafios superados durante o ano que está se acabando e agradecer por tantas coisas boas recebidas e, mesmo aquelas que não foram tão boas assim, podemos pensar que nos serviu para o continuo processo de aprendizagem e superação, lembrando que nós seres humanos estamos nos reinventando a cada dia, pois a arte de viver está também relacionada as escolhas que fazemos em nossas vidas.

O video abaixo, para quem gosta de artigos de Natal, preparei para você do que tive a oportunidade de ver nessa última viagem que fiz agora no final de novembro e inicio de dezembro aos Estados Unidos. 

Fiz um canal no Youtube, onde pretendo postar alguns videos por lá, é tudo muito artesanal. Confesso que não tenho nenhuma experiência, mas aos poucos vou aprendendo sobre essas tecnologias, pois acredito que o mais importante é poder passar para você alguma informação que possa te interessar. Fique a vontade para se inscrever por lá. Acredito que, aos poucos, vou melhorando. kk

Já fiz aqui alguns outros posts sobre essa época, caso queira visitar fique a vontade:

Mensagem de Natal de 2016

O primeiro cartão de Natal

Natal e a data de 25 de dezembro

Como presentear com pouco ou nenhum dinheiro?

 

 

Referências:

http://www.dulcerodrigues.info/natal/pt/pinheiro_natal_pt.html

Imagens do site Pinterest

http://picodavigia2.blogs.sapo.pt/232963.html