Os 11primeiros deuses da mitologia grega

Oi Gente

Hoje resolvi falar aqui para você de uma forma mais simples, um pouco da mitologia grega, só para se ter uma ideia, do que se tratava. Existem muitos estudos na própria rede social e alguns blogs específicos que tratam somente desse assunto. Então aqui é só para se ter uma ideia rápida sobre os deuses da primeira geração dos deuses gregos, o que eles eram e o que representavam.

Os 11 primeiros deuses da mitologia grega

Na antiga sociedade grega, era utilizado os mitos para entender os acontecimentos e tudo aquilo que acontecia na sociedade. Os poetas eram aqueles que narravam as histórias, e passavam pela oralidade de geração em geração a forma de entender o mundo. Assim, os gregos acreditam nas histórias que lhes eram passadas por esses poetas, histórias dos deuses, da divindade e foram criando assim rituais, cultos.  Os mitos para os gregos era a mais pura verdade.

Me lembro bem em uma aula de antropologia, quando da minha primeira formação, ciências sociais, de um professor que nos dizia que a necessidade que nós seres humanos temos de crer em algo que vá além da nossa visibilidade. A educação na Grécia eram passada pelos poetas, por aqueles que tinham também o poder da oralidade.

Assim os deuses gregos tinham vários poderes, eles eram imortais, e tinham os do bem e os deuses do mal. Quando você começa a ler os mitos e estudar um pouco sobre a mitologia grega, você vai observar que esses mitos embora tão antigos, permanecem na forma atual de convivência entre os humanos. É uma forma subjetiva de poder interpretar os nossos dias.

Então conheça aqui, neste post a lista desses primeiros deuses gregos:

 

 

Lista da 1ª Geração dos deuses gregos:

Caos, Úrano, Gaia, Eros, Nix, Tártaro, Érebo, Ponto, Óreas, Hemera, Éter.

 

Nix (representava a noite) e Érebo (a escuridão) são filhos de Caos, porém eles não tinham mãe. Érubo desposou sua irmã Nix e deles nasceram Éter e Hemera.

Gaia e Urano:

Urano e Gaia

Gaia foi a segunda divindade, e ela tinha como missão povoar o Caos. Assim, era gerou Urano (o céu), Pontos a dividade dos mares e rios. “Na solidão fria do Caos, surgiu Eros – o amor e a partir dele, nada mais poderia procriar sozinho. Movida pelo impulso determinador de Eros, Gaia se uniu ao seu filho primogênito Urano dando origem aos:  Cíclopes, Hecatônquiros, Titãs”. (falarei deles em outro post).

Ponto

Significa o caminho do mar. Representa o masculino do mar. Ponto não possui um mito próprio, mas o mar simboliza a dinâmica da vida.

Óreas

 

Óreas é o Deus das Montanhas. Pertence aos primeiros deuses primordiais e a cada montanha tinha um deus que a representava.

Hesíodo foi um dos maiores poetas da Grécia antiga, nos século VIII antes de Cristo. Era um poeta oral e  “há relatos ainda de sua atividade como pastor, até que lhe apareceram as musas que o inspiraram na composição de sua mais famosa obra Teogonia.”

Teogonia  também é conhecida como Genealogia dos Deuses. E na Genealogia dos Deuses que aparece Caos, como o primeiro Deus Grego seguido dessa lista da primeira geração dos deuses gregos. “A Teogonia constituía, com os poemas de Homero, a cartilha na qual os gregos aprendiam a ler, a pensar, a entender o mundo e a reverenciar o poder dos deuses”.

“A noção mítica do mundo como um conjunto único, uno e múltiplo de teofanias. O mundo, para os gregos hesiódicos, é um conjunto único de inesgotáveis aparições divinas (teofanias); no entanto, é um mundo lógico, em termos míticos e na lógica própria do pensamento mítico – um mundo real e perigoso, que se deixa conhecer através das genealogias divinas, das linhagens e famílias de Deuses ciosos de suas prerrogativas e vigilantes de que elas sejam observadas”. (Jaa Torrano é professor de Língua e Literatura Grega na Universidade de São Paulo).

Urano representaria o Deus Céu e Gaia a Deusa terra. A terra, Gaia era também Geia ou Vesta era a mãe universal e sagrada de todos os seres e a origem de tudo, sendo a primeira a surgir depois do Caos.

“Úrano é o Céu e Gaia é a Terra. Na presença de Úrano, Amor age de outro modo. Úrano primordial não tem outra atividade além da sexual: deitar-se sobre Gaia, incessantemente. Da conjunção dessas duas forças nascem seres diferentes, os seis Titãs e suas seis irmãs, as Titânidas. Krónos, o caçula dos Titãs se casa com Reia, com quem gera três filhos, dentre os quais Zeus. A teogonia e a cosmologia atingem sua forma definitiva com o surgimento de Zeus, em latim deus, que, ao se tornar soberano, completa o quadro divino e o da origem do universo (Kitto, 1970, p. 32). Neste mundo em que potências, forças, poderes se opõem e lutam entre si, em um dado momento um soberano impõe sua lei. A cosmogonia, na versão de Hesíodo, se centra na assunção do poder supremo por Zeus, que reúne elementos fundamentais de soberania que o distinguem dos seus antecessores: “nele e por ele, em sua realeza, a potência e a ordem, a violência e o direito, reconciliados, conjugam-se” (Lesky, 1995, p. 31). Assim, no topo do Olimpo, dominando o universo, temos Zeus soberano, pai dos deuses e dos homens, com sua esposa legítima, a irascível Hera, sua própria irmã. Logo, segundo essa visão, do caos, da desordem originária se destaca um poder soberano que institui e fixa a ordem do mundo.”

De Gaia nasceu Tártaro, que era um Deus invisível que representava o inferno.

Eros – o deus do amor

Eros é considerado o mais belo dos deuses, é o deus do amor, o responsável por toda a união amorosa entre os seres vivos, aquele que possibilita a procriação de tudo que há no universo. Ainda não há o feminino e masculino, não há seres sexuados. Esse Eros primeiro expressa apenas um impulso no universo.

“Os deuses, isoladamente, nas diversas versões cosmogônicas descritas, criaram os espaços, o dia, a noite, a terra e o inferno, nos quais não se desenvolvia vida, que só surgiu por intermédio de Eros (gerador do processo de união), que promoveu, assim, seu desenvolvimento. Pode-se notar que Eros é considerado, nessas diversas genealogias citadas, um deus poderoso e fundamental. Por isso, alguns filósofos das Academias, segundo Brandão (1988), insurgiram-se contra a tendência generalizada de fortalecer a imagem dele. Desse modo, produziram-se novas cosmogonias, que atribuíram novas origens ao tão questionado deus”.

Érebo

Nix (representava a noite) e Érebo (a escuridão) são filhos de Caos, porém eles não tinham mãe. Érubo desposou sua irmã Nix e deles nasceram Éter e Hemera

Érebo é o criador das trevas e da escuridão. Ele é conhecido como um dos maiores inimigos de Zeus. Filho de Caos juntamente com Nix.

Nix

.

Irmã gemea de Érebo e filha do Caos. A Deusa da Noite. Era considerada deusa dos segredos e dos mistérios noturnos. As feiticeiras e bruxas a cultuavam por acreditar que ela dava fertilidade as ervas encantadas na terra. As vezes era vista como má, e outras vezes como uma boa deusa.

Éter

 

Éter é o ar superior brilhante, também chamado Akmon (O zênite) ou AKME (o incansável). Foi um Protogenos (um dos primeiros-nascido deuses elementares) é o deus luminoso, brilhando no alto do céu azul.

Hemera

É uma divindade primordial que representa o dia. A deusa grega do dia,representava a luz, era a guardiã da fronteira entre as sombras e a luz.

Era isso por hoje gente. O post foi só para se ter uma ideia sobre os primeiros deuses gregos.

Obrigada pela visita. Você sempre é bem vindo por aqui.

Um abraço.

 

 

 

Referencias:

http://www.infoescola.com/biografias/hesiodo/

http://www.mundos-fantasticos.com/mitologia/grega-romana/

http://charlezine.com.br/wp-content/uploads/2012/04/Teogonia-Hes%C3%ADodo.pdf

http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-166X2005000100008

http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?pid=S0101-31062012000100011&script=sci_arttext

http://portal-dos-mitos.blogspot.com.br/2012/12/nix.html

http://eventosmitologiagrega.blogspot.com.br/search/label/1.2.%20Genealogia%20-%201%C2%AA%20gera%C3%A7%C3%A3o%20dos%20deuses%20V%C3%ADdeo

 

 

 

 

 

 

Referencias: