Dica de filme: Duras Verdades

Oi Gente

O objetivo do post é trazer uma dica sobre esse filme/documentário da HBO que achei muito interessante. Caso você não conheça é bem interessante. Saiba um pouco por aqui…

Achei muito interessante esse filme/documentário, com direção de Madeleine Sckler, Dennis Brown, Fraklin Cox e outros com o título de Duras Verdades, que está na HBO.

Trata-se de um drama, com 13 homens dentro de um presídio onde exploram as experiências de cinco deles, onde recontam suas vidas uns para os outros e como chegaram a estar cumprindo pena na penitenciaria de Pendleton.

O filme é co-dirigido pelos próprios prisioneiros, intercalando cenas e depoimentos verdadeiros com cenas animadas, conforme as histórias de suas vidas que vão sendo contadas.

O documentário, onde cada prisioneiro relata sobre suas vidas passadas, principalmente a fase da infância e adolescência e como esse período inicial de suas vidas e como essa história passada podem ser a responsável, para trazê-los ao lugar onde estão.

É um filme que nos faz refletir sobre a existência humana, a constituição do ser humano e a sociedade onde está inserido.

É interessante em uma das cenas, quando se faz uma pergunta a um dos prisioneiros, qual o nome que ele daria ao seu filme e o mesmo responde: E se…?  Como se esse e se…? pudesse levá-lo a pensar e “se eu tivesse feito diferente”; e “se eu não tivesse vivido em Menphis”, etc…

Não se trata de julgamentos e sim de questionar por onde deveria se começar a preocupar com os seres humanos, para que se pudesse evitar situações de tanta violência, onde todos acabam de certa forma sendo vítimas.

Após os relatos  da história de cada um, uma experiência nunca pensada em viver por eles, percebe-se que  repensar as duras verdades da vida de cada um e ter um espaço onde puderam falar e serem ouvidos, pode-se quem sabe para aqueles verdadeiros personagens, colaborar no sentido de entender e elaborar por ele mesmo, o que, possivelmente, teriam levado a estarem onde estão.

Talvez uma oportunidade única de falar e serem ouvidos e, ao mesmo tempo, apesar da realidade que vivem como prisioneiros, poder através de suas duras verdades poderem servir para que outros possam pensar que nada vale a pena, quando as consequências de seus atos é a perda da liberdade. 

Assisti e gostei muito, principalmente por permitir que cada “prisioneiro” relatasse as suas duras verdades com a sua própria narrativa, sem que outros falassem por eles e, por permitir a nós a reflexão sobre o fato de que o problema da violência começa mais cedo do que se possa imaginar e, ainda,  as estatísticas geralmente nos  mostram que a violência está diretamente ligada aos fatores econômicos e a classe social menos favorecida, infelizmente, é onde estão as maiores vitimas, principalmente aqui no nosso país.

Enfim, fica aqui a dica para você.

 

Era isso por hoje.

Obrigada pela sua visita. Você é sempre bem vindo(a) por aqui.

Um abraço.