Já pensou em fazer uma análise? Como é isso?

Oi Gente

O post de hoje tem como objetivo falar sobre do que se trata uma análise. Ao escrever sobre esse assunto e, como não sei quem está o lendo, pensei em falar para você que, as vezes, pensa em procurar um psicólogo/psicanalista mas, ainda, fica um pouco assustado por não saber do que se trata e o que isso poderá te ajudar nas suas questões que lhe causam sofrimentos, sintomas e angustias.

As vezes, há casos, em que a pessoa já passou por vários médicos, já usou ou faz uso de vários medicamentos e, mesmo assim, tem algo ali que ela não entende mas que  causa sofrimentos sim e, as vezes, ainda recebe acusações que é “frescura, que é preguiçoso, que não quer nada com nada, que tem tudo na vida, etc..” essas falas  que costumam fazer parte dos julgamentos, daqueles que não sabem o que dizem,  sem respeitar o que cada um sabe o que está enfrentando e não é fácil.

Há algumas questões que tentarei responder sobre isso por aqui, principalmente para aqueles que já pensou em procurar um profissional dessa área mas tem certo desconforto sobre o assunto. ok? Te convido a ler o texto e, caso tenha alguma dúvida,, fique a vontade para entrar em contato através do email que, a medida do possível, poderei talvez esclarecer algo que não tenha ficado claro para você.

Observa-se, no dia a dia, que ainda existem algumas dúvidas a respeito de fazer uma análise, ou confunde-se terapia com análise. Já fiz um post por aqui sobre a diferença entre alguns profissionais que cuidam da saúde mental: Psiquiatra x Psicólogo x Psicanalista   e também um que possa te interessar Todo mundo precisa de um psicólogo? Sim ou Não?,  

mas hoje gostaria de dividir com você, especificamente, do que se trata uma análise.

Uma análise é realizada por um psicanalista ou um psicólogo em formação psicanalítica. Lembrando que esse profissional está em constante aprimoramento do saber psicanalítico. Ele investe continuamente em sua profissão, faz também a sua análise, o que é fundamental,  para que não se misture o que é dele com o que é do paciente , o que vale dizer que o psicanalista e demais profissionais dessa área continua seu percurso profissional com um investimento constante em sua profissão, até porque há a necessidade de estar atualizado diante dos acontecimentos cotidianos, os quais se transformam rapidamente, e de novos desafios que vão aparecendo e que influenciam na forma como o paciente vai lidando com as transformações e sofrimentos que isso lhe possa causar.

O que dizem alguns renomados psicanalistas sobre os benefícios de uma análise

CONTARDO CALLIGARISPsicanalista

“Serve para diminuir ao mínimo possível o sofrimento neurótico e o sofrimento banal, ou seja, reduzi-los ao que é totalmente inevitável; serve para tentar reorientar ou desorientar a vida da gente -desorientar é uma maneira de orientar! Enfim, serve para tornar a experiência cotidiana muito mais interessante. Pensando bem, quase tudo se inclui nessas três coisas”

JORGE FORBESpsicanalista e psiquiatra

“Serve para possibilitar que a pessoa suporte viver a pós-modernidade. Saímos de uma sociedade que estabelecia claramente os certos e os errados. O homem atual se apavora frente a essa liberdade e se esconde atrás das fórmulas prontas de viver. Nesse contexto, a psicanálise vai na contracorrente da ideologia de que tudo tem remédio, dos livros de autoajuda e das neorreligiões. Ela transforma a angústia paralisante do homem frente à liberdade responsável das opções em uma ação criativa”

JUAN-DAVID NASIOpsicanalista, diretor dos Seminários Psicanalíticos de Paris

“O objetivo da psicanálise é libertar o paciente de seus sintomas e de seus problemas. Acima de tudo, é um método curativo, além de ajudar a transformar o paciente em alguém mais adaptado à sua realidade e aumentar a sua inteligência emocional”

Como iniciar uma análise?

A regra fundamental da psicanálise é chamada de Associação Livre. O que isso significa? Vou tentar explicar aqui para você, que é leigo no assunto, de uma forma mais simples possível e fiz um post As 3 fases iniciais da psicanálise  , para saber sobre o início da psicanálise.

Associação Livre

Associação livre, criada pelo pai da psicanálise Sigmund Freud,  é um convite que o analista faz ao analisando para que ele fale tudo que vier a sua cabeça, sem se preocupar com julgamentos, se vão pensar mal sobre aquilo que está trazendo na sessão. É falar em cada sessão aquilo que o paciente quiser, sabendo que o analista está ali para essa escuta.

Não há necessidade de se preparar para cada sessão. Você chegará no dia e horário agendado, em média uma sessão por semana, onde o tempo pode ser variado caso a caso, geralmente em torno de 50 minutos, podendo ser mais de uma semana, de acordo com a necessidade do caso ou do desejo do analisante. É o encontro entre o profissional analista com o paciente chamado de analisante.

 É nessa escuta do analista que o mesmo poderá, através da técnica da qual é preparado para isso, fazer com que o paciente associe aquilo que está trazendo à sessão com seu discurso e, com algumas intervenções do analista, ele poderá aos poucos ir se apoderando disso e repensar o que o faz sofrer e, diante dessas elaborações poder trabalhar isso dando um novo sentido e direção para o seu sofrimento.

Vamos imaginar um quebra-cabeças, onde as peças estão todas embaralhadas e, somente através de um trabalho, entre o analisando e o analista, nas sessões, essas peças vão se encaixando e com isso vão aparecendo em cada sessão possíveis resultados que o façam, através da sua palavra, descobrir o que está trazendo ao analisando os seus sofrimentos.

A psicanálise entende que cada ser humano é único e, como único ele deve ser tratado. Não se pode dizer o que é bom para um, serve para todos, como fazem os conselheiros ou alguns livros de autoajuda. Não existe uma receita pronta a ser seguida, quando se trata do ser humano. Isso que é lindo na psicanálise, ou seja,  é poder cada um ter seu espaço para em um trabalho conjunto, do analisando com seu analista, respeitando o tempo de cada paciente, sem atropelos ou receitas prontas, para que se possa beneficiar dos ganhos que uma análise oferece ao analisando.

Quanto tempo dura uma análise?

Essa é outra questão que vai depender de caso a caso. De repente um paciente vem para uma análise e quer ver algum ponto específico e quer falar ou tratar apenas uma questão e, quando ele achar que está bom para ele poderá parar sua análise. Talvez poder elaborar um luto, pela perda de alguém querido, uma perda de emprego, uma separação, um diagnóstico de uma nova doença, um rompimento de namoro, etc…

É esse o tempo de sua análise, lembrando que isso não significa um término de análise ou que o paciente não tenha mais nada para ser visto. Mas a decisão é dele. O analista poderá até intervir no sentido de que há algo mais a ser tratado, mas a escolha é do paciente.

 Há casos em que o paciente está vivendo uma situação momentânea e que para ele um período menor é suficiente o que não o impede de retornar em outro momento, quando achar que se queira.

O trabalho da análise está baseada na fala do analisando. Ali na sessão o paciente chegará e vai falar o que lhe vier na cabeça, porque em uma sessão há um ambiente próprio para que o paciente possa tratar suas questões. É um espaço agendado para ele(a) onde nesse encontro ele poderá trazer o que se queira.

O saber sobre o seu sofrimento está no paciente, é o próprio paciente que sabe sobre suas questões, porém ele não sabe que sabe e é através da sua fala e da escuta do psicanalista que o paciente vai podendo elaborar suas questões, de onde vem a causa de seu sintoma, sofrimento e angústia. Mesmo que o paciente já esteja com um “diagnóstico” ou algum tratamento nessa área, a psicanálise entende que o sujeito é mais que um diagnóstico que deve ser ouvido na sua singularidade.

Enfim gente, procurei nesse post falar de forma mais simples possível, sem termos técnicos para que você, leigo no assunto, possa ter uma idéia do que se trata uma análise. Já se foi o tempo em que ir a um psicólogo ou psicanalista significava que a pessoa era fraca por não saber lidar com seus problemas, ou ainda que tinha qualquer tipo de loucura, ou que ficará na dependência do seu psicólogo. 

Somos humanos e, assim como o nosso corpo biológico necessita de cuidados, atenção e tratamentos, a saúde mental também tem que ser pensada com carinho. Não tenha medo de lidar com a sua verdade e, nem tente somente olhar os problemas dos outros para não ter que olhar os seus. Ninguém muda ninguém e procurar a “culpa”dos seus problemas no outro e/ou tentar mudar o outro você poderá somente se tornar uma pessoa insuportável. Só podemos fazer escolhas sobre nós mesmos e se responsabilizar por isso.

O fato de se permitir a querer ver a sua verdade, só demonstra o quão você é responsável por sua própria vida. E, ainda, qual o problema de experimentar até mesmo para poder falar com propriedade sobre o assunto. Afinal a vida é sua, é única e merece uma boa chance.

Pode até acontecer que uma primeira experiência que tenha tentado não gostou, mas nada o impede de procurar algum outro profissional e tentar novamente. Afinal, assim como nos tratamentos médicos, o psicólogo ou psicanalista pode ser ótimo para uns e ser visto diferente por outros. Lembrando que somos únicos e as escolhas que fazemos nos pertence, só lembrando que a responsabilidade pelo nossos sofrimentos caberá a nós mesmos buscar os devidos tratamentos

Vou compartilhar esse video por aqui, pois tem um depoimento da Luana Piovani onde fala um pouco sobre a sua experiência nessa área.

 

Era isso por hoje.

Obrigada por sua visita. Você é sempre bem vindo(a) por aqui.

Um abraço.