Todo mundo precisa de um psicólogo? Sim ou Não?

Oi Gente

Hoje vim refletir um pouco com você sobre essa questão. É comum hoje em dia escutarmos que “todo mundo precisa de um psicólogo” e aí eu te pergunto: Será que precisa mesmo? …

 

Resultado de imagem para fotos de psicologo analista

VAMOS JUNTOS REFLETIR A RESPEITO

Em primeiro lugar, é bom lembrar sobre o peso das palavras e tomar cuidado ao usá-las em nossas conversas ou até mesmo em nossas escritas. Palavras como NUNCA, SEMPRE, TUDO, TODO MUNDO, são palavras que merecem um certo cuidado, até porque são palavras que, geralmente, não expressam a verdade. Pois onde está a verdade, não é mesmo? Se a verdade é diferente para cada um.

Todo mundo precisa de um psicólogo? a minha resposta para essa pergunta é, nem sempre. Até porque quem vai decidir isso é a pessoa que vai se dirigir a um profissional dessa área.

As vezes você pode até receber uma indicação dessa, em algum momento de sua vida, em alguma situação específica. Mas dizer NUNCA também pode ser que não seja a resposta. Uma resposta como essa é relativa.

Como psicóloga, hoje,  posso dizer que tem momentos na vida de qualquer ser humano, que ele venha sim precisar de um atendimento. Um momento, onde ele se encontra em certas dificuldades para elaborar determinadas questões e que não está conseguindo encontrar respostas para algumas situações em  sua vida, ou até mesmo, momentos em que seu sofrimento está tão grande, ao ponto de ficar paralisado, não conseguindo, por exemplo,  estudar,  trabalhar, amar, ou até mesmo se divertir.

Em algum momento como esse, pode aparecer também  sintomas, de ordem diversas, aos quais, mesmo realizando vários exames, e passando por inúmeros consultórios médicos, não se detecta a causa e o tratamento adequado para que saia dessa situação.

PENSAR A RESPEITO E REVER SEUS PRECONCEITOS 

Então você pode pensar, como alguns ainda infelizmente pensam assim, que essa pessoa está com “frescura” ou que vem fazendo isso só para chamar a atenção. Acreditem, ela está sim, possivelmente sentindo em seu corpo o que diz, bem como, tem a probabilidade de estar em um sofrimento que só ela pode medir essa dimensão. E, quem está por perto, precisa ter paciência, atenção e, no mínimo respeitar esse sofrimento, em que nem essa pessoa sabe bem dizer do que se trata. 

Visando sair dessa situação, as vezes,  até se arrisca a se auto-medicar, com sugestões de outras pessoas, mas, mesmo assim,  aquele sintoma não passa, aquela angústia, aquele desânimo e isso pode sim ser algo que está relacionado ao seu emocional. Questões emocionais também geram dores, e o seu corpo reflete tudo isso. Afinal de contas, somos humanos e como humanos podemos ter momentos em nossas vidas, onde tudo fica escuro e não conseguimos sozinhos “ver uma luz no fim do túnel”.

O psicólogo é o profissional que trata do sofrimento humano. Ele foi preparado para isso, ele estudou para isso e, com sua ética,  está ai nas mais diversas áreas e especialidades para atender as pessoas. Isso não significa que você é fraco, que está com problemas de cabeça, ou que está ficando louco e coisas desse gênero. Felizmente, hoje em dia, as pessoas já estão mais esclarecidas sobre essas questões.

Na realidade, significa talvez que você ou uma pessoa querida do seu convívio, por mais forte que tente ser, está passando por um momento vulnerável e que somente conselhos e carinho da família não serão suficientes para colaborar ou para sair dessa situação.

É nesse momento,  então,  que essa pessoa precisa pensar, aceitar e até mesmo se convencer que necessita de uma ajuda de um profissional, para que juntos em trabalho de análise possam elaborar as questões, e com o tempo, quando o paciente se implica ao tratamento, é possível sim retornar a uma vida, onde possa novamente trabalhar, amar, manter relações interpessoais, e lidar com os problemas do dia a dia, de uma forma, que não o impeça de realizar os seus desejos.

Para facilitar uma compreensão é como se você ou determinada pessoa estivesse diante de um quebra-cabeças, onde as peças não se encaixam, e necessitam um tempo de atendimento profissional para que se possa completar esse quebra-cabeças. Acredite que há essa possibilidade e os profissionais estão aí para auxiliá-lo nesse momento e, que essa procura, não equivale a dizer que será para a vida toda.

Os medicamentos estão aí para ajudar em alguns momentos e, em alguns casos, eles são fundamentais. Eles vão te ajudar a se manter em pé e ir tocando a vida, mas a elaboração das questões mesmo necessita de um acompanhamento de um profissional que possa te auxiliar. Em alguns casos, podendo inclusive deixar o uso de determinadas medicações.

Com isso, gente, pode-se dizer que as palavras TODO MUNDO, NUNCA, SEMPRE são relativas e o fato de precisar ou não de um psicólogo é de cunho individual, da escolha da pessoa, de se implicar com o tratamento. Essa necessidade não tem idade, pode ser um criança, adolescente, jovem, adulto e também um idoso.

Procure se informar mais a respeito e se você, ainda, é daqueles que tem preconceito contra isso, é interessante rever suas opiniões e lidar com a realidade dos fatos. É interessante, ainda, procurar um bom profissional e saber a respeito da sua linha de trabalho.

Quanto a resposta sobre a pergunta inicial desse post, o que posso dizer é o seguinte: Há pessoas que NÃO necessitam de psicólogos, quando ela entende que o seu sofrimento é passível de ser administrado e de forma que, apesar dos desafios que é viver, tem conseguido trabalhar, amar, e viver. Entretanto, há situações e momentos que algumas pessoas precisam SIM de psicólogos, para auxiliá-los nessa difícil arte de lidar com questões que vão além de suas compreensões. 

O objetivo do post foi de apenas  refletir sobre quando devemos ir ou não a procura de um profissional que trate o sofrimento de alguém, e de saber se todo mundo precisa de um psicólogo. As vezes a procura desse profissional está na última  alternativa de escolha da pessoa, entre outras, quando já se tentou de tudo como: conselhos, viagens, variedades de médicos e tratamentos, medicamentos, ajuda de amigos,etc. Todas as tentativas são bem vindas sim, afinal quem não quer ver um ente querido e amado bem. Mas, quem sabe, o fato de quebrar alguns preconceitos poderia ganhar tempo em alguns casos de sofrimento.

Enfim, como somos seres únicos e insubstituíveis, cada qual com sua identidade e personalidade, pode-se dizer que a resposta para essa questão é do um a um. Só posso garantir, caso você esteja em uma situação em que sua forma de pensar ou lidar com as situações estão tendo mais custos do que benefício, pensar na possibilidade de buscar um tratamento junto a um profissional que se preparou para isso, poderá diminuir os custos e permitir a você maiores benefícios. 

Era isso por hoje.

Obrigada pela visita. Você é sempre bem vindo(a) por aqui.

Um abraço.