08 de março é a favor ou contra?

Oi Gente

Começo o post de hoje com essa pergunta: O Dia Internacional da Mulher, 08 de março, é um dia a ser comemorado ou um dia a ser repudiado? Vamos saber um pouco mais sobre ele?

Você sabe quem é essa mulher? Vamos falar um pouco sobre isso nesse post.

Então essa é Clara Zetkin (1857 – 1933), uma senhora alemã do Partido Comunista Alemão, que lutou muito junto ao movimento operário, visando conscientização das mulheres em sua época, quando foi deputada em 1920. Ela fundou e também dirigiu a revista Igualdade, que permaneceu ativa durante 16 anos.

“Lideres do movimento comunista como Clara Zetkin e Alexandra Kollontai ou anarquistas como Emma Goldman lutavam pelos direitos das mulheres trabalhadoras, mas o direito ao voto as dividia: Emma Goldman afirmava que o direito ao voto não alteraria a condição feminina se a mulher não modificasse sua própria consciência”.

Emma Goldman

“Ao participar do II Congresso Internacional de Mulheres Socialistas, em Copenhagem, em 1910, Calara Zetkin propôs a criação de um Dia Internacional da Mulher sem definir uma data precisa. Contudo, vê-se erroneamente afirmado no Brasil e em alguns países da América Latina que Clara teria proposto o 8 de março para lembrar operárias mortas num incêndio em Nova Iorque em 1857.”

De acordo com esse artigo cuja a referencia está abaixo, a história não foi bem essa.

Com o advento da industrialização e a falta de mão de obra, devido a muitas mortes dos homens em guerra, há a necessidade da mulher e até mesmo crianças sairem de seus lares e assumirem funções dentro das industrias. As condições de trabalho eram as mais exploradoras possíveis, sendo as crianças e as mulheres aqueles trabalhadores que sofriam com essa realidade.

Só para se ter uma ideia o expediente de trabalho era entre 12 a 14 horas por dia, trabalhando de segunda a sábado e muitas vezes até mesmo na manhã dos domingos. Com o tempo, surgiram a organização das classes trabalhadoras, com a finalidade de reivindicar melhores condições de trabalho e salário, pois quando se tratava de salário pode-se dizer que era o verdadeiro salário de fome.

Acontece que aos poucos os trabalhadores foram conseguindo, através de muita luta, alguns ganhos nessa relação de exploração. Porém até 1960, em nenhuma dessas conquistas foram observados solicitações de igualdade de ganhos entre homens e mulheres.

As trabalhadores participavam das lutas gerais mas, quando se tratava de igualdade salarial, não eram consideradas. Alegava-se que as demandas das mulheres afetariam a “luta geral”, prejudicariam o solário dos homens e, afinal as mulheres apenas “completavam” o salário masculino.

Interessante né gente, além de já ter sentido isso “em carne e osso”, tenho a impressão que ainda as mulheres em muitos setores de trabalho enfrentam essa absurda discriminação.

Quase todo ano, quando chega esse famoso dia 08 de março, isso me perturba de verdade. Que dia afinal é esse? Já cheguei a pensar: que palhaçada é essa? Hoje, já estou um pouco mais calma em relação a isso, mas sinceramente questiono pelo fato que, embora a gente saiba que esses dias comemorativos fazem parte da necessidade de se manter um mercado consumidor, observo também que essas homenagens com referencia ao dia disso ou dia daquilo, refere-se a causas dos menos favorecidos.

“para desmobilizar o apelo das organizações e controlar a permanência dos trabalhadores/as, muitas fábricas trancavam as portas dos estabelecimentos durante o expediente, cobriam os relógios e controlavam a ida aos banheiros. Mas as difíceis condições de vida e os baixíssimos salários eram forte incentivo para a presença de operários e operárias nas manifestações em locais fechados ou na rua”.

“Nos anos posteriores a 1970 este Dia passou a ser associado a um incêndio que ocorreu em Nova Iorque em 1911. Neste artigo procuro recuperar a história do Dia 8 de Março e as distorções que têm sido feitas sobre ele e sobre a luta feminista.”

“A consagração do direito de manifestação pública veio com o apoio internacional. A ONU instituiu, em 1975, o 8 de Março como o Dia Internacional da Mulher.”

Desculpa gente, a quem gosta de comemorar nessa data eu não posso ser hipócrita com o que penso de verdade. Sou da opinião que as mulheres e a sua história sempre teve um valor incalculável no desenvolvimento das nações, das sociedades e hoje, então, estão aí cada dia provando a garra de ser mãe, esposa, profissional, educadoras, e me dói saber que ainda continuam sendo as mesmas exploradas como há tanto anos atras.

Sendo assim, dia 08 de março para mim é um dia de reflexão sobre o que o mundo, os países, a sociedade fizeram e estão fazendo com as mulheres, mulheres essas que são as responsáveis por todos os viventes desse país, pois são  elas que trazem ao mundo muitas vezes aqueles que um dia vão ser capazes de tratá-la pior que animal.

Receba sim as homenagens que alguns costumam a fazer nesse dia, afinal somos educadas não é mesmo? e um pouco de carinho sempre é bom, mas não podemos deixar que pequenos mimos nos façam esquecer do verdadeiro valor que as mulheres tem dentro da história da humanidade.

A mulher evoluiu, mas ainda questiono se não continuam a explorá-las não com 12 e 14 horas de trabalho nas fábricas, mas hoje,em torno de 20 horas para dar conta do recado, entre as funções que continuam sendo cobradas da mulher.

Assim, respondendo a pergunta no início do post, cabe a cada uma de nós ter a sua própria resposta sobre o dia Internacional da Mulher. É um dia a ser comemorado ou um dia a ser repudiado?

Era isso por hoje gente.

Obrigada pela visita. Você é sempre bem vindo (a) por aqui.

Um beijo com carinho a todas as mulheres e, especialmente a você que sempre me visita por aqui e ainda, assim como eu, tenta curtir essa vida apesar dos desafios que ela nos propõe.

 

 

 

Referencias:

http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0104-026X2001000200016&script=sci_arttext