Por que a Beleza e a estética nos chamam a atenção?

Oi Gente

Essas duas palavras estão cada vez mais sendo faladas, utilizadas e fazem parte da contemporaneidade. Na realidade não só na contemporaneidade mas sim na história da humanidade. Se você quer saber um pouco mais sobre isso, dá uma olhadinha aqui no post que fiz para você…

Estética

No mundo grego antigo, Platão associava a ideia do Belo à ideia do Bem, afirmava ele que, se alguma coisa nos provoca a admiração da alma – o belo físico, as formas, os sons, as cores – é porque o Belo acorda em nós a lembrança de um bem perdido. Já Aristóteles via o belo na proporção das partes, nos componentes reais da beleza sendo esses componentes os aspectos de simetria, extensão e os de ordem e limite. A partir da concepção desses dois filósofos deriva a teoria geral da beleza, onde as questões estéticas duraram até o século XVIII.

Falar sobre o Belo suscita várias definições, mas podemos resumir como belo aquilo que dá a pessoa um sentimento, uma emoção, aquilo que agrada universalmente.

O Belo, é o modelo estético, a norma que faz compreensíveis as características artísticas com as quais medimos e apreciamos os objetos. Não podemos deixar de considerar também as questões subjetivas, que é a questão da emoção estética.

Sendo assim, entre tantas definições de estética a que poderia ser simplificada e as mais aceitas pelos filósofos da arte seria que a estética é ciência filosófica que tem por objeto o juízo de apreciação aplicado na distinção entre o Belo e o Feio.

A estética foi definida e continua sendo discutida na contemporaneidade por diversos filósofos, cientistas e conhecedores da arte.

Já dizia o filósofo Parmênides, que tudo está em constante modificação. Segundo ele “Não nos banhamos duas vezes no mesmo rio”, já que nem o rio e nem quem nele se banha são os mesmos em dois momentos diferentes da existência. Ou seja, tudo em nossa vida flui.

Parmênides foi um filósofo pré-socrático grego que algumas vezes foi considerado como o pai da metafísica. 

O homem que está em constante movimento, também está em constante questionamento e a comunicação, principalmente através da linguagem, é o que o diferencia dos demais animais.

Esse homem inquieto não podia ficar somente com a linguagem, o desenvolvimento da escrita e dos meios de comunicações contribuíram para que o mesmo fosse avançando cada vez mais na exploração desse planeta e junto a ele a estética se fazendo presente. A mensagem estética ao acompanhar o homem no seu trajeto de desenvolvimento, esteve presente na evolução do homem.

Para kant a estética é oriundo do sentimento, ela está no ser humano entre a razão (intelecto) e o sentimento, como se fosse intermediária. “Os sentimento de prazer e desprazer em Kant estão ligados as sensações estéticas e pertencem ao sujeito, são estes sentimentos subjetivos, não lógicos que emitem o conceito do belo, são eles que formam o juízo do gosto”.

Por isso gente, o que é belo para um nem sempre será belo para outro. Embora a mídia divulgue padrões de beleza, para nós humanos vão muito além do que querem nos propagar.

Era isso por hoje.

Um abraço.