O Dia dos Pais – Um reflexão sobre essa função

Oi Gente

Queria escrever um post sobre como surgiu a comemoração do dia dos pais, mas comecei a pesquisar aqui na Web e reparei que já tem muita gente falando sobre isso. Então resolvi  escrever algo que acho fundamental sobre a função paterna e sobre a reflexão do que vem acontecendo sobre essa figura paterna na contemporaneidade. Deixando os presentes de lado, resolvi falar o que penso sobre…

Quem são os verdadeiros pais que merecem serem aplaudidos?

Comecei a fazer esse post refletindo sobre o dia dos pais e confesso, com muitas saudades do meu em particular que já se foi há 22 anos. Mas, por incrível que pareça,  esse meu pai, mesmo morto, continua bem presente em minha vida. Pois com todas as suas limitações, para mim ficou inscrito que a sua função de pai foi bem exercida, o que faz sentir ele presente até hoje em minha vida.

Isso não quer dizer que meu pai era um santo não, ou que não tive dias como acredito igual a alguns de vocês, de querer que o pai morresse até. Sabe aquelas coisas de adolescente quando o pai tem que impor limites e a gente pensa assim: “puta merda tanta gente morre e esse chato do meu pai fica aqui me enchendo o saco?” Esse tipo de pensamento faz parte do nosso processo de amadurecimento. Se você foi ou é um desses que já pensou assim, você não é um bicho estranho não.  Podemos dizer assim que é “normal”, se é que existe uma certeza pura do que seja “normal”.

Por mais que você diga e pense que isso não te diz respeito, vamos lá seja sincero:  te diz muito respeito sim, afinal se não fosse ele você nem estaria por aqui não é mesmo?

Mas quem são esses verdadeiros pais? Será que ser pai é simplesmente oferecer a sua parte na genética?

Então, apesar dos exames de DNA que vieram  cobrar e solicitar a responsabilidade de muitos pais em assumir sua paternidade, eu questiono então:  Será que isso garante a solução dos problemas que acontecem quando esse “pai” simplesmente é apontado por um exame? O fato dele ter que assumir, perante a lei, resolve as outras questões que não passam somente pela financeira?

É claro que não né gente?  Dizer que isso não é importante também seria burrice da minha parte. É muito importante sim para o ser humano saber e conhecer suas origens, até mesmo para conhecer sobre sua genética o que ele carrega fisiologicamente, principalmente quando se trata de um tratamento médico por exemplo.

Agora e as outras questões? Aquelas que são difíceis de falar, de admitir, até mesmo de pensar a respeito. Muitas vezes, um pai que não teve a oportunidade de nem se quer ver seu filho crescer, pode estar mais presente para esse filho, do que aquele que ali está todo dia fazendo de conta que exerce a sua função de pai.

Ser pai, em primeiro lugar, começa lá atras, começa no real desejo de ser um pai, de trazer um ser humano para essa vida e estar ali presente, fisicamente ou não, presente na sua função de pai, presente no psiquismo da criança que entende que esse pai é alguém que ele sabe que pode contar, que ele sente que esse pai está fazendo o melhor dele como ser humano. Mesmo nas maiores discussões, diferenças de pensamentos, até mesmo brigas, esse filho sabe e entende que no fundo esse pai que, exerce a função de pai, e não somente carrega o nome pai está ali, hoje e sempre e acreditem viu gente que até mesmo após a sua morte, esse pai que foi realmente um pai, permanece vivo dentro de cada filho.

Quem teve essa sensação e esse privilégio de ter um pai que realmente cumpria, com todas as suas limitações de um ser humano, a sua função de pai, tenham a absoluta certeza que isso está ali cravado no psiquismo de seus filhos e isso é maravilhoso e fundamental para uma saúde psíquica.

Sendo assim, sou da opinião que o Dia dos Pais não são para todos os homens que se dizem pai não, são para aqueles que realmente exercem a função de pai. Esses não precisam necessariamente ser do sexo masculino, podendo ser uma mãe, um avô, um tio, uma tia, um vizinho, um primo, um irmão, um amigo, um professor.

Então gente comemorar o dia dos pais é muito bom, é uma forma de agradecer e confraternizar com aquele que nos deu a vida. Mas vamos dar o valor a quem merece de fato não é mesmo?

E quanto aos futuros pretendentes de papai, por favor, pensem bem a respeito, reflitam bem se querem realmente ser pai para assumir essa função de tanta responsabilidade. Não sejam papais simplesmente porque a mamãe quer ser avó, ou o papai quer ser vovô, ou porque a sociedade está te cobrando ou ainda por que os amigos já são papais e vocês estão ficando fora da roda de amigos.

Ser pai, exercendo a função de pai, é coisa séria e você precisa estar disposto, e não só querer mais  sim, desejar muito um filho. Se isso for de seu desejo, vai ser a melhor curtição da sua vida, mas se não for…

Era isso por hoje gente.

Feliz dia do pais a todos aqueles que sabem bem do que estou falando.

Um abraço