Suiça e a cidade velha de St. Gallen

Oi Gente

O objetivo do post de hoje é trazer aqui para você mais um pouco sobre essa charmosa cidade de St. Gallen, na Suíça. Um pequena cidade, porém com muita história para contar. É a segunda vez que tive a oportunidade de estar por lá, mas com mais tempo para poder falar um pouco sobre ela e dos lugares que visitei por lá.

St. Gallen é uma cidade situada próxima as fronteiras da Alemanha e Áustria, com aproximadamente 70.000 habitantes, com muita história para contar…

 

Cidade Velha de St. Gallen

No nosso retorno da Bulgária, chegamos na cidade de St. Gallen e nos hospedamos no hotel bem central chamado DOM, um hotel três estrelas, com um atendimento perfeito, ótimo café da manhã e os funcionários de uma educação memorável.

O endereço do hotel é Webergasse 22 – St. Gallen email: www.hoteldom.ch  +41 (0) 71 227 71 77 , bem central que te facilita caminhar pela cidade para qualquer lugar a pé e voltar tranquilamente a qualquer hora. Da primeira vez que passamos por St. Gallen, também nos hospedamos aqui e achei tudo de bom.

Uma cidade calma, onde se pode caminhar a pé sem aqueles movimento de carros e com tranquilidade e segurança. A cidade oferece muitos restaurantes, uma gastronomia para todos os gostos, cafés, confeitarias com seus maravilhosos doces, chocolates quentes e tortas  para todos os gostos e bolsos. 

Crianças fantasiadas para o carnaval de St. Gallen

Essa viagem se deu no mês de fevereiro de 2017, onde tivemos a oportunidade de conhecer um pouco como se dá o carnaval em St. Gallen, que é a principal cidade do Cantão Suíço com o mesmo nome.  http://Carnaval St. Gallen Suiça

A localização da cidade é fantástica, caso você queira não somente conhecê-la como também aproveitar para visitar os países vizinhos em sua fronteira com passeios interessantes. Vou trazer posts por aqui para você poder ter uma ideia de outros lugares que visitamos na fronteira.

O nome da cidade St. Gallen se refere a um monge que, em torno do ano de 612, chegou junto com alguns companheiros por essa região.

Comprei um livro na minha visita a famosa biblioteca de St. Gallen onde nos conta sobre essa história. A cidade é mundialmente conhecida pelos seus famosos bordados, bem como a sua Igreja barroca e a linda e histórica biblioteca que guardam relíquias da humanidade.

Para se ter uma ideia, lá estão 2.100 manuscritos, uma múmia egípcia de 2.700 anos de idade, 50.000 livros de um total de 170.000 guardados no salão barroco. Um visita que vale muito a pena.

Em 1983, toda essa parte histórica da cidade foi declarada como Patrimônio Histórico da Humanidade.

Outra característica dessa cidade que me chamou a atenção, nessa parte antiga e em outras mais centrais, são suas casas burguesas do século XVI ao XVIII, com suas sacadas bem trabalhadas em madeira e envidraçadas,  algumas com lindas pinturas.

Os detalhes são muito ricos nesse trabalho em madeira

Ao caminhar pela cidade, se você gosta de antiguidades e tiver um tempo para admirar os detalhes de cada construção, ficará encantado(a) com os detalhes das construções bem elaboradas. 

Você poderá desbravar a cidade sózinho (a), como também se utilizar dos serviços prestados na cidade para os turistas. Eles oferecem passeios públicos com saídas do Centro de Informação Turística – na rua Bankgasse 9.

Viajar cada um tem o seu jeito e suas preferências para  desbravar e conhecer novos lugares. Eu e a minha família, particularmente,  gostamos de explorar os lugares  com dicas de pessoas que já viajaram ou ainda melhor, através de amigos que, quando possível, nos dão as informações locais e nos apresentam e mostram lugares maravilhosos que nem sempre as companhias turísticas nos oferecem.

Nessa viagem, por exemplo, quero agradecer muito aos amigos suíços que nos receberam, nos levaram passear e nos deram muitas dicas não só de St Gallen como de toda essa região próxima a essa cidade, fazendo com que momentos inesquecíveis fiquem guardados em nossas memórias e histórias de vida.

O que seria de nossas vidas sem as pessoas que nos acompanham e fazem com que momentos, bons ou até mesmo ruins, fossem celebrados juntos. Amo tudo isso. Amo gente, amo pessoas, com todas as suas diferenças, qualidades, defeitos, virtudes, fraquezas, diferenças sociais. Afinal, somos todos humanos viajantes desse mundo, percorrendo caminhos diversos, porém com a colaboração daqueles que a vida nos apresentam. Sou muito grata por isso.

Estarei trazendo aqui para você o que vimos por lá nos próximos posts, lugares lindos, interessantes e que possa servir de referência, caso você vá passar por esses locais. Por que não dividir coisas boas? Não é mesmo?

Um pouco da História do início da cidade

Foi por volta do ano 612 que o monge itinerante Gallus estabeleceu-se pelo rio Steinach na Floresta de Arbon, tendo chegado em Alemannia dois anos antes com Columban o mais novo e seus companheiros”. O nome de St. Gallen se refere a ele.

“Desde o século IX, supõe-se que Gallus era de ascendência irlandesa. No entanto, de acordo com pesquisas recentes, ele pode ter vindo da região fronteiriça entre Lorena e Alemannia e só encontrou Columban e seus companheiros irlandeses no mosteiro de Luxeuil nos Vosges”.

Gallus foi considerado um representante da tradição monástica irlandesa e decidiu permanecer na região do Lago de Constança estabelecendo uma pequena igreja próximo a uma cachoeira Steinach.  O local se tornou um ponto de encontro de seus discípulos e, mais tarde, o núcleo da Abadia de St. Gallen. 

Gallus morreu na velhice, por volta do ano de 650 e foi enterrado em sua casa de oração. A população local homenageou-o como santo, muitas vezes procurando proteção em seu túmulo em tempos de perigo ou desespero.

Outra informação sobre St. Gallen, que foi nos passada pelo nosso amigo Ralph, é que nessa cidade  também viveu por lá, em um período de tempo, Paracelso, um médico importantíssimo para a evolução da medicina. Saiba um pouco sobre isso abaixo.

Mas quem foi Paracelso?

imagem do google

Paracelso que viveu nos anos entre 1493 e 1541, em sua época, revolucionou a história da medicina. Uma das frases mais conhecidas dele: “Todas as substâncias são venenos, não existe nada que não seja veneno. Somente a dose correta diferencia o veneno do remédio”.

Agora olha e pensa aqui comigo a importância dele para a medicina, o que ele conseguiu descobrir e trouxe para a evolução dos estudos da saúde. 

“Paracelso revelou que os elementos químicos como o zinco, ferro, manganês, poderiam estar presentes em nosso corpo. Ao contrário do que pensavam na época, os minerais existiam na forma orgânica e não somente na forma inorgânica (fora do organismo). Foi a partir daí que o alquimista propôs uma interação dos minerais e metais com o bem estar do homem, e um de seus estudos envolvia a cura da sífilis com mercúrio”.

“Em uma época que a sífilis atingiu inúmeras pessoas na Europa, por volta de 1527, os estudos de Paracelso aparecem como um milagre. Este médico, pela primeira vez na história, usou algo que não fosse vegetal, nem animal para tratamento médico. A sífilis curada pelo metal mercúrio foi uma amostra desta inovação e foi considerada a mais importante descoberta de Paracelso. (Por Líria Alves, Graduada em Química).

http://brasilescola.uol.com.br/quimica/paracelso-cientista-saude.htm

A passagem de Paracelso por St. Gallen

 

“Uma vez, vindo de Nuremberg, Paracelso interrompeu sua viagem e permaneceu de 1531 a 1533 na parte oriental da Suíça: Primeiro como médico pessoal do prefeito gravemente doente de St. Gallen, Christian Studer, após a morte de Studer (30. 12. 1531) ele provavelmente ficou em Roggenhalm perto de Bühler, uma pequena aldeia no Cantão de Appenzell. Na maioria dos raros depoimentos de cidadãos de St. Gallen (Bartlome Schowinger, Johannes Rütiner, Vadian) sobre o homem de Hohenheim, ele é descrito negativamente como um estranho, um pouco desfavorável e desagradável. O próprio Vadian, a quem Paracelso dedicou o terceiro livro de seu Opus Paramirum, obviamente o evitava. Em St. Gallen Paracelso escreveu dois roteiros prognósticos que foram prontamente impressos em Zurique: A Exposição do Cometa e a Exposição do Arco de Peache. Rütiner conta em seu diário sobre uma intervenção cirúrgica (finalmente bem sucedida) em uma mão operada por Paracelso. Outro tratamento bem-sucedido realizado em um monge em dezembro de 1533, quando ele viveu em Roggenheim, está registrado no livro de despesas do abade de St. Gallen.” 

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/8191183 


Enfim gente, o objetivo do post foi trazer aqui para você um pouco da cidade velha de St. Gallen. Uma cidade rica em cultura para a humanidade. 

Nos post seguintes quero trazer aqui para você outros lugares que tive o prazer de conhecer e visitar, para que você possa conhecer um pouco mais sobre essa importante cidade da Suiça.

Era isso por hoje.

Obrigada pela visita. Você é sempre bem vindo(a) por aqui.

Um abraço.