Recanto das Cataratas- Uma viagem com 4 gerações

Oi gente

O post de hoje se refere a uma viagem que fiz eu 58 anos, minha sogra de 84 anos, minha filha de 27 e meu querido neto de 4 meses. Saiba um pouco sobre mais essa história de viagem por aqui, como venci esse desafio kkk …

No final do mês de novembro, recebemos em casa a visita de minha sogra de 84 anos que residi em Porto Alegre e, há alguns anos atrás, ela tinha me comentado que gostaria muito ter a oportunidade de conhecer o Paraguai (kk), pois sempre escutava falar dali, que era um lugar legal para compras.

Aquele desejo dela sempre ficou na minha cabeça. E pensei: Um dia ainda vou levar a vó Maria (assim que a chamo) para conhecer o Paraguai.

Os anos foram passando e essa oportunidade nunca aparecia e, dessa vez, pensei é agora ou nunca que vou aproveitar que a vó Maria está por aqui em Londrina e vamos levá-la conhecer o Paraguai.

Quando se tem o marido que trabalha muito e nunca tem tempo, o jeito é encarar os desafios e enfrentar a estrada e os passeios que se queira. É lógico que ele queria estar junto com sua mãe nessa viagem, mas, como nem sempre é possível, o jeito é ir fazendo o que se pode.

A escolha do Local

Viajar com idoso e bebê não é nada fácil, pois é uma viagem que requer muita paciência e programação para que tudo saia bem legal, pois a responsabilidade de sair com “duas crianças” a priori é sim um desafio.

Não podia também estar muito tempo por lá, devido aos compromissos com o meu consultório e pacientes. Assim, me programei para passar uns quatro dias nesse passeio.

Aproveitando a Black Friday escolhemos um pacote com preço razoável na CVC e decidimos passar 4 dias no Recanto das Cataratas. Um escolha que foi um acerto, pois além de nos oferecer todo o conforto que precisávamos, ainda ganhei um upgrade na chegada. Adorei a surpresa e aproveito para agradecer a administração do Hotel. Nos colocaram em um quarto hiper confortável, com todas as facilidades para o bebê, com bercinho e banheira para o banho do pequeno Pedro.

O hotel nos proporcionou todo o conforto que precisávamos e fomos muito bem atendidos pela equipe. Fica aqui a dica, caso resolva fazer uma viagem com idoso ou bebê em Foz do Iguaçu, ou ainda, para qualquer passeio que resolva fazer por lá. Só a estadia no hotel já vale o passeio.

Já tive várias oportunidades de estar em Foz do Iguaçu durante a minha vida. Já fui a passeio, já fui acompanhando marido em congressos e, também, para fazer algumas comprinhas no Paraguai. Assim, conheço também vários hoteis por lá. Mas, ainda, não tinha ficado no Recanto das Cataratas e confesso que amei a estrutura do hotel, bem como os serviços oferecidos.

É lógico que no formato dessa viagem, não usufrui como gostaria até porque exerci mais a função de babá (kkk) mas, mesmo assim, foi muito gostoso essa experiência. Sair com idoso e com bebê juntos é preciso, realmente, treinar a paciência para que tudo saia como desejávamos.

A ida ao Paraguai

Estava muito quente esses dias por lá. Combinei com minha filha que iria somente eu e a vó Maria para o Paraguai, pois não tinha como levar o Pedro para lá. Claro gente, que é preciso facilitar esse passeio com o idoso. Então, a Malu foi sozinha na parte da manhã e a tarde me aventurei com a Vó Maria para que ela pudesse conhecer o Paraguai.

Conhecemos por lá o Marcelo, um taxista que nos levou e trouxe do Paraguai, nos esperando e acompanhando por lá, ao preço de 150 reais. Ele foi fantástico, com muita paciência para nos acompanhar. Já trabalha há 15 anos nesse tipo de trabalho de acompanhar os turistas. Super indico e vou deixar aqui o cartão dele, caso precise em Foz do Iguaçu.

A foto está ao contrário, não consegui virá-la kk
Ele tem uma nini van que cabe até 7 pessoas

Fomos apenas em dois lugares, em uma loja de perfumes aonde achei bem legal os preços, o nome da loja é Mecedonia, e passamos rapidamente no Shopping Paris.

É gente, idoso não consegue andar nem rápido e nem ficar muito tempo nos acompanhando. Mas, o meu objetivo de levá-la conhecer o Paraguai foi atingido e, tanto eu quanto ela, ficamos realizadas.

A alegria da Vó Maria

É gente, sou daquelas que gosto muito da minha sogra, também vale lembrar que sempre morei há 1200 km de distância kkkk Mas, brincadeiras a parte, é sim possível se dar bem com a sogra.

Curtindo o Hotel

Os demais dias ficamos no hotel, curtindo da forma que nos foi possível. Pegamos meia pensão, com um jantar oferecido com muitas opções e para todos os gostos, bem como o café da manhã muito bem servido.

O Pedro, meu primeiro netinho americaninho, nos acompanhou tranquilamente, sem nenhum problema, realizando aqui no Brasil sua primeira viagem turística.

Próximo a piscina, você poderá pedir os seus aperetivos e tem muita sombra e lugar para estar com o bebê.
Vovó dando mal exemplo para o Pedro kkk Uma pina colada deliciosa.
O local do nosso café da manhã, muito bem servido.
A noite, a decoração de Natal estava linda
O Pedro Henrique com a bisa
Pedro curtindo a mamãe Malu

Fomos e voltamos de carro e eu dirigindo. Confesso que estava um pouco apreensiva com a distância e a responsabilidade em sair com o bebê e uma idosa, mas eles foram fantásticos, o Pedro dormiu quase toda a viagem de 495 km e a vó Maria foi conversando a viagem toda.

A mamãe Malu, minha filha caçula, aproveitou um pouco mais a viagem, até mesmo pela idade né gente? Estando por lá, visitou as Cataratas mais um vez e o Parque das Aves. Passeios que achei muito cansativos para a vó Maria e, principalmente, com o bebê.

E assim, dividindo as tarefas no dia a dia, foi possível cada um de nós curtir um pouco essa viagem que fará parte das nossas histórias.

O Spa do Hotel

Como ninguém é de ferro, resolvi conhecer o Spa da Hotel, um dia antes de enfrentar a viagem de volta e fui muito bem atendida, pela Lourdes e Rose. Ali você encontrará várias opções para relaxamento e algum tipo de tratamento caso queira.

O Spa do Hotel

Por que resolvi postar essa história de viagem por aqui?

Então gente, nós os cinquentões somos a próxima geração de idosos nesse país e chegará o momento, também, onde precisaremos que nos acompanhem em nossas viagens.

O fato da pessoa ser idosa não quer dizer que ela não tenha mais desejos como nós os mais novos. As vezes, tem até condições financeiras para realizar algumas viagens mas precisa sim de que alguém, preferencialmente da família, que os acompanhe.

Envelhecer é um processo natural, o qual todos nós passaremos um dia e que bom pensar que passaremos não é mesmo? Pois, caso contrário, só se morrermos antes disso e fala a verdade, pensando assim como é bom poder envelhecer.

Ao envelhecer temos que aprender a lidar diariamente com muitas perdas: perdas de habilidades, perdas de pessoas queridas, perdas por todos os lados e o idoso não precisa necessariamente somente ir em velórios, por exemplo. É preciso que o idoso tenha a possibilidade de ver vida a sua frente, ou seja, não somente fazer as famosas visitas aos médicos, mas também poder sair, bem acompanhado, para passeios seja eles quais forem.

Cabe a nós filhos, genros, noras e netos treinar a paciência e proporcionar algum momento legal para os nossos idosos. É incrível como as dores desaparecem, a sensação de vida e esperança se apresentam nesse momento.

Sendo assim, mas que qualquer presente a um idoso, vale a pena pensar em lhe oferecer um passeio. Se não uma viagem, uma saidinha a tarde para tomar um café, pegar um cinema ou até mesmo levar visitar uma amiga ou parente. Com certeza, esse presente será o melhor para ele ou ela e, ainda, lhe fará muito bem também.

Quero aproveitar para agradecer algumas pessoas as quais tivemos contato e nos atenderam bem no Recanto das Cataratas: Nossos agradecimentos ao Diego, Guilherme, Vinícius, Géssica da Recreação, Luiz Fernando do bar da piscina e demais funcionários que tivemos contato e não tenho aqui todos os nomes.

Enfim, deixamos aqui mais uma história de viagem e que esse hotel possa ser uma das suas opções certas para descansar e passear com sua família, até mesmo em quatro gerações.

Era isso por hoje.

Obrigada pela sua visita. Você é sempre bem vindo(a) por aqui.

Um abraço.