Como surgiu a marca no mundo da moda

Oi Gente

O post de hoje é para falar um pouco sobre como surgiu essa história das marcas, no mundo da moda. Tudo é história e para se entender o presente nada melhor que ir buscar informações no passado. Como então foram construídas as primeiras marcas de moda? Tudo começou com Charles Frederick Worth, no século XIX. Saiba um pouco sobre isso por aqui…

Tea gown by Charles Frederick Worth, ca 1890-95, Royal Ontario Museum:

Quem criou a primeira marca de moda?

Resultado de imagem para Charles Frederick

Apesar desse bigode um pouco estranho, foi ele mesmo o criador da primeira marca de moda. O nome dele é Charles Frederick Worth,  um costureiro inglês que foi reconhecido como o “pai-da alta-costura”.

Era ainda o século XIX, no momento da Revolução Industrial. Frederick Worth, que havia trabalhado em sua juventude como vendedor de tecidos em Londres. “Em 1846, mudou-se para Paris e, após doze anos trabalhando na indústria textil (de seda), estabeleceu-se como costureiro em sociedade com um sueco chamado Otto Bobergh.

Nessa época, não existia ainda essa forma que temos hoje sobre a produção de roupas, e muito menos nem se pensava nas questões de marca. As mulheres compravam tecidos, escolhiam alguns modelos, ou elas mesmas pensavam como queriam e lá iam a sua costureira (modista) e solicitava como queriam que fosse executado o seu vestido.

Foi então que Frederick Worth, inicialmente pensando em desenvolver projetos para criação de vestidos para a sua esposa Marie Vernet, a qual não seguia os modos de se vestir na época. E assim, ele foi desenvolvendo e criando a sua própria coleção de vestidos para ser comercializado. Isso era no ano de 1858. A partir daí, ele não parou mais de criar novos modelos e usava como slogan “altas novidades”.

Assim foi criando esse conceito de novidade, lembrando que a Revolução Industrial estava ali a todo vapor, com novas ferramentas surgindo para a produção dos mais variados produtos. Assim “Worth estabeleceu   um novo conceito de moda – o da obsolescência embutida -fenômeno da mudança e da valorização do novo, que conhecemos bem na atualidade”.

Worth ball gown, 1885-88From Kerry Taylor Auctions:

Em seu ateliê implementou uma linha de produção em série na qual criava partes padronizadas e intercambiáveis dos vestidos (por exemplo, mangas diferentes que cabiam em diferentes corpetes e que combinavam com inúmeras formas de saias). Outra  inovação foi a introdução, em 1860, dos moldes de papel e a figura da modelista, que expandiu as possibilidades de criação”.

Worth ballgown, 1900-1905. Silk and cotton with metallic thread, glass, and metal ornamentation. #worth #ballgown #eveninggown #edwardian #vintagefashion:

Ele começou então a criar modelos, com tecidos de alta qualidade, com trabalhos diferenciados, usando aplicações e bom caimento,  direcionados a atender a elite e as atrizes (que formariam a opinião) e também percebia uma recompensa pelo diferencial dos seus vestidos. “Em 1864, Worth aboliu a crinolina (estrutura de crina e, posteriormente, de aço em forma de cone feita para sustentar as enormes anáguas e saias), que integrava a identidade de seus produtos, e elevou a saia na parte de trás, formando uma cauda; mais tarde, criou a anquinha. Por intermédio dessas modificações no vestuário, seus produtos era reconhecidos”. Observem que assim ele ia criando uma identidade e um diferencial.

House of Worth, Paris, with Indian embroidery, Bodice, Skirt and Train, ca. 1900–1903, silk with silver and gold thread and bullion work, Fashion Museum, Bath:

Os preços de sua maison eram bem caros, o que não significava que o valor se referia simplesmente aos valores dos materiais que eram utilizados na confecção de suas criações, mas sim o que significava usar um vestido criado por ele, lembrando que usar uma roupa de Worth “anunciavam que suas peças era usadas por mulheres associadas à riqueza e ao poder” o que ele estava nesse momento criando era o conceito do posicionamento de uma marca.

Charles Frederick Worth | ... SAW IT IN THE WINDOW AND I COULDN’T RESIST IT.” ~ Worth Pour Homme:

Surge também com ele, reforçando o simbolismo, a primeira etiqueta de marca de moda, onde ele colocava a sua assinatura, dando a peça de sua criação uma autoria “como se fosse um certificado de autenticidade, identidade e status da peça”.

Ele também criou junto com a sua esposa, que era a sua modelo, a ” primeira forma de desfiles de moda”, fundando em 1868, o primeiro sindicato da confecção de alta costura, com o objetivo de os modelos destinados a alta-costura fosse copiados e também pertence a ele o mérito de ter sido o “idealizador da haute couture (alta-costura), que contava com uma proteção jurídica, embasada por critérios definidos pela Câmara de Comércio e Indústria de Paris, para definir anualmente as marcas participantes. Por conta de tudo isso se atribui a Worth o reconhecimento de Paris como capital ocidental da moda”.

Charles Frederick Worth, Afternoon Dress with Metallic Lace Bolero, 1889.:

Enfim, esse inglês além de criar a marca no mundo da moda, ele já trouxe todos os conceitos embutidos nesse seguimento e que até hoje, apesar dos seus avanços, foram criados e pensados por Charles Frederick Worth.

Era isso por hoje gente.

Obrigada pela visita. Você é sempre bem vindo(a) por aqui.

Um abraço.

Referência:

André Carvalhal – A moda imita a vida, em como costruir uma marca da moda – Senac – 2015.