O que é a Psicologia do Desenvolvimento?

Oi Gente

Dizem que de psicólogo e de louco todo mundo tem um pouco. Mas o assuntos a respeito de psicologia sempre desperta algum interesse nas pessoas em geral e como um blog é um lugar onde se pode obter algumas informações rápidas sobre algum assunto de interesse das pessoas, aos poucos pretendo escrever aqui para você um pouco sobre o que venho aprendendo e que posso sim compartilhar com você. Espero conseguir passar alguma informação de forma mais simples, para que você possa ter pelo menos uma ideia do que se tratam os assuntos. E, ainda, caso queiram perguntar algo a respeito, a medida do possível e do meu entendimento, podemos sim conversar por aqui.

O post de hoje é uma visão rápida sobre essa disciplina da Psicologia. As vezes a Psicologia do Desenvolvimento é comparada ou falada como psicologia da criança, psicologia genética ou psicologia do desenvolvimento. Entenda por aqui a diferença desses três conceitos.

 

Psicologia da Criança

A psicologia da criança descreve a evolução desde o nascimento até a adolescência, “seu objetivo consiste em estudar exclusivamente essa faixa etária, como é possível fazer, também em relação a adolescência, à idade adulta ou à velhice”. (p.12)

Psicologia Genética

Visa o aspecto evolutivo dos comportamentos, sua gênese. O Psicólogo J. Piaget interessou-se “pela criança enquanto meio de acesso aos processos evolutivos que culminaram no pensamento do adulto”. Jean Piaget é um dos principais teóricos da psicologia do desenvolvimento.

Piaget dizia que era mais fácil entender o funcionamento mental do adulto se soubesse como foi o desenvolvimento de suas estruturas mentais. Para que não haja confusão entre psicologia genética e os estudos dos genes, essa disciplina atualmente, ao invés de se dirigir ao aspecto genético hereditário das condutas, ela foca o seu trabalho exclusivamente ao seu aspecto evolutivo.

Psicologia do Desenvolvimento

Atualmente essa denominação vem tomando o lugar da expressão “psicologia genética”, apesar de um pouco parecida ela estuda as mudanças, não somente as fisiológicas, mas sim “o conjunto das mudanças efetuadas no decorrer da evolução, desde o começo até o fim da vida” (…) ela estuda, ainda, sua involução – lembrando que é frequente restringir a psicologia do desenvolvimento aos processos evolutivos.”

Assim, podemos dizer que a Psicologia do Desenvolvimento estuda os processos evolutivos do ser humano durante o decorrer de toda a vida e ainda que, integra cada vez mais o desenvolvimento das crianças portadoras de alguma deficiência. O estudo de seu desenvolvimento, limitado pelas circunstâncias, tem a vantagem de enriquecer, em retorno, os modelos gerais do desenvolvimento”. (Guidetti & Tourrette, 1999).

É uma ciência ainda jovem, que tem como principais orientadores, entre outros, os 6 grandes nomes da história do desenvolvimento da nossa espécie:

  1. A orientação maturacionista: A. Gesell (1880-1961)
  2. A orientação behaviorista: J. Watson (1878-1958) e Skinner (1904-1990)
  3. A orientação psicanalítica: Sigmund Freud (1856-1939)
  4. A orientação etológica: de H. F. Harlow (1905-1995) a J. Bowlby (1907-1990)
  5. A orientação cognitivo-construtivista: Jean Piaget (1896-1980)
  6. A orientação psicossocial de H. Wallon (1879-1962)

Desses 06 teóricos, as três teorias de referência na psicologia do desenvolvimento são:

1. A teoria piagetiana

Jean Piaget, suíco: “esse pesquisador se interessa não pela criança em si mesma, mas enquanto meio de acesso ao funcionamento mental dos adultos”. Ele quer saber e compreender de onde vem o nosso saber e como ele se constrói. Pode-se dizer que essa orientação é cognitiva (ela é focalizada na gênese dos processos mentais e dos conhecimentos engendrados por seu funcionamento) e construtivista: com efeito, todos os nossos conhecimentos se elaboram no decorrer de trocas dialéticas entre o indivíduo e o entorno no qual ele se desenvolve; além disso, eles se estruturam, progressivamente, ao se apoiarem nos conhecimentos anteriores e ao prepararem a integração dos novos conhecimentos”.

2. A teoria walloniana

H. Wallon, francês: Essa teoria é mais ampla que de Piaget, pois além da cognição, pretende “englobar o conjunto do desenvolvimento da criança na mesma perspectiva, integrando tanto os aspectos cognitivos quanto os aspectos afetivos e sociais da personalidade da criança; em seu entender, esses diferentes aspectos são indissociáveis. (…) Ele considera que, desde o nascimento, a criança é um ser social, que constrói, progressivamente, sua identidade através de suas relações com os outros”.

3. A teoria freudiana

Sigmund Freud, Austríaco: “O papel do entorno no desenvolvimento torna-se preponderante em relação ao papel da maturação. O indivíduo é modelado por suas experiências pessoais e pelas relações interpessoais que ele desenvolveu, em particular, durante a infância, período de intensa construção psíquica”.

Enfim, o objetivo aqui foi apenas de apresentar um pouco do que se trata essa disciplina Psicologia do Desenvolvimento, lembrando, ainda,  que esses teóricos são os principais que compõe os seus estudos, mas que além deles há outros teóricos que estudam e pesquisam a respeito.

Era isso por hoje.

Obrigada pela visita. Você é sempre bem vindo(a) por aqui.

Um abraço.

 

Referência: Tourrette C.; Guidetti, Michèle – Introdução à Psicologia do Desenvolvimento – Do Nascimento à Adolescência – Ed. Vozes – 2ª Edição.