A arte da Prudência de Baltasar Gracián

Oi Gente

No post de hoje separei aqui para você alguns aforismos (qualquer forma de sentença breve. Um ditado, adágio, axioma, provérbio, máxima, tudo isso são sinônimos também de um aforismo) sobre a arte da prudência do filósofo, teólogo e um dos mais poderosos escritores do barroco espanhol, Baltasar Gracián.

Para se ter uma ideia sobre Baltasar Gracián ele nasceu em 1601 e faleceu em 1658 e não é tão conhecido por aqui no Brasil. Esse singular pensador foi lido por La Rochefoucauld, Voltaire, Arthur Schopenhauer, Friedrich Nietzsche, e também psicanalista Jacques Lacan.

O objetivo do post é apenas apresentar esse filósofo para aqueles que nunca viram falar e sendo assim,  trouxe para você 5  aforismos desse pensador para que você possa ter algum contato com uma de suas obras e, se gostar e tiver interesse,  você poderá buscar mais sobre ele, ok?

  1. Caráter e Inteligência

São dois pólos para exibir as qualidades de um homem. Um sem o outro é boa sorte pela metade. Não basta ser inteligente, é preciso também ter predisposição de caráter. A má sorte do tolo é desconsiderar sua condição, ocupação, vizinhança e amizades.

     2. Vencer a Inveja e a Maldade

É prudente desprezar a inveja, mas a indiferença não vale o mesmo que a gentileza. Não há aplausos suficientes para quem fala bem daquele que fala mal. Não há vingança mais nobre que vencer a inveja com méritos e qualidades. Cada sucesso aumenta o tormento do invejoso. Para o rival a glória do outro é um inferno. Esse é o maior castigo: fazer da sua felicidade um veneno para o adversário. O invejoso não morre uma vez só, mas toda vez que o invejado é aplaudido. A eternidade da fama de um compete com a dor do outro: os dois são imortais, aquele nas suas glórias e este nas suas penas. O clarim da fama soa para anunciar a imortalidade de um e divulga a morte do outro, condenando-o à força da inveja.

   3. Falar com prudência

Seja cauteloso com os adversários e decente com os demais. Sempre há tempo para dizer algumas palavras, mas não para engoli-las. Deve-se falar como nos testamentos: quanto menos palavras, menos processos. Pratique com o que não é fundamental para estar preparado para os momentos importantes. O segredo parece algo divino. Quem está sempre disposto a falar corre o risco de ser vencido e convencido.

4. Ir direto ao assunto

Muitos dão cem voltas ao redor do mesmo ponto e se perdem num falatório sem fim, cansando a si mesmos e os outros, sem nunca chegar ao âmago da questão. Quem procede assim tem pouca clareza de ideias. São pessoas confusas, que desperdiçam tempo e paciência no que não deviam e, depois, ficam sem ambos para o que realmente importa.

5. Temperamento jovial

Com moderação, é uma qualidade e não um defeito. Um pouco de graça tudo tempera. Os grandes homens também têm a arte da jovialidade, que atrai a simpatia de todos, mas sempre respeitando a prudência e guardando o decoro. Alguns fazem da simpatia um atalho para sair-se bem de um problema, porque é preciso levar certas coisas na brincadeira, mesmo aquelas que outros levariam ainda mais a sério.  Esse tipo de temperamento indica amabilidade e cativa os corações.

É incrível como obras escritas há tantos anos atrás, com  sabedoria, permanecem eternizadas na cultura.

Era isso por hoje.

Obrigada pela visita. Você  é sempre bem vindo(a) por aqui.

Um abraço.

 

 

Referências:

Gracián Baltasar – A Arte da Prudência Ed. Sextante

http://www.significados.com.br/aforismo/