5 Modelos de carreira – descubra em qual você se encontra

Gente

 

fotos sobre trabalho

Com tanto desemprego acontecendo em nosso país, hoje resolvi escrever um pouco sobre esse assunto. Como já trabalhei muito nessa área de Recursos Humanos e venho acompanhando as mudanças ocorridas ao longo desses anos com a relação as novas formas de trabalho, resolvi escrever um pouco sobre isso…

De uns tempos para cá, com a globalização principalmente, as relações e forma de trabalho tiveram mudanças significativas e toda mudança gera um desconforto e também um certo tempo para que o cenário comece a tomar uma nova forma.

Aqui no Brasil a gente observa situações em que formas de administrar ainda estão muito divididas. A empresas se apresentam de várias formas nesse sentido. Tem empresas que acompanharam o ritmo e a evolução das transformações, tem empresas que entendeu, assimilou as mudanças, mas a reação é lenta e ainda sofre com isso e infelizmente, ainda encontramos empresas que teimam em tentar seguir formas de administrar seus recursos humanos como era feita anteriormente.

imagesPNHLUOHY

Mas, estamos no ano 2015. Gostando ou não as coisas mudaram e temos que viver aqui e agora, ou seja é encarar a realidade, o mercado de trabalho,  é o que se tem para hoje.  E ai te pergunto: Como você está encarando tudo isso e como anda a sua carreira? Que tipo de carreira você está construindo para você enfrentar esses novos cenários?

Os cinco novos modelos de carreira, citados no artigo de Magalhães e Bendassolli são os seguintes:

  1. A Carreira sem fronteiras –  Esse é o modelo mais citado na literatura hoje em dia. Quem é esse sujeito?

download

Na carreira sem fronteiras está aquele sujeito que “não se dedica a uma única organização ao longo de sua vida de trabalho, mas transaciona com várias delas, até mesmo com as diversas ocupações”.

Aqui se encontra aquela pessoa que desenvolveu algumas habilidades tais como: ele sabe o porquê das suas escolhas, quais são seus valores e desejos, como fazer e como ter uma rede de contato que o apoie. Esse sujeito está mais preparado para mobilidade e flexibilidade aos novos arranjos de trabalho, como por exemplo ele pode se arranjar trabalhando em um teletrabalho, em empregos temporários, o autoemprego nas horas em que não está oferecendo seus serviços a outro, o trabalho por projetos.

Enfim, o individuo que se encontra ou que quer fazer de sua carreira uma carreira sem fronteiras ele precisará estar preparado para mudanças, mudanças de cenários, mudanças geográficas, mudança de setor de trabalho e até mesmo mudanças na vida pessoal e psicológica “no sentido de não ter medo de mudar de trabalho ou de possuir uma trajetória profissional incerta”, para isso ele terá que atravessar fronteiras e vencer algumas barreiras e isso exige sim disposição, algum sofrimento, algumas perdas para obter ganhos.

 

2. A Carreira Proteana

proteu

Você estará perguntando o que é isso? Pois  é Proteana vem da palavra Proteu (“era uma criatura grega do mar que podia mudar sua face como lhe conviesse).

Esse modelo diz respeito a você desenvolver um autodirecionamento na carreira.

Se você pensar que estamos em um ambiente de incertezas e transformações, o seu ponto de apoio para orientar-se será a sua própria identidade. E como fazer isso? Ou o que quer dizer com isso?

“Portanto, sugere-se a ideia de versatilidade e flexibilidade, e a capacidade de o indivíduo mudar sua carreira conforme as circunstâncias ou seus desejos pessoais o exigirem”. Traduzindo isso: Você é o dono de sua carreira e não a Organização onde hoje está inserido. É pegar a sua vida e a sua carreira e chamar essa responsabilidade para você.

3. Craft career

artista criando

Craft career? O que é isso agora? É isso mesmo, a palavra craft em inglês significa artesanato e vem da arte esse modelo. Aqui o sujeito deve se tornar o artesão de suas próprias carreiras, ou seja assim como um artista, diante de sua obra, desenvolve com esforço a sua criatividade para expressar sua inspiração unindo inspiração com técnicas necessárias para a execução, é assim a carreira que está centrada nesse modelo de Craft career.

Assim como os artistas, que estão sempre abertos a invenção ou à transformação de sua arte, é o que sugere esse modelo de carreira. Não estar fechado para outras possibilidades que podem surgir a qualquer momento, desde que você esteja aberto para isso.

4. Carreira portfólio

pasta

De acordo com o dicionário da língua portuguesa on line, para quem não sabe, “portfólio significa pasta para documentos ministeriais, pasta para guardar amostras, álbuns e folhetos”, mas no mundo do trabalho essa palavra significa para simplificar o que você fez e sabe fazer, seu histórico de habilidades, sua vida acadêmica, sua vida profissional, enfim o que você tem de experiência para oferecer, para se apresentar.

Esse tipo de carreira significa que o sujeito deve fazer várias coisas ao mesmo tempo. Sabe aquela história que você tem hobby e de repente vira o seu ganha-pão? É aquele sujeito que é curioso que tem seu tempo dividido em várias outras tarefas e desenvolve paralelamente junto a principal.

Esse modelo se torna coerente em uma época de descontinuidade nos trabalhos. Quer ver um exemplo? Hoje muitas pessoas se encontram trabalhando em determinados projetos, um projeto tem início, meio e fim e muitas vezes até a data já determinada de finalização. Isso equivale dizer que quem está participando em um determinado projeto uma hora ele terá que estar em outro projeto. Você precisa então estar aberto e melhorar cada vez mais o seu portfólio, pois a oportunidade as vezes aparece e é ai que o seu portfólio fará a diferença.

5. Carreira Multidirecional

pessoas trabalhando

Ela é o oposto da carreira tradicional, onde o sujeito começava a sua carreira e sabia onde iria chegar, bastasse ele seguir as normas, os passos. Elas eram lineares, fixas, tinha uma rotina organizacional. Aqui é o contrário disso. As carreiras multidirecionais são flexíveis, dinâmicas e abertas as direções outras que não aquelas determinadas por uma organização. Aqui o individuo vai revendo o seu foco, ele vai errando, aprendendo e direcionando para possibilidades distintas e igualmente válidas.

É gente

Fácil não é, mas é possível. Não adianta ficar no chororó é pensar e repensar onde está, onde quer ir. É necessário trabalhar primeiramente você mesmo com suas próprias barreiras e encarar o mundo do trabalho, com certeza o seu lugar está te esperando. Torço muito por isso.

Acredito que isso de pensar não é somente aos trabalhadores empregados, ou em busca de emprego.

Os empresários e empregadores que ainda não abriram a cabeça para visualizar um novo tipo de trabalhador que está no mercado, outro tipo de relação de trabalho que é necessária estabelecer, respeitando e ouvindo o seu colaborador para juntos chegarem aos objetivos da empresa, terão dificuldades em levar sua empresa adiante.

É chegada a hora das relações de trabalho serem fortalecidas como uma equipe bem treinada,  onde patrão e empregado jogam no mesmo time oferecendo o melhor que cada um pode para enfrentar os desafios de um mercado estagnado. Agora como em um time tem sempre aquele jogador que as vezes atrapalha ou não entende as regras do jogo, infelizmente ele será tirado do jogo e ai caberá a ele voltar a treinar para fazer parte da equipe.

 

Um abraço.