Saber ou não saber sobre um diagnóstico terminal

Oi Gente

Resolvi fazer esse post pois é uma questão que dá muita discussão e espero que você possa também pensar a respeito. Então e você o que pensa sobre isso?…

 

Gente já presenciei uma cena onde um médico contou a mãe que o filho estava com uma doença grave confirmada (câncer) e a mãe chocada lhe faz a pergunta: Quanto tempo ele tem Dr.? E o Dr. responde de 15 dias no máximo 6 meses. Vocês podem imaginar o que é receber uma notícia dessas sobre o seu filho?

Então fico pensando sobre esse assunto e até já troquei algumas ideias a respeito. É direito do paciente saber a verdade sobre a sua doença. Tá, tudo bem. É direito dele e pode até ser dever do médico também colocar ao seu paciente a real situação em que se encontra. Mas a minha pergunta é a seguinte: Até que ponto esse paciente está realmente preparado para receber um determinado diagnóstico, principalmente se for um diagnóstico que o leva a pensar que é o fim.

É muito frequente as pessoas discutirem sobre o assunto MEDO. Você tem medo do que? Você tem medo de avião? Você tem medo de dirigir? Você tem medo de ser assaltado? Gente esses medos todos levam até aonde? Levam ao maior medo de todos os medos. Ou seja, o maior medo que todos nós, seres humanos, temos: O medo da morte, o medo de morrer.

Aí eu fico pensando naquele paciente que está lá fazendo seus exames, com dores ou não, muitas vezes pode ser apenas uns exames preventivos não é mesmo? Será que esse paciente está realmente preparado para ouvir o resultado de um exame, quando o diagnóstico não é bem aquele que ele estava esperando? E se o diagnóstico é um daqueles sem volta? Aquele tipo de diagnóstico, que os profissionais da saúde já sabem que o tratamento não responderá positivamente. Deve contar ou não ao paciente?

Já ouvi muitas opiniões a respeito, onde as pessoas se manifestam da seguinte forma: O médico sempre tem que falar e dizer a verdade. Será? As vezes em um caso desses não vale a pena uma omissão? Não digo que ninguém deva saber, mas o próprio paciente? Um familiar tudo bem, por mais duro que seja, alguém da família tem que realmente saber. Até que ponto esse paciente está preparado para receber uma notícia dessa?

Tem aqueles pacientes que recebem uma notícia desse tipo e faz um acordo com o médico de não contar para ninguém. O que pensam sobre isso? Vocês concordam com isso?

Então gente, como aqui é um lugar onde quero falar sobre o que penso sobre… Vai lá o que eu penso:

Penso o seguinte: Se o médico vê que o diagnóstico é sério, mas a probabilidade de um tratamento dar certo é acima de no mínimo 50%, com muita cautela acho que o paciente poderá sim saber da sua situação, até para contribuir e realizar certinho o tratamento. Porém, mesmo nesses casos, a forma de anunciar isso deveria ser bem pensada. Mas abaixo desse percentual eu não concordo muito que o paciente tem que saber exatamente do que se trata.

Todo o ser humano tem suas defesas para lidar com situações não desejadas na vida, mas quando se trata de algo nesse nível, por mais forte que ele seja, uma hora a “ficha” cai e junto com isso o sujeito vai junto.

Então gente, sou da opinião de que esse tipo de questão tem que ser bem trabalhada e ver bem quem é o paciente que está do outro lado da mesa do médico. Não se trata de mentiras aqui, bem entendido, mas se trata sim de respeitar e preparar as pessoas para determinadas noticias.

É o que penso sobre isso… E você o que pensa?

Era isso por hoje gente.

Obrigada pela visita. Você é sempre bem vindo (a) por aqui.

Um abraço.