Feliz dia dos Pais!! O pai presente mesmo ausente

Oi Gente

Hoje é o dia de se comemorar mais um dia dos país, como acontece todos os anos. Talvez, de uma forma diferente de todos os outros, devido a esse período difícil e triste que já está deixando marcas em nossa história, devido a essa terrível pandemia.

Dia dos Pais – origem, história e significado da data - Hora 7 ...

Quantos filhos perderam seus pais nesse ano, devido a Covid-19 e que nesse dia dos pais, as lembranças, saudades e a tristeza possam estar batendo mais forte.

Abaixo, quando se procura no dicionário o significado de uma palavra pai, veja o que nos aparece:

Aquele que tem ou teve filho(s); genitor, progenitor.Indivíduo em relação aos seus filhos.

Responsável pela criação de;

criador: Corneille é o pai da tragédia francesa.

Quem funda uma instituição, cidade, templo;

fundador.[Zoologia] Animal macho que teve filhotes.[Figurado]

 Algo ou alguém que dá origem a outra coisa ou pessoa: o desconhecimento é o pai da ignorância.

Indivíduo que pratica o bem, que realiza ou possui boas ações; benfeitor.

[Religião] Primeira pessoa que, juntamente com o Filho e com o Espírito Santo, compõe a Santíssima Trindade.[Religião] 

Título dado aos membros padres de uma congregação religiosa. https://www.dicio.com.br/pai/

Freud já citou esse comentário acima, mas vale lembrar que Freud viveu em uma época conhecida como vitoriana, onde a família tradicional papai, mamãe e filhos era tido como aquilo que era considerado “normal” em uma família.

Os tempos mudaram e, nem sempre, essa constituição familiar se faz presente na contemporaneidade.

São vários tipos diferentes de constituição familiar e nem por isso o pai deixa de estar presente na cena. Mas, vale pensar, de que tipo de pai estamos nos referindo.

Somos seres humanos e necessitamos, principalmente, no início da nossa constituição como humanos de outros que possam nos possibilitar e contribuir com o nosso desenvolvimento para que possamos entrar no mundo da linguagem e assim sermos constituídos como sujeito.

Lacan nos fala da importância da função paterna. Uma função, na qual não necessariamente ela seja exercida pelo pai da genética, ou aquele pai que simplesmente dá o nome em uma certidão de nascimento ao seu filho e, em alguns casos, após a confirmação pelo exame de DNA.

Sendo assim, nem sempre aquele que é atribuído como pai nos documentos, são necessariamente o seu verdadeiro pai. Inclusive, há casos que nem mereceriam ser chamados de pai.

Não estamos aqui querendo discutir o que leva um pai a não assumir o seu verdadeiro papel, sendo inclusive necessário se criar leis para que possam se responsabilizar por isso. Cabe a cada um responder por seus comportamentos e escolhas nesse sentido.

Mas, penso que é necessário sim dar a importância desse dia para aqueles que realmente merecem a nossa homenagem e nossos aplausos.

Pais que se apresentam para assumir os filhos dos outros, pais que se dispõem a adotar filhos de outros para dar um lugar a esse bebê e a oportunidade de ser criado em uma família, merecem mais que nossos aplausos.

Nossos aplausos vão, também, para aqueles que mesmo não tendo o nome de pai, fazem a função paterna para uma criança que chega ao mundo, tão desamparada e necessitada de alguém que faça esse mínimo, principalmente na primeira infância.

Pais que assumem a função paterna em lugar do verdadeiro pai

Atualmente, é notório observar cada vez mais o número de pessoas que assumem a responsabilidade no lugar dos pais e, geralmente, isso fica mais evidente na ausência do pai, deixando o bebê sob responsabilidade da mãe, com a ajuda dos familiares maternos e, em alguns casos, até mesmo os familiares paternos acabam assumindo essas funções. Há casos e casos.

Essas pessoas podem ser: a mãe, os avós, tios, irmãos mais velhos, padrinhos e até mesmo amigos que acabam exercendo a função paterna com esse bebê em desenvolvimento.

O dia dos pais, então, deve sim ser comemorado e deixar a hipocrisia de lado, dando aquelas pessoas que realmente devem ser homenageados nesse dia dos pais.

É incrível acreditar que há homens, com h minúsculo, que chegam a mudar de endereço, de não arrumar um emprego estável e ainda fugir da sua responsabilidade como provedor de um filho que colocou no mundo. Fogem da lei, como fugiram da sua responsabilidade enquanto pai.

Talvez, possamos pensar que foram pais sem o desejo de o serem e pai pelo acaso, o que mesmo assim não justificaria a sua irresponsabilidade enquanto pai.

Há casos, pior ainda, quando são aqueles que planejaram e quiseram ter um filho junto a mãe da criança e depois simplesmente a abandona, como se não lhe pertencesse.

Quem sabe esteja repetindo algo de sua história, quando foi também abandonado pelo seu pai. Não cabe aqui o julgamento, cabe apenas uma reflexão sobre ver a verdade da história familiar de cada um.

Outro dia vi um vídeo que foi de se emocionar, uma criança em torno de 1 ano e meio esperando seu pai chegar de viagem e, quando apareceu o caminhão de seu pai, provavelmente retornando de uma viagem, a alegria e a corridinha que o bebê deu ao encontro de seu pai. Um pai que, mesmo ausente, devido ao seu trabalho, talvez como caminhoneiro, está presente inteiramente nesse bebê.

Já fiz um post por aqui sobre outro dia dos pais, falando um pouco sobre quem são os verdadeiros pais que merecem uma homenagem nesse dia. O Dia dos Pais – Um reflexão sobre essa função

Que o dia dos pais, seja um momento para poder comemorar os verdadeiros pais com P maiúsculo e cada filho poderá saber bem do que se trata, porque tem sim vários pais com esse P maiúsculo e que mesmo após a sua morte, deixa essa felicidade para seu filho de poder ter tido um verdadeiro pai e sentir ele presente mesmo ausente.

Para aqueles que não tiveram o privilégio de ter um pai assim, não fiquem triste e olhe ao seu redor quem foi realmente o seu pai e, nesse dia, aproveite para dizer isso a ele(a) nesse dia dos pais.

Não é necessário presente material, mas um agradecimento e um reconhecimento da sua importância na sua vida. Com certeza, esse será o melhor presente para ele ou ela.

Uma grande maioria de mamães, principalmente em nosso país, realiza essas duas funções, de mamãe e papai em sua família. Mulheres guerreiras que, mesmo sem o auxilio do pai genitor, não abandonaram seus filhos e tem a certeza de ter feito e/ou estar fazendo o melhor que se possa.

Somos humanos e seres afetivos e que mais do que bens materiais, precisamos perceber que temos alguém que exerceu e exerce essa função paterna em nossas vidas, com dificuldades e desafios diários, mas que deixam a sua marca, até mesmo quando ausentes se tornando sempre presentes.

Quanto aos pais que não se fazem presentes na vida de seus filhos, vale a pena repensar o seu comportamento e, quem sabe, tentar recuperar o tempo perdido enquanto há ainda tempo.

Não basta ser pai na certidão de nascimento, nem no provimento de pensões. Ser pai é participar, é oferecer afetividade ao seu filho que não pediu para nascer, mas que está aí tendo que resolver e elaborar tantas questões com referência ao seu pai que não foi capaz de lhe dar um lugar de pertencimento, principalmente para os menores em idade escolar.

Que os pais possam separar as suas questões conjugais das suas responsabilidades de exercerem a sua função paterna e materna junto a seus filhos.

Enfim gente, que esse dia dos pais possa ser comemorado dando o real valor e aplausos para quem merece.

Deixo aqui um abraço fraterno a todos vocês que perderam seus queridos pais nessa pandemia e que possam continuar suas histórias tendo eles sempre presentes, mesmo estando ausentes e que você possa continuar sua história de vida, não decepcionando aquele que se foi e lhe deixou tantos ensinamentos que, com certeza, você levará com você para o resto de sua vida.

Se você foi privilegiado por ter um pai com P maiúsculo, agradeça por isso e pelo tempo que pode desfrutar junto a ele da sua convivência, acreditando que continuando seu percurso por aqui é o que faz crer que ele foi realmente um pai que te preparou para seguir, ou seja, um pai presente mesmo ausente.

Era isso por hoje.

Obrigada pela sua presença. Você é sempre bem vindo(a) por aqui.

Um abraço.