OMS divulga guia sobre cuidados a saúde mental diante da pandemia do Covid-19

Oi Gente

Diante de tantas notícias tristes que nos chegam de todos os cantos do mundo, principalmente da Itália, fiquei pensando se deveria ou não escrever algo por aqui.

E aí, me deu vontade, e estou aqui tentando escrever um pouco sobre esse momento triste que estamos vivenciando e que, as vezes, até parece que estamos dentro de um pesadelo ou aqueles filmes de ficção e que nada disso está acontecendo na verdade. Que bom se fosse isso mesmo, que acordássemos e a vida estava tudo “normal” como deveria ser.

O grave problema mundial do Coronavirus, infelizmente, chegou no nosso querido Brasil, já tão sofrido com todas as suas questões que nós brasileiros conhecemos bem.

Escrevi uma vez por aqui, algo sobre os maiores medos de nós seres humanos. Vale a pena dar uma olhadinha no post, antes, para seguir essa leitura.

Com referência a todos os medos colocados naquele post, hoje parece que todos eles estão juntos, diante de algo tão assustador que estamos escutando a todo momento nos noticiários, pois estamos diante de uma situação, para nós dessa geração, que nunca presenciamos. Já lidamos com muitas situações sim, mas nesse nível, pelo menos, na minha experiência de vida, nunca tinha visto tão de perto.

Algumas epidemias já vividas na história

Quando voltamos na história, encontramos vários momentos tristes em que a humanidade foi obrigada a lidar com diferentes epidemias. Veja três delas abaixo:

A Peste Negra, no século XIV – atingindo a Europa e Asia, onde apresentou em torno de 50 milhões de vítimas.

Se referia a falta de higiene e era transmitida pelo grande número de ratos. A contaminação era “causada pela bactéria Yersinia pestis, comum em roedores como o rato” e sua transmissão se dava pela pulga desses animais, apresentando nos seres humanos os sintomas de “inflamação dos Ganglios linfáticos, febre alta, vertigem, apatia, dores corporais.

Cólera en Toledo en 1833 y 1834
Cólera – Via Pinterest

A Coléria – 1817 – deixando milhares de vitimas. Sua contaminação se dava através da água e alimentos contaminados. A diarréia intensa era o principal sintoma, devido a bactéria se instalar no intestino.

Fotos colorizadas mostram o cotidiano nos durante a “Gripe Espanhola”
Febre Espanhola – Via Pinterest

Gripe Espanhola – 1918 – 1919 – deixando 20 milhões de vítimas. Causada pelo vírus Influenza. Apesar do nome, ela deixou mortos por outros países, inclusive matando o presidente do Brasil, na época, Rodrigues Alves, em 16 de janeiro de 1919, no Rio de Janeiro.

Além das três epidemias, citadas acima, outras como: Tifo, Febre Amarela, Malária, Varíola, Tuberculose, Sarampo e Aids, vitimaram milhares de pessoas.

Coronavírus – a Pandemia do Momento

Resultado de imagem para Coronavirus

Não quero falar aqui sobre o coronavírus, até mesmo porque o que sei sobre o mesmo, provavelmente, é o que você também saiba, devido o grande número de informações que temos recebido pelos mais diversos meios de comunicação. Vale lembrar que, apesar da seriedade do assunto, ainda temos que lidar com as fake news.

É natural quando estamos diante de algo desconhecido. amedrontador e inimigo, sem que tenhamos conhecimento suficiente para derrotá-lo, é difícil, com raras exceções, alguém que não se sensibilize, se preocupe ou até mesmo venha a apresentar algum sintoma relacionado ao psíquico e, provavelmente, a ansiedade é um dos sintomas que mais possa ser apresentado diante dessa situação.

Como queria escrever sobre isto e conversar com vocês… Tenho visto tanta gente reclamando da mesma coisa até que percebi que eu era uma delas mas não “aceitava”. Deixa contar um pouco sobre mim. Pra quem já me conhece há mais tempo, deve ter percebido que sou muito clara e objetiva em relação a tudo. …
Prováveis sintomas diante da ansiedade – Via pinterest

Mas, pensando nos efeitos dessas notícias sobre o emocional de cada sujeito nesse momento, fui buscar algo a respeito e encontrei no site da OMS (Organização Mundial da Saúde) um guia, publicado hoje, sobre os cuidados com a saúde mental diante dessa Pandemia. Entre no site abaixo e leia as recomendações.

https://news.un.org/pt/story/2020/03/1707792

Na minha família, temos vários profissionais da saúde, inclusive um filho médico (em Curitiba), sobrinhos, cunhados, amigos, filhos de amigos que estão nesse momento enfrentando esse grande desafio de atender a população em hospitais, consultórios, laboratórios. Estão dedicados aos cuidados dos possíveis doentes que venham a precisar.

É preciso entender que os profissionais de saúde, também, tem suas limitações, inclusive quando o assunto é sobre a estrutura para executar seus trabalhos. É preciso muita calma, paciência e respeito aqueles que estão expondo suas vidas para cuidar das vidas de seres humanos.

Como brasileiros, sabemos das dificuldades que esses profissionais já enfrentam no seu dia a dia de trabalho e nessa situação, também, são passíveis de apresentarem estresses devido a sobrecarga de demanda.

Quando entendemos que nessa triste situação, todos estamos no mesmo barco, é momento de pensar seriamente em comunidade. É hora de acreditarmos e cada um fazer a sua parte ética para que possamos vencer o inimigo, ainda desconhecido.

Que cada um siga as orientações, respeite as regras e, na medida do possível, colaborar com aqueles que, talvez, não tenha as mesmas condições que você.

Somos solidários a todos aqueles que já estão passando por dificuldades e sofrimento diante do Coronavírus e que possamos enfrentar esse momento, com paciência, sabedoria e oferecendo o melhor de cada um a seu semelhante. Se não pessoalmente, através de um telefonema, ligação virtual e cuidando, principalmente, de nossos idosos.

Vale lembrar que as crianças, apesar de não entenderem o que realmente está se apresentando nesse momento, sentem o clima do ambiente e vale a pena protegê-las, passando segurança e conversando a respeito de uma forma que possa entender dentro de cada idade.

Enfim, ainda o melhor caminho é tentar a prevenção, respeitando o pedido de ficar em casa e evitando, ao máximo possível, a circulação sem uma real necessidade e que possamos juntos, com amor, empatia e solidariedade passar por mais esse desafio que a vida nos apresenta, sem se quer pedir licença.

Era isso por hoje.

Obrigada pela sua visita. Seja bem vindo(a) por aqui.

Um abraço fraterno.

Referências:

https://super.abril.com.br/saude/as-grandes-epidemias-ao-longo-da-historia/

https://news.un.org/pt/story/2020/03/1707792