História da Psicanálise: Como começou a psicanálise no Brasil?

Oi Gente

Hoje quero dividir aqui com você um pouco sobre a História da Psicanálise em nosso país. Quando começou? Quem foram os primeiros médicos a se dedicar à Psicanálise? Como se deu isso?

A psicanálise chegou no Brasil, no final do século XIX, quando alguns médicos psiquiatras começaram a se dedicar aos estudos de Freud.

No ano de 1899, um psiquiatra considerado inovador nessa época, com o nome de Juliano Moreira, começou a compartilhar seus conhecimentos com demais psiquiatras sobre a obra de Freud.

Nas três décadas seguintes, junto com alguns médicos da nata da psiquiatria brasileira, inicia-se a divulgação sobre os conhecimentos de Freud. Foram eles: Antonio Austragésilo, Carneiro Ayrosa, Porto-Carrero e Franco da Rocha, entre outros, foram os responsáveis pelos primeiros trabalhos publicados nessa área no Brasil.

médico Juliano Moreira – 1872-1933

O médico Juliano Moreira, foi o primeiro professor universitário brasileiro a citar e colocar no ensino universitário aos estudantes de medicina as teorias psicanalíticas.

O Dr. Moreira residiu na Europa, entre os anos de 1900 a 1902, onde foi com o objetivo primeiro de tratar a sua tuberculose. Por lá, viajou em vários países para que pudesse conhecer mais sobre os tratamentos e instituições psiquiatras.

No ano de 1903, ao retornar para o Brasil, se instala no Rio de Janeiro se tornando o diretor do Hospital Nacional dos Alienados. (também chamado de Hospício D. Pedro II).

“Juliano Moreira revolucionou as concepções e métodos da psiquiatria no Brasil, notadamente no tocante à atenção às pessoas com problemas mentais. Entre seus legados incluem-se a formulação de propostas e novos modelos assistenciais psiquiátricos (1903); a aprovação da lei de assistência aos alienados em 22 de dezembro de 1903; a fundação da Sociedade Brasileira de Psiquiatria, Neurologia e Ciências Afins (1905). No campo da antropologia , Juliano deixa um legado de combate ao racismo científico,por seu papel na refutação da crença de que as doenças mentais estariam ligadas à cor da pele das pessoas”. https://pt.wikipedia.org/wiki/Juliano_Moreira

Havia no país por todos os lados discussões sobre como lidar com os problemas sociais da população e a questão da saúde pública oferecida aos brasileiros. “É nesse contexto de discussão de um projeto para a nação, no qual a conformação de um ideal de homem e de povo servia como parâmetro de orientação e ocupava um lugar de destaque na condução dos debates, que a psicanálise começa a ser difundida no Brasil por um segmento expressivo da psiquiatria nacional. O novo saber entusiasmava esses profissionais na medida em que lhes oferecia uma nova abordagem sobre a psicologia humana que abrangia a um só tempo uma teoria da formação da personalidade e de seus distúrbios, um método de investigação e uma modalidade alternativa de terapia.” (PONTE, C. F.) p. 50

Preocupados em um bem maior, onde era preciso construir uma sociedade saudável e próspera, o social imperava sobre o individual. Segundo Ponte, os psiquiatras incorporavam a psicanálise como um instrumento auxiliar para poder chegar aos objetivos de interesse, na qual a história particular de cada pessoa deveria ser submetida a um bem maior, a preservação da espécie.

Foi no Hospital de Alienados do Rio de Janeiro que as obras de Freud se transformam em interesse acadêmico, se tornando temas de teses de Doutorado nas faculdades de Medicina.

Hospicio
Hospício D. Pedro II, onde hoje é UFRJ

As 3 primeiras teses defendidas embasadas em Freud

Segundo SALIN, S. A. (2010) uma das primeiras teses defendida com os ensinos de psicanálise foi realizada por um médico cearense, Genserico de Souza Pinto, sobre “Psicanálise – a sexualidade nas neuroses”, defendida em 26 de dezembro de 1914.

Franco da Rocha, no ano de 1920, faz o lançamento da obra “A doutrina pansexualista de Freud”,

Em 1924, João César de Castro defendeu a tese de doutorado “Concepção freudiana das psico-neuroses”.

A fundação da Sociedade Brasileira de Psicanálise

Fundação da Sociedade Brasileira de Psicanálise de São Paulo

Em 24 de novembro de 1927, é fundada a Sociedade Brasileira de Psicanálise, em São Paulo, tendo a sua frente Franco da Rocha e Durval Marcondes, sendo a primeira sociedade psicanalítica da américa latina.

De acordo com Ponte, C. F. (1999) “Francisco Franco da Rocha foi o primeiro professor catedrático de Clínica Neuropsiquiátrica da Faculdade de Medicina de São Paulo, tendo fundado e dirigido o Hospital Psiquiátrico do Juqueri. Seu artigo inicial sobre psicanálise, uma aula inaugural proferida na Faculdade de Cirurgia e Medicina de São Paulo intitulada Do delírio em geral, é considerado o primeiro trabalho de cunho psicanalítico escrito em São Paulo, tendo sido publicado, em 20 de março de 1919, no jornal O Estado de São Paulo.“p. 70

Dr. Francisco Franco da Rocha (Imagem via Prefeitura de Franco da Rocha)

Franco da Rocha foi aluno de psicopatologia de Teixeira Brandão, que era interno da Casa de Saúde Doutor Eiras no Rio de Janeiro. Foi ele quem planejou e construiu o Hospício de Juqueri e, também, foi o primeiro professor de Neurologia e Psiquiatria da Faculdade de Medicina de São Paulo entre os anos de 1918 e 1923. “Em 1919, sua aula inaugural baseou-se na abordagem psicanalítica de um assunto psiquiátrico que foi transformado em artigo de jornal, publicado no O Estado de São Paulo, com o título sob o delírio em geral”.

Durval Bellegard Marcondes
Dr. Durval Marcondes

No ano de 1926, Durval Marcondes, escreveu “O simbolismo estético na literatura – Ensaio de uma orientação para a crítica literária baseada nos conhecimentos fornecidos pela Psicanaálise”. Esse trabalho foi encaminhado à Freud, onde recebeu a resposta abaixo, do pai da psicanálise, da seguinte forma, conforme citado do PONTE, C, P, (1999)

“Honradissimo senhor!
Infelizmente não domino o seu idioma, mas graças aos meus conhecimentos da lingua espanhola pude deduzir de sua carta e do seu livro que é sua intenção aproveitar os conhecimentos adquiridos em psicanálise nas belas letras, e, de um modo geral despertar o interesse de seus compatriotas por
nossa ciência. Fico sinceramente grato pelos seus esfoços, desejando-lhe muito sucesso e posso assegurar-lhe que achará rica e recompensadora em revelações a sua continuada associação com o tema.
Cordiais saudações. Seu
Freud”
p. 71

“Em 1927, Durval Marcondes funda o serviço de higiene mental nas instituições escolares. Nos anos seguintes, empenha-se na formação da Universidade de São Paulo como universidade modelo, onde cria as primeiras cátedras brasileiras de Psicologia, de Psicanálise e de Higiene Mental. Organizou um grupo de “educadoras sanitárias”, que trabalhavam com atendimento clínico infantil e, de forma inovadora, em moldes interdisciplinares.”

Nesse início da Psicanálise no Brasil, os médicos interessados sobre os ensinamentos de Freud se dedicaram mais a sua teoria, sendo poucos que se dedicaram à prática da clínica psicanalítica.

Sugiro alguns outros posts por aqui sobre psicanálise:

Quem foi Anna Freud? Sua vida e a psicanalise infantil

Como e quando surgiu a psicanálise?

As 3 fases iniciais da psicanálise

Você sabe quais foram algumas das mulheres importantes no início da Psicanálise?

Quem foi Michael Balint na psicanálise?

Os casos de amor de Lou Andreas-Salomé

Como foi o crime das irmãs Papins?

Enfim gente, assim se deu o início da psicanálise em nosso país. Se você quiser se aprofundar no assunto, as referências abaixo estão mais detalhadas ok?

Era isso por hoje.

Obrigada pela sua visita. Você é sempre bem vindo(a) por aqui.

Um abraço.

Referências:

https://pt.wikipedia.org/wiki/Hosp%C3%ADcio_Pedro_II

https://www.arca.fiocruz.br/bitstream/icict/4718/2/ve_Carlos_Fidelis_ENSP_1999

https://pt.wikipedia.org/wiki/Juliano_Moreira

http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1679-44272010000100009

https://www.sbpsp.org.br/quem-somos/a-sociedade/

https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1414-98932004000400014