Qual era a função do “tigre” nos tempos da escravidão no Brasil?

Oi gente

Hoje batendo um papo com meu filho ele estava me contando uma história sobre fatos de nosso país, assunto que conversou com um grande amigo, sobre o fato dessa palavra tigre e que muitas vezes é utilizada até mesmo como tom pejorativo quando se refere à pessoas. E me interessei pelo assunto e fui pesquisar e divido o que aprendi aqui com você.

Reprodução de aquarela pintada por Jean-Baptiste Debret mostra um escravo 'tigre'

Por mais que a gente faça pesquisa, leia e se interesse por assuntos de nossa cultura, sempre temos algo a aprender dentro da nossa história e, principalmente nesse período triste da época da escravidão.

Em tempos de pandemia, a questão de saneamento básico acaba retornando em discussão, até mesmo por saber, infelizmente, que ainda temos muitos problemas nessa área.

Inclusive, existem vários termos que foram incorporados em nossa língua que são derivadas da cultura africana e que hoje fazem parte do dia a dia e as utilizamos sem nem saber de como elas foram originadas. Ainda farei um post sobre isso por aqui.

Mas hoje quero dividir com você sobre essa questão do trabalho daquele que recebia o nome de tigre e a função que exercia no seu trabalho, enquanto escravo ou até mesmo enquanto prestador de serviços nessa função.

Na época do Brasil Império de 1822 a 1889

Independência do Brasil - 7 de setembro: resumo do processo - Toda Matéria

Estamos perto do dia 07 de setembro de 2020, onde se comemora do dia da independência do Brasil, deixando de ser colônia de Portugal e, a partir da independência, era hora de começar a construir o país para os brasileiros que temos hoje, ou seja, criar a nossa própria cultura com aquilo que se tinha no momento.

Pensando por esse lado, até que progredimos muito em alguns aspectos e outros nem tanto, permanecendo em alguns lugares situações que, as vezes, é difícil de acreditar que em 2020 ainda temos que conviver com isso.

Se hoje ainda enfrentamos problemas de saneamento básico, imagine naquela época, onde a maioria das casas não tinha o que conhecemos hoje como banheiros, alguns bem sofisticados e outros nem tanto.

Os africanos que desembarcavam na Ámerica

Alguns fatos rápidos sobre essa questão. As Américas recebiam 40 por cento dos africanos que saiam de seus países, negociados desumanamente, pelos senhores de terras. “Durante o Brasil Império, o país era o maior território escravagista do Ocidente, com quase 5 milhões de africanos escravizados. “

Só o fato dessa informação já faz nos pensar que a grande maioria de nós brasileiros temos uma descendência africana.

Vale a pena pesquisar a sua história de vida. Na minha história, meu pai já dizia: que nas gerações passadas, o seu tataravô era português e se casou com uma escrava. Tenho muito orgulho disso. Acho ridículo toda essa questão que, infelizmente, ainda presenciamos em nosso país quanto a discriminação. Quase todos os brasileiros carregam algo dos nossos irmãos africanos que ajudaram a construir o nosso país.

Quem era afinal os ” tigres”?

A grande maioria das casas não contava com banheiros, instalação sanitária e até mesmo água corrente. Assim, usavam os recipientes conhecidos como penico podendo ser de metal, ágata e louça. Principalmente durante a noite, eles ficavam embaixo das camas e era lá que os moradores faziam as suas necessidades.

No dia seguinte, nas antigas cidades, os penicos eram esvaziados, geralmente em grandes tonéis e, quando esses enchiam, era hora de recolhê-los para retirar das residências.

E quem realizava essa função? Os escravos da propriedade que ficaram conhecidos com o nome de “tigres”.

Saiba História: Tigres na cidade

Esses tonéis eram carregados nas costas, na cabeça e eram levados para o lugar onde despejavam os dejetos dos moradores. Que lugares eram esses? Geralmente o mar, algum rio ou lagoas.

Mas por quê esse nome de tigres?

Ao carregar esses tonéis, principalmente nas costas, onde continha uréia e amônia, muitas vezes acontecia algum vazamento, deixando sobre a pele negra marcas brancas, semelhantes com as listras. Assim, devido a essa reação química, essas marcas lembravam a semelhança com o animal tigre.

As pessoas ao verem esses trabalhadores exercendo essa função, se afastavam dos mesmos devido ao cheiro desses tonéis e pelo medo de que algum acidente pudesse acontecer, Assim, os “tigres” eram, de certa forma, evitados o máximo possível.

E quando não existia saneamento básico?

“Os tigres saíam de casa geralmente à tardinha. “Era a hora dos Tigres, nome que se dava aos escravos que carregavam à cabeça, no interior de grandes barricas, os despejos das residências, que vinham atirar nas praias” ( Memórias do Rio, Sérgio D.T. Macedo).” https://saibahistoria.blogspot.com/2020/02/tigres-na-cidade.html?spref=pi

Um exemplo do que acontecia no Rio de Janeiro

Encontrei nesse blog: https://saibahistoria.blogspot.com/2020/02/tigres-na-cidade.html?spref=pi essa informação sobre uma situação típica do Rio de Janeiro, descrita por lá. Veja no parágrafo a seguir.

“Muitos tigres jogavam os dejetos na vala construída para drenar as água da antiga Lagoa de Santo Antônio (atual Largo da Carioca) para o mar, na rua do Aljube (atual rua do Acre). Esta vala atravessava toda a área onde é hoje a rua Uruguaiana, que por isso era chamada de rua da Vala. Ela foi construída a pedido dos religiosos do Convento e da Igreja de Santo Antônio, que reclamavam da água parada da lagoa, foco de mosquitos e cheiro ruim. Com o tempo, no entanto, a vala ia se enchendo de porcarias, até que já na segunda metade do século XVIII o Vice-Rei, Conde da Cunha, mandou cobri-la de lajes de pedra. Mas a verdadeira razão que circulava na época para a atitude do Vice-Rei era por ‘haver caído nela certa noite escura, no decorrer de uma aventura galante, o mais graduado dos seus ajudantes … “(História das ruas do Rio, Brasil Gerson) As quedas naquele depósito de imundícies era muito comuns, já que a única iluminação confiável, naquela época, era a lua cheia”.

E outras cidades brasileiras da época, de certa forma, tem as suas histórias para contar sobre o mesmo tipo de trabalho dos “tigres”.

Com o passar do tempo, os senhores de escravos perceberam que os serviços realizados pelos “tigres”eram prejudiciais à saúde, tanto dos escravos como da população em geral. Assim, no final do século XIX, as empresas estrangeiras receberam concessões para organizarem o saneamento básico.

Enfim gente, o objetivo do post foi dividir com você algo que não tinha conhecimento sobre os “tigres”e achei interessante dividir com você, principalmente para podermos refletir como devemos todo o respeito para com os serviços de qualquer pessoa que, com sua força de trabalho.

Pessoas estrangeiras e/ ou brasileiras que ajudaram a construir o nosso país e, ainda, torcer para que nossas autoridades tenha um olhar mais humanizado para o ser humano.

Afinal, estamos no triste ano de 2020 e, com essa pandemia, os nossos problemas de todas as ordens, principalmente nas desigualdades sociais, não tem como fugir que isso não nos pertence. Está escancarado o fato de, ainda, como temos problemas básicos a serem resolvidos nesse país.

Na verdade, fico triste aqui fazendo esse post pensando em tanta crueldade que já fizeram nesse país e que, infelizmente, ainda temos de presenciar na atualidade, devido a ganância de uns contra a falta de oportunidade de outros.

O nosso país não tem que ser cartão postal para turista ver, temos sim que recebê-los e mostrar as nossas belezas brasileiras, mas nem sempre colocar toda a sujeira debaixo do tapete.

É preciso olhar dentro da nossa casa, da nossa realidade e pensar sobre a nossa verdade. É preciso melhorar o nosso país para nós brasileiros. Afinal, aqui residimos, criamos nossos filhos e será o país de nossos netos.

A história é lenta e temos muito para crescer como povo civilizado em nosso país ainda. Que cada um possa fazer e oferecer a sua melhor parte como humano que somos.

Vale a pena começar cada um tratando melhor a sua cidade, observando as necessidades da sua rua, do seu bairro e sua comunidade, cobrando das autoridades locais as devidas melhorias.

A cidade em que cada um de nós residimos, não é do prefeito, dos vereados ou governantes, ela nos pertence e temos que amá-la como se fosse nossas casas.

Nesse ano de eleições, pesquise e pense muito antes de autorizar quem vai administrar nossa cidade pelos próximos anos. Afinal, somos nós que ganhamos ou perdemos com isso.

Estamos aqui de passagem, vale a pena sempre lembrar disso.

Era isso por hoje.

Obrigada pela sua visita. Você é sempre bem vindo(a) por aqui.

Um abraço.

Referências:

https://saibahistoria.blogspot.com/2020/02/tigres-na-cidade.html?spref=pi

https://www.bbc.com/portuguese/brasil-50526902#:~:text=Com%20a%20m%C3%A3o%20de%20obra,durante%20cerca%20de%20300%20anos.

https://www.google.com/search?q=imagem+dos+tigres+no+rio+de+janeiro+saneamento+basico&rlz=1C5CHFA_enUS856US856&sxsrf=ALeKk00BryUwczImeKqx-EnDXbb_0UAZ6A:1598843830412&source=lnms&tbm=isch&sa=X&ved=2ahUKEwiC_7-0vcTrAhVgE7kGHQoYBn8Q_AUoAnoECAwQBA&biw=1440&bih=789#imgrc=2WoIVzSXbZOJOM

https://etes-sustentaveis.org/historia-saneamento-brasil/

https://www.google.com/search?q=fun%C3%A7%C3%A3o+do+tigre+na+epoca+do+imperio&rlz=1C5CHFA_enUS856US856&sxsrf=ALeKk00FecmUMR9q9V5xV5ZfxV1AaAhN1w:1598840623041&source=lnms&tbm=isch&sa=X&ved=2ahUKEwj90Y27scTrAhUKGrkGHUx7AiYQ_AUoAXoECAwQAw&biw=1440&bih=789#imgrc=-8F7ixwxnOgBkM