Tomei as duas doses da vacina coronavac em Londrina

Brasil está na 40ª posição no ranking da vacina; sem Coronavac, estaria na  62ª | Poder360

Oi Gente

O objetivo do post é apenas dividir com você a minha experiência de ter tomado as duas doses da vacina coronavac, aqui na minha cidade de Londrina.

Primeiramente, quero pedir desculpas pelo fato do meu blog ter estado com problemas esses dias, devido a problemas do meu provedor o que fez com que ficasse alguns dias e horários fora do ar.

Essa semana passada, também, foi um momento muito triste em minha vida, quando perdi um grande amigo de anos, rapidamente, devido ao Covid-19. Uma perda, como muitas familias e pessoas estão passando nesse momento, com lutos para serem elaborados e que realmente nos entristece muito nesse momento, nos deixando indignados com essa pandemia.

Respeito quem acredita que chegou a hora da partida de uma pessoa, mas penso diferente disso.

Quantas vidas estão sendo ceifadas devido a esse vírus que atua diferente em cada pessoa, como se fosse uma roleta russa. Ninguém sabe como ele reagirá em cada organismo e nesse momento mais crítico em que estamos passando, assistimos casos e casos que não tem a ver mais com o fator idade, como se pensava nos primeiros momentos do ano passado.

Com tantas informações desencontradas que veiculam nos meios de comunicação, o resultado disso nos leva a incertezas, inseguranças e até mesmo não saber mais em quem acreditar diante desse inimigo invisível que estamos enfrentando.

Algumas pessoas ainda negam a situação preocupante que vem se alastrando, principalmente nesse mês de março, na grande maioria dos nossos estados brasileiros.

O sofrimento, as perdas e internamentos estão desafiando todo o nosso sistema de saúde, bem como deixando inseguros aqueles que venham precisar de algum tipo de atendimento. É triste?

É muito triste e por mais que se negue, ainda lidar com a verdade que está aí é a melhor forma de tentar, pelo menos, fazer o melhor de cada um para minimizar essa situação.

Confesso para vocês que eu era uma dessas pessoas que tinha muito receio em tomar qualquer tipo de vacina, devido as diferentes informações que nos chegavam. Mas, após várias pesquisas e esclarecimentos que fui aos poucos recebendo, fui cada vez mais me sentindo segura e com vontade de tomar a vacina.

Por fazer parte do grupo de profissionais de saúde, entrei no grupo de prioridade para a vacinação e embora saiba que isso não me tira a responsabilidade de continuar com todos os cuidados necessários para evitar o covid-19, confesso que nos dá um pouco mais de esperança.

Sobre o futuro não sabemos nada, só podemos lidar de modo muito limitado com o que temos hoje.

Embora o individualismo esteja muito presente em nossa sociedade atual, penso que diante de uma pandemia é preciso e necessário pensar coletivamente para que todos se beneficiem daquilo que mais desejamos, ou seja, que essa triste realidade que já se alastra há mais de um ano possa chegar a um fim.

As perdas de entes queridos, sem dúvida, são as mais difíceis de serem elaboradas, porém também há outros tipos de perdas, em diferentes idades, que estão acontecendo nesse momento: perdas econômicas, as perdas de sonhos não realizados, as perdas de convívio com quem amamos e tantas outras.

Quando penso nos profissionais de saúde, principalmente aqueles que estão diretamente no convívio diário nos hospitais lidando com tantos problemas de todas as ordens, nos sentimos pequenos(as) sem direito a reclamar.

Todas as pessoas que estão envolvidas nessa luta de frente, pensando em salvar vidas, sem as estruturas necessárias e sem falar daquelas que perderam suas vidas nesse combate, são merecedoras de todo nosso respeito e carinho nesse momento onde expõe todos os dias a sua vida para o bem do seu próximo e sem contar que, na sua grande maioria, são profissionais mal remunerados. Profissionais que se encontram cansados, estressados e alguns passando além de seus limites para atender a tanta demanda do sistema de saúde. Diante deles, nos sentimos pequeninos e até mesmo, sem direito de reclamar.

Fiz dois vídeos sobre a minha experiência em tomar a vacina coronavac que deixarei para vocês, caso queiram, dar uma olhadinha.

Amar é fazer o que é preciso e se nesse momento, pensando no possível bem que a vacinação poderá fazer para, quem sabe, poder diminuir e acabar com esse período terrível dessa pandemia, o que nos resta é confiar na ciência.

Quero deixar claro que essa foi a minha decisão e que caberá a cada um de vocês tomarem a sua.

Reações após receber as doses da vacina

Quanto as reações após a vacina coronavac: na primeira dose, senti após umas 5 horas uma leve dorzinha de cabeça apenas e na segunda dose, até o momento, não senti nada, nem mesmo a dor no local da aplicação.

Aqui na minha cidade a situação nessas duas ultimas semanas está crítica e como conhecemos muita gente, a cada dia, infelizmente, recebemos mais e mais notícias que nos entristecem.

Esse é o nosso momento e a verdade que temos que vivenciar. Não devemos desanimar e o importante é continuar cada qual dar o seu melhor, acreditando sempre que dias melhores virão.

Enfim, se cuidem e respeitem esse nosso inimigo atual, fazendo o melhor que cada um possa, para que juntos nessa luta possamos evitar mais e mais sofrimento. Paciência, aceitação da verdade atual e respeito para com os próximos nesses momentos difíceis, acredito que são os nossos desafios.

Aproveito para agradecer os profissionais que me atenderam nas duas ocasiões, aqui na minha cidade de Londrina.

Era isso por hoje.

Obrigada pela sua visita. Você é sempre bem vindo(a) por aqui.

Um abraço.