Um feliz dia dos Pais com P Maiúsculo

Oi Gente

Nesse domingo, dia 08 de agosto de 2022, comemoramos mais um dia dos pais. E pensando sobre essa comemoração com mais um ano de pandemia, resolvi escrever um pouco por aqui e refletir sobre esse dia e aproveitar para desejar um Um feliz dia dos Pais com P Maiúsculo.

Via Pinterest

Vendo essa imagem acima, fico pensando que bom seria se todos aqueles que tem um pai, não gostaria de poder nesse dia realmente comemorar com todos esses lindos dizeres.

Todos nós temos que ter um pai para estar nesse mundo, não é verdade. O pai biológico tem que existir. Mas, nem todos merecem um feliz dia dos pais com P maiúsculo.

Primeiramente quero me dirigir a todos aqueles que, durante esse momento de pandemia, perderam seus pais e que poderiam sim estar aqui ainda se não fosse esse vírus estar presente nesse momento de nossas vidas.

Meus sinceros sentimentos nesse momento para todos vocês que perderam seus pais. Já não tenho o meu mais comigo.

Assim, como vocês, também já passei por essa experiência triste, quando tinha 32 anos, e posso entender um pouco o que é esse sentimento de perda e da falta que nos faz um pai em nossas vidas, não tem outra palavra a não dizer que é muito triste lidar com essa falta.

Agora, se você foi uma dessas pessoas que foi privilegiada por ter um PAI com letra maíuscula, assim como eu, um pai presente, um pai provedor, um pai amoroso e cuidadoso com seus filhos e que nos transmitiu muito do que somos hoje, só temos a agradecer.

Agradecer e acreditar que ele está e sempre estará com você através de suas lembranças, ensinamentos e exemplos que ele deixou e você carregará por toda sua vida.

Ser pai biológico é fácil, o difícil é ser um pai de verdade

Espero que entendam bem o que quero falar aqui com você. Não me cabe julgar ninguém, mas pelo que temos observado ultimamente um grande número de homens, jovens ou mais velhos que são pais biológicos, porém não exerceram ou não exercem a função paterna. Será mesmo que merecem uma homenagem nesse dia dos pais?

As estatísticas e estudos sobre esse assunto não nos deixam dúvidas que, cada vez mais, já não se fazem pais como a maioria dos pais de antigamente.

Não sei o que leva tantos “pais” a abandonarem seus filhos, principalmente aqui no Brasil. Os números são alarmantes.

Algumas estatísticas tristes do nosso país quanto a paternidade

Fiz uma pesquisa rápida sobre esse assunto do abandono dos pais e da nossa realidade brasileira e não tem como não ficar sensibilizada com essa questão da paternidade. . Veja abaixo, alguns dados:

via pinterest

Mais de 11 milhões no Brasil, mulheres chefes de família se desdobram para conciliar trabalho, filhos, falta de dinheiro e sanidade mental; dados mostram que mães solo negras são maioria e que enfrentam restrições severas no acesso a internet, moradia, educação e saneamento“.https://www.generonumero.media/retrato-das-maes-solo-na-pandemia/

“Paternidade responsável: mais de 5,5 milhões de crianças brasileiras não têm o nome do pai na certidão de nascimento” citado pelo Instituto Brasileiro de Direito da Família nesse site

“O estudo também mostra que as famílias formadas por uma mãe solteira, separada ou viúva e seus filhos já representam 15,3% de todas as formações familiares.”

“Além disso, o estudo da FGV diz que “trabalhadoras com maior escolaridade apresentam queda de emprego de 35% 12 meses após o início da licença, enquanto a queda é de 51% para as mulheres com nível educacional mais baixo”.https://observatorio3setor.org.br/carrossel/289-milhoes-de-familias-no-brasil-sao-chefiadas-por-mulheres/

Vou citar apenas essas acimas, pois estamos cansados de saber e ver reportagens sobre esse assunto das dificuldades das mães em ter que assumir a criação de filhos sósinhas ou ajudada pelos avós, quando tem essa felicidade de poder contar com os mesmos.

O que fico pensando é sobre o que passa na cabeça desses homens? Homens que mudam de endereço para não pagar pensão, que omitem seus ganhos para não colaborar com a criação de seus “filhos” e isso porque tem uma lei que os obrigam e até mesmo podem levá-los a prisão.

Quanto a função paterna e a afetividade desse ser humano que está em formação, então, acredito que nem querem pensar a respeito.

Infelizmente, uma grande maioria acaba repetindo com seus filhos a vida que tiveram ou seja, fui abandonado, não tive pai presente e também abandono, ou ainda, alguma foram de estrutura psíquica mesmo para lidar com o que era chamado de “normal” em outros tempos.

Um quinto dos casais se separam até o primeiro ano do bebê

Uma outra pesquisa que vi nesse site me chamou a atenção. Os casamentos com a chegada do bebê se desestabiliza a vida do casal. Veja essa informação:

via Pinterest

“Um estudo com 2 mil mães e pais constatou que as mudanças, principalmente nos primeiros meses após a chegada do bebê, são profundas e, muitas vezes, definitivas. A pesquisa, realizada pelo ChannelMum.com — uma comunidade de pais do Reino Unidos —, e The Baby Show — um programa americano de TV —, revela que um terço dos relacionamentos sofre sérios problemas nos meses após o nascimento do bebê e o pior, um quinto termina durante o primeiro ano.”https://revistacrescer.globo.com/Familia/Sexo-e-Relacionamento/noticia/2019/10/um-quinto-dos-casais-se-separa-ate-o-primeiro-ano-do-bebe.html

Além do que observamos no dia a dia e conversando com advogados que trabalham em vara de família, tomamos conhecimento de cada situação que é inacreditável.

A terrível questão do “não querer se responsabilizar pelos filhos”. São esses que fazem parte dos números altíssimos que estão nessas estatísticas.

Agora, recentemente, vemos uma nova informação que é de nos deixar mais indignada ainda, veja bem:

“Plano de saúde exige que marido dê aval a inserção de DIU; entenda as regras em SC”

“Planos de saúde têm exigido em alguns estados o consentimento de maridos para autorizarem o procedimento de inserção de DIU (dispositivo intrauterino), um método contraceptivo, em mulheres casadas. É o caso de três cooperativas de São Paulo e Minas Gerais, em que os formulários para aquisição do material exigem assinatura do companheiro. Em Santa Catarina também se procurou saber se há essa imposição.”

A nossa sociedade hipócrita já tem o discurso que cabe a mulher o controle da natalidade, tirando totalmente a responsabilidade dos homens. Como se para se ter um bebê a mulher não precisasse de um parceiro.

Então gente, como assim? A mulher não tem direito nem de se proteger contra uma gravidez indesejada, o homem ainda tem que autorizar? Em que mundo estamos vivendo?

Vale lembrar a grande crítica que sofrem as mulheres, quando afirmam que não querem ter filhos. São muitas vezes taxadas de egoístas, desnaturadas e que é obrigação da mulher gerar uma criança.

Você concorda comigo em pensar que retrocesso estamos vivendo cada vez mais, quando o assunto é relativo as crianças tão inocentes no meio de adultos tão irresponsáveis? Que mundo infantilizado é esse? Estão brincando de casinha?

Mulheres pensem bem em escolher seus parceiros e principalmente o pai para seus filhos

É preciso ver a realidade dos tempos atuais. É com o que temos hoje, a realidade do hoje que temos que vivenciar.

Não se pode brincar com essa questão tão séria que é trazer uma criança ao mundo, em um mundo tão desajustado.

Me parece que aquela frase “filho da mãe” está sendo literalmente, na atualidade, sendo um dito obrigatório.

Ninguém pede para nascer, mas uma vez nascido merece todo o cuidado de adultos responsáveis que deveriam ser o pai e a mãe que o trouxeram nesse mundo.

Que cada jovem possa escolher aquele que, provavelmente, será um pai com P maiúsculo.

Sendo assim, quero deixar nesse dia dos pais, os meus parabéns para aqueles que fogem dessas tristes estatísticas e realidades brasileiras, e que podem ser considerados como pai com P maiúsculo.

Como exemplo, devemos lembrar dos pais que adotam seus filhos. Pais que desejam, querem e tratam tão bem as crianças de outros pais. O pai com P maiúsculo merece nossos aplausos.

via pinterest

Se você é um filho adotivo(a) acredite que tem os pais melhores do mundo, que realmente os quiseram simplesmente por desejo e amor. Sejam eles, seus tios, seus irmãos mais velhos, ou aquele casal que faz o papel daqueles que não o fizeram.

Não importa o por quê seus pais biológicos não permaneceram com você, podendo até mesmo ser, em alguns casos, um ato de amor. O importante é que você tem um pai e uma mãe que o receberam, dando o melhor de cada um.

Dê um beijo e um abraço forte de reconhecimento por ser tão amado(a) por ele(a).

Agradeço por ter tido um pai que, embora com suas qualidades e defeitos, me presenteou com sua paternidade e que carrego até hoje dentro do meu peito.

Ao escrever esse texto, não tem como não lembrar de meu pai com muitas saudades e lembranças.

Agradeço também por minha escolha, nem sempre acertamos em todas nossas escolhas não é mesmo? Mas, quanto ao meu companheiro e pai dos meus três filhos só tenho a agradecer e me sentir privilegiada por isso.

Para aqueles que já perderam seus pais, também se sintam privilegiados e agradecidos pelo tempo que puderam experenciar essa convivência e siga em frente lidando com essa falta, sem contudo decepcioná-lo em seus ensinamentos.

Um dos maiores desejos dos pais é saber que os filhos darão conta de continuar suas histórias de vida, quando eles se forem.

Quanto aqueles que não tiveram esses privilégios, levante os braços e agradeça essa mulher guerreira que está junto a você e sempre esteve, com suas qualidades e defeitos, dando o melhor que ela pode todos os dias, pois ela é sua Mae e seu Pai.

Apesar de todos os desafios que ela tenha que enfrentar, pode se orgulhar da sua trajetória, acreditando que a sua luta não será em vão. Lá no futuro, poderá dizer com todo orgulho: Sofri mas não desisti e se sentir orgulho dos filhos que criou.

No ano passado, já fiz um post sobre o dia dos pais por aqui:

Feliz dia dos Pais!! O pai presente mesmo ausente

Enfim gente, que nesse dia dos pais, todos os verdadeiros pais possam realmente receber as homenagens verdadeiras de seus filhos. Sou a favor do merecimento das homenagens.

Quanto aos outros, não estamos aqui para julgar ninguém e nem culpabilizá-los, pois a vida, o tempo poderá, talvez, lhe mostrar que ele jogou para o alto a oportunidade de participar efetivamente da vida de seu filho.

O tempo passa e a velhice chega para todos e que essa sua atitude da juventude não possa ser o seu maior arrependimento de toda sua vida.

Deixo aqui um feliz dia dos pais a todos vocês que realmente exercem a função paterna junto a seus filhos.

Era isso por hoje.

Obrigada pela sua visita. Você é sempre bem vindo(a) por aqui.

Um abraço.