Os lindos braceletes dos índios Yawanawá e katukina

Oi gente

O post de hoje traz aqui para você alguns braceletes lindos, produzidos artesanalmente por nossos índios brasileiros, do Estado do Acre, das tribos Yawanawá e Katukina e um pouquinho sobre eles.  Achei maravilhosos…

 

Os índios no Estado do Acre

Atualmente, no Estado do Acre há uma população aproximada de 17 mil indígenas. Eles vivem em cerca de 200 aldeias que se encontram distribuídas em 36 terras indígenas reconhecidas, “com uma superfície agregada estimada em 2.339.982 hectares, o que equivale a 16% da extensão do estado”. 

“Localizadas nas bacias dos rios Juruá e Purus, apresentam uma diversidade cultural e linguística marcada pela presença de 15 povos, cujas línguas pertencem a três famílias linguísticas ( Pano, Aruak e Arawá), mais os grupos de índios isolados com etnias ainda não identificadas e um grupo de recente contato que se autodenomina Tsapanawa.” http://cpiacre.org.br/povos-e-terras-indigenas/

Caso tenha interesse em saber mais sobre os índios do Acre, achei um artigo interessante que está no periódico abaixo:

“Embora mencionados por alguns historiadores, os povos indígenas do Acre ocuparam um papel marginal no momento da conquista desse território e desaparecem da história regional durante a maior parte do século XX para reapareceram na década de 1970 e passarem a desempenhar um papel central no discurso oficial dos últimos 15 anos.”http://www.periodicos.ufpa.br/index.php/amazonica/article/view/3449/3368

Os índios Yawanawa e Katukina

Os índios Yawanawá e Katukina, estão presentes no Estado do Acre aqui no Brasil, em Rio Gregório, cuja população, segundo a CPI-Acre 2016, são de 533 habitantes Yawanawá e apenas 45 Katukina.

A luta para preservar uma cultura 

A importância da transmissão da cultura para as novas gerações, fazem com que os Yawanawá, principalmente com o desejo de que a sua língua, que não é falada por mais ninguém, não se perca na história, repassam às crianças os ensinamentos que lhe foram transmitidos pelos antepassados.

“Estamos escrevendo a nossa língua para as crianças pensarem e escreverem. Nós estamos escrevendo para que, quando chegar a nossa vez, como aconteceu com nossos antepassados, nossa memória não se acabe. O surgimento da nossa escrita é para que não se acabe a memória dos nossos avós, a memória dos nossos tios, a memória de nossos pais, a memória do nosso povo. Para ficar para sempre. Para que os nomes dos nossos animais fiquem escritos para sempre. Para nós não perdermos a nossa bonita escrita. Esta língua não é falada por mais ninguém, ela só é falada por nós Yawanawá.”

 

Gostaria de trazer mais informações sobre esses lindos índios brasileiros, mas estou um pouco corrida essa semana.

Sobre os braceletes

Ontem, recebemos a visita de uma amiga de minha filha em casa, a Mariana, e achei muito lindo os braceletes que um amigo dela que esteve no Acre e ficou alguns dias com os índios Yawanawá e katukina e trouxe algumas dessas peças para serem vendidas por aqui. As fotos abaixo estão mais próximas.

Não sei se entendi direito, mas a criação dessas peças são inspiradas em algum tipo de sonhos e algo que eles tem cada um desses desenhos algum significado. Adorei o coloridos das miçangas e o capricho do trabalho, além da mistura das cores e forma dos desenhos.

Ele, o amigo da Mariana,  ficará alguns dias aqui na nossa cidade e estão com poucas peças. Dá uma olhadinha que trabalho lindo gente. Eles são usados, tanto pelos índios, quanto pelas índias.

 

 

 

 

 

Não sei como é para você, mas eu tenho um carinho enorme pelos nossos índios e a sua luta pelos seus direitos. Nossos irmãos brasileiros que foram tão explorados, discriminados e que lutam pelo seu espaço, com as poucas condições que possuem.

Enfim gente, caso tenha interesse em adquirir alguma dessas peças, ao preço de 120,00 cada, você poderá entrar em contato com:

Mariana (Londrina)  – pelo tel. 43- 99809-8765

 

Era isso por hoje.

Obrigada pela sua visita. Você é sempre bem vindo(a) por aqui.

Um abraço.