História da Arte Etrusca

Oi Gente

O objetivo do post de hoje é trazer aqui para você um pouco que consegui pesquisar sobre a arte etrusca e seu povo. Foram os etruscos que dominaram Roma por um bom período da História e, embora não se saiba tanto sobre esse povo, teve um grande papel da história da humanidade, bem como na história da arte…

 

O método de estudo para estudar Roma foi o diálogo entre a arte romana e a arte grega.  Havia um diálogo estreito entre Egito e Grécia. 

Grande parte da cultura romana era, muitas vezes,  um plágio da cultura grega, porém tem seu “tempero próprio” com suas particulariedades.

Os primeiros contatos com os gregos, com a cultura grega, foi através do povo etrusco, século VI a. C.,  que dominou 2/3 da Itália.

Quem foram os etruscos?

O povo etrusco é uma das civilizações mais antigas que habitaram a península Itálica, antes dos Romanos, a partir do século IX a.C. .

Os etruscos dominaram Roma por um bom período da História. Não se sabe muito sobre esses povos. Mas Roma teve seus 2 últimos reis romanos de origem etrusca, chamados Tarquínios (o rei Tarquínio Prisco – O Antigo,  que governou ( 616 a 579 a.C) e Tarquínio – o Soberbo (534 a 510 a.C).

Nesse tempo Roma era Monarquia e, entre os 7 reis romanos, houveram então esses dois com origem Etrusca. A cultura Romana tem influências Gregas. Acontece que a Grécia também foi dominada pelo povo Etrusco. Sendo assim, esse povo teve muita influência nas culturas gregas e romanas.

As informações que se tem sobre o povo etrusco geralmente são relatos através de seus inimigos. Se pensar um pouco,  temos que dar um desconto. Os romanos, seus inimigos, diziam que eles eram supersticiosos,  liam o futuro através dos pássaros, principalmente através dos olhares dos pássaros. 

Os gregos quase não escreveram sobre os etruscos.  A respeito dos povos antigos não se tem muito conhecimento, por exemplo, pode-se citar  os gaulês que foram também desprezados pelos gregos.

Arnaldo Momigliano, um historiador que escreve sobre a história antiga, dizia que o povo grego, por exemplo, não chegaram a ler a Bíblia. Apesar dos hebreus terem traduzido a Bíblia para a língua grega, não falaram sobre eles. Segundo o historiador, os gregos desprezaram os gaulês, assim como os etruscos.  Pode-se dizer, assim, que de acordo com o historiador, só conhecemos o que os gregos nos passaram. 

Mas onde se localizava a Etrúria?

Uma das poucas informações que os gregos escreveram sobre os etruscos é que na Etruria, os filhos conheciam suas mães, entretanto,  nem sempre, conheciam seus pais. Pode-se dizer que  as mulheres  etruscas tinha algum valor superior aos homens. Para se ter uma ideia o alfabeto etrusco ainda não foi inteiramente decifrado, o que dificulta o estudo dos etruscos.

As cidades etruscas foram liquidadas pelos romanos, mas algo interessante é que os romanos não destruíram os túmulos etruscos, e é através deles que vem as melhores informações sobre esse povo.

As cidades estados etruscas, independentes,  ficavam entre o rio Tibre e o rio Arno. Ficava na região central da península italiana, onde hoje está a Toscana. 

Na cidade de Tarquinia, na região do Lácio – Itália, é onde fica a maioria das casas túmulos etruscas e, ainda hoje, há escavações nesses locais para estudar o povo etrusco. “Escavações mostram que, na região mediterrânea, os etruscos foram os primeiros a construir uma cidade com base em um planejamento quadriculado. A maioria das ruas se estendia de norte a sul, com poucas ruas de leste a oeste. Mas tarde, os romanos seguiram esse planejamento quando estabeleceram acampamentos militares e novas cidades”.

Se você se interessa em conhecer mais sobre os etruscos é para essa cidade que deve se dirigir na sua ida à Itália. É lá que se encontra o Museo Archeologico e Necropoli – fica na Piazza Cavour, e que possui uma das melhores coleções de artefatos etruscos daquele país.

Casa túmulo etrusca na cidade de Tarquinia

Existem, em torno de 70 casas túmulos etruscas nessa cidade, porém apenas 30 delas são abertas aos turistas e sua conservação nem sempre são das melhores. 

As casas túmulos eram decoradas, com afrescos

De acordo com alguns estudiosos, na Etrúria havia três classes sociais: a aristocracia, classe média que era formada pelos artesãos, comerciantes e marinhos e os escravos.

As mulheres tinham uma importância maior que na cultura grega e romana, onde as mulheres tinham a mesma condição social que os homens. Tinham acesso a educação, eram alfabetizadas e também participavam das competições esportivas.

Nas casas túmulos é que se encontram algum conhecimento desse povo. Os etruscos tinham uma concepção da vida após morte como uma continuação da vida. Os túmulos eram decorados, assim como as casas, devido a essa crença da continuidade após a morte.

Roma arrasou as cidades etruscas, em torno de 200 a.C., porém algumas cidades na região da Toscana, Lácio e Úmbria  ainda preservam alguns traços dessa civilização, especialmente túmulos. Cidades como Arezzo, Cortona, Perugia, Orvieto,(aqui se encontra o Museu  Etrusco-Romano e Pinacoteca Comunale com coleção de artefatos etruscos e romanos locais)  Fiesole, Tarquinia e Volterra, são algumas dessas cidades.

Os afrescos (“técnica de pintura sobre uma fina camada de gesso úmido, fresco (em italiano, afresco). As tintas penetram no gesso devido à pressão da superfície, e a cor se fixa quando o gesso seca. O pigmento reage com a cal do gesso e da origem a cores fortes”)  foram encontrados em seus túmulos, bem como jóias e cerâmicas que demonstram  provas de um povo culto e artístico.

Tive a oportunidade de visitar algumas cidades da Toscana e passei por Volterra e fiz um post por aqui.: Museu Della Tortura – Volterra na Toscana Itáli

A Arte Etrusca

Eles desenvolveram uma cultura original, e, para a época estavam bem evoluídos em relação a sua arte (artesanato, arquitetura, escultura) e engenharia.

Os etruscos eram ourives destacadíssimos. “Entre suas criações mais importantes são as esculturas funerárias, objetos de cerâmica.”

A loba que alimentou Romulo e Reno era uma escultura etrusca do final do século VI, antes de Cristo. O Rômulo e Reno só foi colocado aí no século XV. Mas a loba do Capitólio, está no museu do Capitólio. 

A flauta dupla, uma especialidade dos etruscos, era tocada tanto em funerais quanto em festas.

“Na realidade, os etruscos foram bons administradores e eficientes homens de negócios, capazes de fabricar produtos de alto nível técnico, embora talvez não reunissem as condições necessárias para se manter no poder. Seja como for, o certo é que, além do ferro, algumas cidades manufaturavam objetos de bronze, tradição que veio do Oriente. Nelas também se plantava trigo e se produziam vinho e azeite de oliva, coisas que aprenderam com os gregos. Além disso, tinham grande produção artesanal de barcos, cordas, velame para navios e cerâmica. “Eles sempre foram grandes ceramistas e produziam uma cerâmica negra, semelhante à porcelana chinesa. Até hoje não se descobriu a técnica que eles usavam”, lembra o arqueólogo Guarinello”. 

Escultura etrusca de Apolo de Veii

Essa escultura de Apolo, uma divindade grega,  feito de terracota, foi encontrado em 1916 e estava todo quebrado e foi remontado. É a representação do corpo maciço. O drapeado que é colado ao corpo representando a vitalidade do corpo humano.

Essa peça representa “um casal reclinando em um banquete junto no além-túmulo e foi encontrado em escavações do século XIX na necrópole de Cerveteri (antiga Caere). Está agora o Museu Nacional Etrusco de Villa Giulia, Roma.”

Na tampa do sarcófago está essa escultura. É a história de um casal participando de um banquete. A escultura é feita de argila e aqui pode-se observar que as mulheres também participavam dos banquetes.

Os etruscos manipularam metais e as peças eram fundidas por um método de granulação “fusão de pequenos grânulos para uma base. Esta técnica antiga é uma característica da jóia etrusca e requer muita preparação meticulosa”.

“Para fazer os grânulos, os etruscos colocavam pó de ouro ou recortes muito pequenos de metal em um canudinho, a fim de manter os grânulos se aglomerando e derretendo em um outro gigante. Eles colocavam camadas de carvão vegetal entre os cortes e depois os aqueciam até o ponto de fusão. Nesse ponto, o pó metálico ou o recorte girava em uma pequena bola e se criava um grânulo”.

Gente, caso você queira saber mais sobre esse assunto e história da arte, nesse site abaixo da Univesp, você poderá assistir gratuitamente algumas aulas por la. ok? Fica a dica para você.

http://univesptv.cmais.com.br/historia-da-arte-ii/escultura-e-pintura-etruscas

Trouxe aqui também esse vídeo abaixo que achei interessante em dividir com você.

 

Enfim, ainda que os etruscos sejam pouco conhecidos, quando comparados  aos romanos e gregos, eles foram uma das civilizações mais poderosas da antiguidade e que apresentam uma interessante herança histórica, artística e cultural.

O objetivo do post foi trazer, então, um pouco dessa civilização aqui para você. Acredito que deu para se ter uma ideia.

Era isso por hoje.

Obrigada pela sua visita. Você é sempre bem vindo(a) por aqui.

Um abraço

 

Referências:

https://educacao.uol.com.br/disciplinas/historia/roma-antiga—monarquia-historia-dos-reis-de-roma-e-cercada-de-lendas.htm

http://univesptv.cmais.com.br/historia-da-arte-ii/escultura-e-pintura-etruscas

https://www.todamateria.com.br/etruscos/

https://www.google.com.br/search?q=mapa+das+cidades+etruscas&source=lnms&tbm=isch&sa=X&ved=0ahUKEwiVrZbuxafUAhXLHpAKHUAdCY8Q_AUICygC&biw=1440&bih=759#tbm=isch&q=mapa+etruria&imgrc=ymBZhw138Xhu6M:

http://www.360meridianos.com/2017/03/tarquinia-italia.html

https://dmacanvas.com/2012/02/14/how-its-made-etruscan-jewelry/