Coelho da Páscoa – a importância dessa fantasia para a criança

Oi gente

Estou fazendo esse post rapidinho aqui só para trazer para você alguma reflexão sobre a importância dessa fantasia para as crianças em um período de sua infância.

Contar ou não a verdade para as crianças sobre o Coelho da Páscoa? Até que idade se deve deixar acreditar nessa história do coelhinho da Páscoa? São algumas das perguntas  que, as vezes,  geram algumas divergências no modo de pensar de cada papai e mamãe.

Aproveito o post para trazer, ainda,  algumas fotos dos coelhos feitos artesanalmente, que achei uma graça …

A importância do Coelho da Páscoa para a criança

Você já deve ter presenciado opiniões diferentes sobre esse assunto: Devo ou não falar a verdade para as crianças sobre o coelho da Páscoa?

A imaginação está presente nas brincadeiras infantis, e isso é importante para o desenvolvimento cognitivo da criança. O faz de conta, principalmente na primeira infância é uma forma que a criança encontra de se expressar e também de compreender e assimilar aquilo que ainda não é possível através das palavras. É também uma oportunidade para desenvolver na criança a empatia, algo tão importante para as relações pessoais.

A Páscoa é um bom momento para através da imaginação, os pais poderem entrar nessa “brincadeira”junto as crianças, onde elas poderão desenvolver suas fantasias, bem como poderão ir assimilando algumas simbologias do que a Páscoa com seus coelhinhos e ovos, significam.

E, se os papais puderem, ainda, fazer com que esses ovos e chocolates cheguem, através do coelho,  no dia certo em que se comemora a Páscoa, é uma oportunidade para desenvolver nesse período vários ensinamentos a seus filhos. 

Você estará dando para seu filho (a) a oportunidade, por exemplo,  em aprender que nem tudo acontece na hora e no momento em que ela quer, é preciso aprender a esperar para poder alcançar aquilo que almeja, e muitos pais ainda aproveitam essa oportunidade para ensinar o respeito as regras e solicitar que sejam merecedores do presente que o coelhinho irá trazer no dia da Páscoa.

Alguns pais podem pensar que estariam enganando seus filhos. Mas, não se trata nesse momento de enganar a criança e sim de entrar no seu mundo de fantasia, lhe permitindo um maior aprendizado e o desenvolvimento da criatividade, como por exemplo na preparação das suas cestas ou ninhos onde o coelho deixará os seus ovos.

Qual a relação do Coelho nessa festividade da Páscoa?

O principal simbologia representada pelo coelho é a fertilidade devido a sua alta capacidade de reprodução. “Desde civilizações bem antigas, como a egípcia, a ligação entre coelhos e fertilidade, primavera, nascimento, etc., é estabelecida. Na Europa, os povos germânicos, que habitavam a região norte – atualmente, a Alemanha -, possuíam uma narrativa mítica sobre uma deusa da fertilidade cujo nome era Ostara”.

“O coelho era símbolo do culto a essa deusa, posto que, passado o inverno e tendo início o período da Primavera (estação que simboliza o “renascimento”, a floração, a fertilização), os coelhos eram, com frequência, os primeiros a saírem de suas tocas e começarem a reproduzir-se”.

“No período da Idade Média, o culto à Ostara e à estação da Primavera logo passou a ser associado à Ressureição de Cristo, em face da cristianização dos povos bárbaros. No entanto, a assimilação do mito germânico pelo cristianismo não implicou a abolição total dos ritos a ele associados. A prática da entrega de ovos passou a ser relacionada, portanto, à Páscoa, e não mais à deusa Ostara.”

A origem do nome Páscoa

A origem do nome Páscoa vem do hebraico Pessach, cujo o significado é passagem. “Na liturgia judaica este é o nome da festa anual que comemora a libertação do povo judeu depois de séculos de cativeiro no Egito. Embora com calendários e origens diferentes, as cerimônias judaicas do Pessach e a Páscoa Cristã mantêm muitas relações de significado, sobretudo por celebrarem ambas uma passagem para a libertação. Para os judeus significa a passagem da condição de escravos para a liberdade, em busca da Terra prometida; para os cristãos significa a passagem da condição de pecadores para a graça e para a vida eterna”.

“Com a leva de imigrações alemãs para o continente americano, essa prática generalizou-se. Os mais antigos registros sobre a lenda alemã do coelho que traz os ovos para as crianças datam de 1678”.

 

As duas fotos acima foram tiradas na casa da minha prima que tem o costume de decorar e preparar a casa, junto as suas crianças, para a espera do Coelho da Páscoa.  Como é bom poder curtir com as crianças essas datas que fazem parte da cultura de alguns países nessa época. Ja fiz um post  Preparar a páscoa com as crianças sobre esse assunto por aqui.

Enfim gente, lembrando que não existe uma idade certa onde a criança deve deixar de acreditar no coelhinho da Páscoa, geralmente isso acontece, em média,  em torno dos 7 anos idade. Ela, naturalmente,  começa a perceber que o coelho da Páscoa não é algo da realidade, o que lhe permite a lidar com decepções, frustrações e até mesmo com o fato de que os pais podem falhar. As vezes, acontece até mesmo da criança  pensar que os pais que são bobos e acreditam no coelho da Páscoa.

Enfim gente, precisamos estar atentos para que o mundo atribulado dos adultos  não permitam que as crianças possam viver as suas fases das fantasias infantis, tão importantes e saudáveis para seu desenvolvimento.

Você que teve a oportunidade de viver esses momentos sabe da importância disso em suas vidas, e das lembranças boas desse período e aqueles, que não tiveram essas oportunidades, também sabem avaliar o que isso significou. 

 

Aproveito para desejar a você e toda sua família uma Feliz Páscoa, cheio de paz, amor e esperança.

Era isso por hoje.

Obrigada pela sua visita. Você é sempre bem vindo (a) por aqui.

Um abraço.

 

Referências:

FERNANDES, Cláudio. “Coelho da Páscoa”; Brasil Escola. Disponível em <http://brasilescola.uol.com.br/pascoa/coelho-da-pascoa.htm>. Acesso em 14 de abril de 2017.

http://www.aticaeducacional.com.br/htdocs/secoes/festas.aspx?cod=434

As fotos são de uma loja aqui da cidade de Londrina – Plastimil e a foto da decoração das cadeiras da casa de minha prima querida Maria Estela.