Quando os filhos precisam crescer e amadurecer

Oi Gente

O post de hoje é sobre a dificuldade do crescimento dos filhos e procurei trazer aqui essa música Sapato 36,  de Raul Seixas, um cantor brasileiro que nos deixou suas músicas e letras maravilhosas. Ao escutar essa do Sapato 36, pensei como ela é sábia para que você papai de um filho adolescente, ou adulto,  para que possa ajudar a refletir um pouco sobre a letra dessa música e o momento do crescimento dos filhos….

392495-pais-e-filhos-adolescentes-como-melhorar-a-relac%cc%a7a%cc%83o-2

Primeiramente escute a Música e observem a letra:

Sapato 36

Eu calço é 37,

Meu pai me dá 36;

Dói, mas no dia seguinte,  aperto meu pé outra vez;

eu aperto o meu pé outra vez;

Pai eu já tô crescidinho;

pague para ver que eu aposto;

vou escolher meu sapato e andar do jeito que eu gosto;

e andar do jeito que eu gosto.

Refrão:

Por que cargas d’água Você acha que tem o direito;

De afogar tudo aquilo que eu sinto em meu peito;

Você só vai ter o respeito que quer, na realidade;

No dia em que você souber respeitar a minha vontade;

Meu pai, meu pai.

 

Pai, eu já estou indo embora;

eu quero partir sem brigar;

pois eu já escolhi meu sapato, 

que não vai mais me apertar.

que não vai mais me apertar.

Refrão.

 

Embora essa letra de Raul Seixas, em alguns comentários que pesquisei sobre a mesma se refira aqueles anos da ditadura em nosso país e, possivelmente foi também uma forma dele mandar o recado através da música pela falta de liberdade que pairava sobre o nosso país, quando eu a escuto com um olhar da psicanálise, não tem como não trazê-la para a reflexão sobre a possível relação pai x filho, onde deixar o filho se autorizar como sujeito que possa bancar os seus desejos e desejos esses diferentes do pai, ou ainda diferentes daquele que o pai provavelmente tenha, em sua fantasia, desejada para o seu filho.

Aqui não se trata de criticar ou não a maneira como cada pai e mãe se relaciona em relação aos seus filhos, nem tão pouco pensar em qual pai não quer o melhor para o seu filho. Se trata sim de poder refletir que, embora os filhos são frutos e o bem maior que o casal possa ter, nem por isso são obrigados a serem exatamente como os pais querem.

Somos seres únicos, individualizados e os filhos também chega a hora de seguirem por eles próprios, com vontades próprias e, na maioria das vezes, não atendendo ao tão sonhado desejo dos pais. E aí eu te pergunto? Qual o problema nisso? Colaborar e até mesmo incentivar para que seu filho(a) possa ser e escolher aquilo que na vida dele(a) acreditam e queiram trilhar? Afinal eles terão que fazer o seu percurso na vida, assim como os pais fizeram o que não é fácil.

É uma fase de muitos conflitos, gerados dentro das famílias. Mas calma que é uma fase que passa. Assim como é difícil para o filho se posicionar sobre o que querem, é muito ou até mais difícil os pais permitirem e aceitarem.

Acreditem gente, aquilo que já está na base dada ao(s) seu filho(s) eles já vão levar pela vida afora e, as vezes, isso tem sim um preço quando se pensa em tentar e poder ser aquilo que eles realmente querem e não somente atender aos desejos dos pais.

Se para você papai ou mamãe é difícil pensar nessa separação da saída dos filhos de casa, tenham certeza que para eles não é diferente. 

Pensem comigo: A Maria casa com o João e aí tem o filho Pedro, que é fruto daquilo que Maria e João transmitiram, através da linguagem a ele. Mas é chegada a hora dele querer ser o Pedro, o filho de Maria e João, mas com o direito de ser o Pedro.

O amor de Pedro pela Maria e João é tão grande que para fazer essa separação para que possa ser o Pedro, não tem como não haver conflitos. Aí o amor e ódio, muitas vezes se misturam. Eu amo tanto essa Maria e esse João que, devido a esse amor, é tão difícil para Pedro bancar o que realmente quer ser.

Se para você papai e mamãe esse momento é complicado, tenha certeza e paciência que para o filho Pedro é mais. E, em uma idade, que isso não é tão claro na cabecinha dele, acaba sendo “natural” esse conflito. 

Assim, tentar olhar pelo lado do filho também é necessário e, nada melhor, do que ouvi-lo com amor e discernimento, conversando tentando entendê-lo e ser apoio para que faça as suas escolhas.

Escrever em um blog, de uma forma facilitada para que você possa entender aqui o que quero transmitir não é tão fácil. Mas acredito que com essa música, do Raul, poderá ajudá-lo(a) a entender um pouco sobre esse momento onde os filhos já não são mais os bebês e estão no caminho de serem adultos.

Era isso por hoje.

Obrigada pela visita. Você é sempre bem vindo(a) por aqui.

Um abraço.