Você sabe mesmo o que é artesanato?

Oi Gente

O post de hoje é sobre o artesanato, como realmente é definido esse trabalho ao qual, em várias situações, não recebe o verdadeiro valor que o trabalhador(a) que o produz merece. Como sempre gostei dessa área, fui pesquisar  e divido aqui com você rapidamente um pouco do que encontrei sobre esse assunto. Devemos lembrar que o artesanato, não somente aqui no Brasil, mas em toda a parte terrestre, não se trata somente de mais um hobby e sim, em muitas famílias, é através dele que se tira o seu sustento. Mas o que é então o artesanato? Saiba um pouco por aqui …

Um pouco da História do artesanato

Gente, todo nosso conhecimento ou aprendizagem deve partir de um ponto e ir acompanhando o processo para que se possa entender, elaborar, refletir e assim tirar cada um suas conclusões. Diante disso, não tem como fugir da história, é lá que tudo começa para que você possa chegar a um entendimento. Então vamos lá… 

O artesanato está inserido no mundo desde a sua criação, pois se pensarmos em todos os instrumentos rudimentares de nossa espécie há milhões de anos, verifica-se a presença de objetos e instrumentos elaborados pelos homens artesanalmente. “Os artesãos constroem instrumentos cada vez mais precisos”

O homem, ao produzir seus objetos que os auxiliaram a não ser vencido pelos elementos da natureza, possibilitou o seu processo civilizatório. “Essa atitude de criar instrumentos e aperfeiçoá-los constantemente torna possível a compreensão do processo civilizatório pelo qual o homem vem passando desde que surgiu sobre a terra”. 

Você já percebeu que é comum as pessoas gostarem de artesanato? Em cada viagem, ou lugar que você tem a oportunidade de conhecer, principalmente pontos turísticos, os artesanatos   estão ali  contando a história de seu povo, de sua região, dos seus trabalhadores, da humanidade. “Os antropólogos culturais sabem muito bem disso e são capazes de reconstruir uma organização social de um grupo humano a partir dos objetos que se preservaram”.

Olha a importância que a produção dos objetos artesanais tiveram e continuam tendo na história da civilização humana.  Será que esse encanto que um número grande de pessoas, em todo mundo,  tem com o artesanato/arte, não tem aí um significado bem mais importante do que apenas objetos para uso ou decoração?

Ainda no ano de 1996, a diretoria executiva do Conselho Mundial de Artesanato, se reuniram em Bogotá e trouxe essa definição sobre o que é artesanato “é definido como toda atividade produtiva de bens e artefatos realizados manualmente ou com a utilização de meios rudimentares como habilidade, destreza, qualidade e criatividade”. (CUNHA & VIEIRA, 2009).

Existem várias categorias de artesanatos, de acordo com as suas finalidades. 

O Artesanato pode ser:

  1. Utilitário – “São, em geral, ferramentas e utensílios desenvolvidos como alternativa para produtos industriais de valor mais elevado”;Conceitual – “Ligados a auto-afirmação social e cultural, tem por objetivo externar uma reflexão, discurso, conceito. Apesar de próximos, são diferentes de arte popular”;
  1. Decorativos – “Artefatos cuja principal motivação é a busca da beleza estética para harmonização de espaços físicos”;
  2. Litúrgicos – “Produtos de finalidade ritualística destinados a práticas religiosas”;
  3. Lúdicos – “São produtos destinados ao entretenimento de adultos e crianças, geralmente relacionados a práticas folclóricas e culturais”.

Ainda, relacionados ao artesanato temos as denominações tais como:

  1. Aprendiz – “São auxiliares em processo de capacitação, encarregados de elaborar parte do trabalho”;
  2. Oficiais – “São artesão que reproduzem e, eventualmente, recriam as obras propostas pelos mestres”;
  3. Mestres: “São aqueles que se notabilizaram em seu ofício, tornando admirados por aprendizes, oficiais e pelo mercado. Tem como principal objetivo repassar os conhecimentos fundamentais de sua atividade“.

 

Iconografia Regional

Em um grupo social, a sua identidade vai ser determinada por um conjunto de fatores: símbolos, signos, objetos, normas, costumes, ritos e mitos que são aceitos na coletividade. Eles são únicos e identificadores de cada local e são valorizados pelo mercado globalizado, o qual busca produtos diferenciados. Assim o artesanato deve valorizar os elementos comuns que se encontram ao seu redor, resgatando e evidenciando a história do local onde são produzidos. 

Cumbuca artesanal de cerâmica Batik:

Arte x Artesanato

É arte ou artesanato? Existe muita discussão sobre arte e artesanato, quando um entra no espaço do outro.  São conceitos diferentes, porém com grande aproximação, mas a verdade é que, “o artesanato ganha, cada vez mais, o caráter de manifestação artística, amplia seu alcance e alarga fronteiras, tendo se transformado em importante fonte de renda e de criação. Ele expressa a experiência regional das comunidades, seu modo de fazer, sua vivência particular, enfim, seu modo de vida”. (FAJARDO, 2002, p.8).

Já no período Neolítico ou também chamado de Idade da Pedra Polida, considerado o último período da Pré-História, os homens já construíam as suas armas e instrumentos manualmente com pedras polidas. Essas pedras, a matéria prima, utilizadas por eles já eram escolhidas, assim como o fazem hoje os artesãos quando da elaboração manual de seus produtos.

Após a fixação do homem, em um determinado lugar onde cultivavam seus alimentos, bem como pudiam criar a sua manada, fez com que esse pudesse dedicar mais tempo na elaboração de novas ferramentas e demais produtos para facilitar e garantir a sobrevivência. Foi esse homem neolítico que “desenvolveu a técnica de tecer panos, de fabricar cerâmicas e construiu as primeiras moradias.”

Desse tempo para cá o artesanato, bem como a arte, acompanharam toda a evolução de nós seres humanos, fazendo com que a criação de novos produtos não somente utilitários mas também preocupados com a beleza, retratasse toda a história do dia a dia da nossa evolução. Talvez esse gosto pelo artesanato possa nos levar sim a refletir sobre a sua importância e sobre o que cada criação produzida tenha a nos revelar sobre as pessoas que o criaram, produziram, o tempo histórico em que viviam, a sua cultura e assim, também nos remeter a própria história de vida.

  Sobre a Lei da profissão do Artesão no Brasil

“A profissão de artesão agora está regulamentada, com a publicação da Lei nº 13.180, que estabelece diretrizes para as políticas públicas de fomento à profissão, institui a carteira profissional para a categoria e autoriza o poder Executivo a dar apoio profissional aos artesãos”.

Aqui no Brasil, a nossa lei define que “o artesanato deve valorizar a identidade e a cultura nacionais, especifica a destinação de uma linha de crédito especial – para financiar a comercialização da produção e a aquisição de matérias-primas e de equipamentos – e determina, ainda, a integração dessa atividade profissional com outros setores e programas de desenvolvimento econômico e social”.

 Essa lei ainda “permite o apoio comercial e a identificação de novos mercados internos e fora do País. Para isso, indica a criação de certificados de qualidade, que permitam agregar valor aos produtos e técnicas artesanais”.

A mesma lei,  “define a criação de uma Escola Técnica Federal de Artesanato, dedicada exclusivamente ao desenvolvimento de programas de formação; e diz que o artesão deverá ser identificado pela Carteira Nacional do Artesão, válida em todo o território nacional por, no mínimo, um ano, e que só poderá ser renovada com a comprovação de contribuições para a Previdência Social”.

Barbaridade: Renda Renascença - Tutorial:

Enfim gente, o que é artesanato? Acredito que é algo bem mais além da sua simples confecção. É algo acima de tudo que tem um pouco da história de quem o produziu e vem carregado de valores que não são mensuráveis. Por isso, respeitem sempre o artesão e as pessoas que produzem o artesanato e quando aos preços isso também pertence aquele que o produz. 

É bem comum, qualquer pessoa ter em sua casa algo artesanal que ao observá-lo a remete a algo histórico, seja uma peça feita por sua avó, sua mãe, um banquinho feito pelo pai, tio,  algo fabricado na escolinha do filho,  do neto, um presente de uma amiga que fez especialmente para você, ou ainda,  lembranças de momentos de viagens. E em alguns casos, o valor desse produto artesanal, para você, já deixa de ser insignificante mas tem um valor emocional que cada um sabe bem o que isso representa. E esse tipo de valor é único, viu gente. Você, com certeza, já ouviu esse tipo de comentário: “isso não tem preço que pague”, ou ainda “isso eu não vendo por nenhum preço”. E que delícia você poder guardar esses objetos com carinho não é mesmo?

Por isso, a gente deve sim respeitar o gosto, a escolha, de cada pessoa. Nada de chegar na casa da mãe, ou da avó, e ficar falando: Nossa que coisa brega, tira isso daí. Tente primeiramente saber do que se trata, o significado que aquele objeto tem para a pessoa e o por que de ter escolhido estar ali.

Enfim, para responder o que é de fato o artesanato acredito ser muito mais do que simplesmente a elaboração de mais um produto, seja de consumo ou de decoração. Artesanato, tem em cada peça, algo de alguém que o fez e trouxe para você com aquilo que ele(a) pode fazer de melhor.

Boneca country:

Era isso por hoje.

Obrigada pela visita. Você é sempre bem vindo(a) por aqui.

Um abraço especial hoje a todos os artesãos do Brasil e de todos os países, pelos quais tenho grande admiração. 

 

Referências:

http://www.brasil.gov.br/economia-e-emprego/2015/10/projeto-que-regulamenta-profissao-de-artesao-e-sancionado-pela-presidenta

http://blog.lidis.ufrj.br/media/blog/a/ArtesanatoResumEBarroso.pdf

FAJARDO, Elias. Tintas e texturas: oficina de artesanato. São Paulo: Senac, 2002.

http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1414-98932009000200005