Como se posicionar diante da crise do Brasil

Gente

O que mais se ouve  neste ano e vem aumentando a cada dia é sobre a crise que está pegando todos nós brasileiros. Na realidade, eu já nasci em meio a crise, e essa palavra já faz parte da minha história de vida.

O que penso sobre isso? Penso que é difícil. É difícil sim, superar o que acontece com as pessoas, com amigos, com todos nós diante de uma crise financeira que está atingindo nosso país. Não adianta pensar que isso não me afeta, porque afeta sim. Embora muita gente melhore na crise, como é o caso dos fabricantes com marcas de produto não muito reconhecida, que passam a vender mais, devido a necessidade dos brasileiros mudarem de suas marcas preferidas, a verdade é que um grande número de pessoas  sofre e sofre muito com a crise. Até por que ela tem um efeito dominó, ou seja começa quebrando um aqui, outro ali e uma hora acaba chegando em você.

Mas mesmo para aqueles que a crise lhe traz melhoras financeiras, também a crise não é tão vantajosa assim. Sabe por que? Porque fazemos parte de uma nação e mesmo que você pense, ou tente dizer isso não é comigo, não estou nem ai. Você está sim, porque isso afeta o ser humano. O clima negativo, o sofrimento das pessoas, sejam amigos, parentes, conhecidos ou não, afetam sim uns aos outros.

Mas é aquela coisa gente. Tem horas que não adianta você tentar tampar uma dor, ou disfarçar que isso não é comigo, ou se enclausurar e entrar naquela de olhar só para baixo e para seu mundinho, porque você vai cavando um buraco e esse buraco vai afundando cada vez mais. Não é mesmo? E sabe aqueles ditos populares que quando a maré tá ruim, parece que tudo aumenta. Ou seja você está na merda e parece que tudo em volta fica cheirando a merda? Desculpa a comparação, mas não é verdade? É como se jogassem “bosta” no ventilador…

Então gente, acredito que o que você tem de mais certo nessa hora são as respostas do não, isso você já sabe. Não tenho dinheiro, não vai dar, não vou conseguir, não vale a pena, nem vou tentar porque não adianta e por ai a fora. Esse não que permeia a sua mente já está certo dentro de você. Então se você arriscar, levantar ir em frente e não der certo isso você já sabia não é mesmo? Não tem novidade nenhuma. Agora se não for lá para ver e procurar e continuar como você poderá saber se esse não, de uma hora para outra, poderá virar um sim e colocar o rumo das coisas em outros planos.

E ainda gente, nessa hora de crise se você conseguir  parar de olhar só no seu umbigo e olhar que o problema não é só seu e que todos estão no mesmo barco, uns barcos já afundados, outros afundando, lógico que o problema vai ficar maior e você será somente o próximo da fila a afundar também.

Então penso que é nessas horas que você busca dentro de você a sua maior arma que é a sua força, a sua coragem de enfrentar. Afinal, problemas estão ai para serem enfrentados, mas se não enfrentar vão aumentar.

Agora é hora de deixar o orgulho, as vaidades de lado e buscar um amigo, um conhecido, para trocar ideias, para falar, para conversar, para se unirem por uma causa, quem sabe serem mais solidários uns com os outros.

A época em que as pessoas mais se mostraram solidárias e companheiras na história é marcada  como a época do pós-guerra. Não precisamos chegar a tanto para tentar rever algumas qualidades que o ser humano tem de reerguer e de lutar para achar o caminho melhor de sua sobrevivência e de seus entes queridos.

Somos brasileiros, criativos, sofridos, um país com imensas diferenças sociais e tudo o mais. Mas é o que temos para hoje, para agora e é com isso que teremos que lidar. Acho que já está passando da hora de parar com o chororó e arregaçar as mangas para pensar em soluções para o problema que cada um está passando. Porque, independente de políticos corruptos, quem tem que dar conta do seu cantinho, do seu dia a dia e das suas questões é você mesmo.

É isso o que penso. E como brasileira,  é o que tenho para o momento.

Um abraço.