Museu da Baronesa da Cidade de Pelotas – RS

Oi Gente.

O post de hoje é sobre uma visita que fiz em um Museu famoso na cidade de Pelotas, no Rio Grande do Sul. 

A visita a um museu contribui para falar da história de um determinado lugar, época e povo que ali viveram e que reflete, algumas vezes, na formação do lugar.

Penso que  conhecer museus nas cidades, onde temos a oportunidade de estar, colabora para que possamos refletir um pouco sobre o que vemos na atualidade. Essa experiência é muito interessante. Afinal tudo é história, como hoje estamos fazendo a nossa história.  Convido você a ver por aqui um pouco do Museu da Baronesa, com algumas fotos que fiz no local…

Museu da Baronesa de Pelotas no Rio Grande do Sul


Há quem diga que: ” quem gosta de passado é museu”.  Pois, podem me chamar de “Museu”, pois  sou uma daquelas pessoas  que ama história, e nada melhor que um museu para poder nos levar de volta ao passado.

Poder visualizar outras culturas, outra época, tentar viajar no passado visualizar os objetos úteis e até inúteis que fizeram parte da história de vida das pessoas, da cultura de um povo, é tudo de bom. Posso dizer que já tive o prazer de visitar muitos museus durante minhas viagens e aos poucos pretendo colocar aqui algumas fotos dessas visitas.

A arquitetura, os objetos e tudo o mais que compõe o parque onde está situado o museu da baronesa, possibilita você perceber como viviam as famílias mais ricas desse período. Ao visitar o museu você poderá observar diversos tipos de objetos da época como vestuário, moveis, objetos simples do cotidiano bem como pintura e decoração.

Aqui por exemplo estão algumas fotos do Museu da Baronesa. Esse passeio, para quem curte história como eu, recomento quando forem a Pelotas. Além das peças incríveis do museu, o espaço do jardim é grande e um lugar muito gostoso de ser visitado. Lá muitas vezes também tem grupos de teatro apresentando ao ar livre.

 Um pouco da história e fotos do acervo

detalhes do encosto da cadeira e do bordado a mão no assento

Verdadeiro elo entre o passado e o presente, o antigo Solar, atual Museu Municipal Parque da Baronesa, reflete a singularidade de uma época, cujos costumes, valores e riquezas estão preservados em seu acervo, documentando a história.

O Solar é uma obra arquitetônica cuja beleza reside na harmoniosa convivência entre os estilos neoclássico e colonial brasileiro.

 

 

banheiro da casa do baronesa
Foi adquirido pelo Coronel Aníbal Antunes Maciel em 10 de junho de 1863, que o doou a seu filho Aníbal Antunes Maciel, por ocasião de seu casamento, em agosto de 1864, com a jovem Amélia Hartley de Brito, carioca de nascimento e de descendência inglesa.
 O Capricho dos trabalhos feitos a mão

O casal tornou-se conhecido pela generosidade e grande espírito humanitário com que tratava as pessoas carentes e necessitadas, contemplando-as com gêneros alimentícios e donativos.

Amei esse piano, que era iluminado com as velas
A presença humana e respeitável da família Antunes Maciel ganhou notoriedade pela alforria concedida a seus escravos em 1884, muito antes da Lei Áurea, fato que o fez ser agraciado com o título de Barão de três Serros, por decreto do Imperador Dom Pedro II.
 As rendas maravilhosas que eram utilizadas para enfeitar os vestidos da época

Com a morte do Barão em 1887, e a posterior transferência da Baronesa para o Rio de Janeiro em 1889, o solar continuou a ser habitado por uma de suas filhas, Dona Amélia Anibal Hartley Antunes Maciel, chamada carinhosamente de “Sinhá Amelinha”, que tornou-se conhecida da comunidade pelotense por sua grande bondade e espírito filantrópico.

A incrível personalidade desta grande dama tornou conhecida a chácara dos barões como “o Solar da Baronesa”, tombado pelo Conselho Municipal do Patrimônio Histórico e Cultural, em 04 de junho de 1985.

Apresentação no jardim do Museu da Baronesa

 

Enfim, com um acervo de mais de mil peças, o Museu Municipal Parque da Baronesa é uma instituição cultural da FUNDAPEL – Fundação Municipal de Cultura, Lazer e Turismo de Pelotas. Fui conhecer e gostei muito.

 

Era isso por hoje gente.

Obrigada pela visita. Você é sempre bem vindo(a) por aqui.

Um abraço.

 

Referências:

http://www.paginadogaucho.com.br/mbaron/intro.htm